Centenário da Arquidiocese de Maceió

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Vejamos o outro com o olhar da graça de Deus

“Eu não julgo segundo os critérios humanos, porque o homem vê as aparências, mas o Senhor olha o coração” (I Sm 16,7).
Samuel foi, acima de tudo, enviado para ver aquele que iria suceder a Saul no governo de Israel. E ele vai à casa de Jessé para ver qual dos filhos dele poderia suceder a Saul no governo de Israel. Samuel viu Eliabe e, logo que o viu, disse: “É este o ungido do Senhor, o primeiro que se apresentou, de boa aparência, formidável (…), mas Deus disse: Não, Samuel, não olhe para a aparência nem para sua grande estatura”. E, assim veio um filho após outro, e não era aquele o critério que Samuel deveria ter no coração.
Preciso dizer a você: também é preciso nos purificarmos desses critérios humanos, mundanos que, muitas vezes, tomam conta da nossa vida e do nosso coração. É preciso dizer que muita gente casa errado, namora errado, escolhe errado; não é porque Deus mandou, e sim porque seguiu os critérios humanos. Nós continuamos escolhendo os critérios puramente humanos para aquilo que nós fazemos e realizamos, nas amizades que temos, nas pessoas que colocamos à frente disso ou daquilo, a quem confiamos o nosso coração porque os nossos olhos se deixam enganar.

É preciso sair daquilo que é aparente, daquilo que aparenta ser bom

Quando não estamos na graça de Deus deixamos nos guiar pela bela voz, pelos olhos que nos chamam a atenção, pela forma do outro ser, agir. Não é para julgarmos e dizermos: “Cuidado! Está nos enganando”; mas é preciso ter um critério mais divino.
É preciso sair daquilo que é aparente, ou seja, daquilo que aparenta ser bom, até porque, todos nós vivemos num “mundo da maquiagem”. Somos todos maquiados naquilo que fazemos, então, a nossa essência, muitas vezes, fica escondida; mas é ali que Deus olha e está.
Samuel precisou ser purificado para ver naquele pequeno que cuidava do rebanho que, segundo critérios humanos, não teria valor nenhum (…), aquele pequeno Davi, era sobre ele que pairava a escolha e a unção de Deus.
É naquele que está escondido e, muitas vezes, nós não damos importância nem valor; não conseguimos olhar nem ver com critérios humanos, ali se estabelece a graça de Deus. Por isso, que a Palavra de Deus nos conceda, hoje, a graça de sermos purificados em nossos critérios e visões, para que saímos das ilusões e vejamos as pessoas não com olhar humano nem mundano, e sim com o olhar da graça de Deus.
Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo


Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário