Sorteio

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Precisamos caminhar em direção à Palavra de Deus que nos liberta

Libertemo-nos de todas as paralisias para que a Palavra de Deus nos deixe de pé
“Trouxeram-lhe, então, um paralítico, carregado por quatro homens. Mas não conseguindo chegar até Jesus, por causa da multidão, abriram então o teto, bem em cima do lugar onde Ele se encontrava” (Marcos 2, 3-4).
A primeira coisa que nós queremos contemplar é a ação de Jesus. Porque as pessoas se reuniam para ouvir a Jesus, para ouvir a proclamação da Palavra de Deus, pois era o que Jesus fazia: anunciava a Palavra de Deus.
E quando a Palavra de Deus é anunciada, o reino d’ Ele acontece, pois, os corações são libertos e as almas são redimidas. A ação de Deus atualiza a presença d’Ele no meio de nós, porque o Reino de Deus acontece pela proclamação da Palavra. E Jesus fazia justamente isto: proclamava a Palavra de Deus.
Aquele paralítico não tinha condição de ouvir a Palavra. Por que? Porque ele estava realmente paralisado, e a paralisia o prendia, ele não conseguia chegar até Jesus para ouvi-Lo. Mas ele queria O ouvir, porém, tinha os limites físicos. E, além da dificuldade, da impossibilidade de andar para chegar onde Jesus estava, também havia uma enorme multidão que o impedia, era uma verdadeira parede. E, muitas vezes, aquela multidão não se abria para que outros mais necessitados pudessem chegar até Jesus.
No entanto, mãos abençoadas são providência para que a Palavra de Deus chegasse naquele homem. E o que fazem? Levam a sua maca por cima do telhado. E aqui está a sabedoria, a busca dos meios necessários para se chegar até a graça Deus. Se não podemos chegar a Deus “por baixo”, podemos chegar “por cima”; se não podemos por cima, tentemos “dos lados”, mas precisamos chegar até Deus; e fazer com que a Palavra d’Ele, a Sua graça nos encontre.
Desculpa, mas não podemos ficar paralisados nas nossas dificuldades! Porque Jesus enfrentou todas as barreiras para chegar até nós, e Ele está no meio de nós. Não posso permitir que a minha vida fique paralisada. “Ah, mas eu tenho muitos problemas, muitas dificuldades, muita coisa para fazer”, desse modo, as barreiras crescem.
Se as barreiras para aquele paralítico era a sua condição física e aquela multidão, hoje, as nossas barreiras são outras: nossos problemas, nossas ocupações e múltiplas tarefas; nossos medos, temores, receios e, muitas vezes, nossa falta de iniciativa.
Vamos por cima do telhado, vamos por baixo e, se não dermos conta, peçamos ajuda. Que alguém nos carregue, nos leve, mas precisamos tomar  a iniciativa para chegar até Jesus e para que a Sua Palavra chegue até nós. Senão, ficaremos prostrados; seremos tomados por uma onda de desânimo, de tristeza, de abatimento que há no mundo em que vivemos. A Palavra de Deus nos liberta. Se palavra d’Ele ainda não chegou, preciso me acorrer e correr atrás dela, onde quer que ela se encontre.
Libertemo-nos de todas as paralisias para que a Palavra de Deus nos deixe de pé.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Acompanhe nossas Redes Sociais


Hoje na paróquia


Evangelho de hoje, sexta-feira, 18/01/2019


Evangelho do dia - Mc 2,1-12
1Alguns dias depois, Jesus entrou de novo em Cafarnaum. Logo se espalhou a notícia de que ele estava em casa. 2E reuniram-se ali tantas pessoas, que já não havia lugar, nem mesmo diante da porta. E Jesus anunciava-lhes a Palavra. 3Trouxeram-lhe, então, um paralítico, carregado por quatro homens. 4Mas não conseguindo chegar até Jesus, por causa da multidão, abriram então o teto, bem em cima do lugar onde ele se encontrava. Por essa abertura desceram a cama em que o paralítico estava deitado. 5Quando viu a fé daqueles homens, Jesus disse ao paralítico: “Filho, os teus pecados estão perdoados”. 6Ora, alguns mestres da Lei, que estavam ali sentados, refletiam em seus corações: 7“Como este homem pode falar assim? Ele está blasfemando: ninguém pode perdoar pecados, a não ser Deus”. 8Jesus percebeu logo o que eles estavam pensando no seu íntimo, e disse: “Por que pensais assim em vossos corações? 9O que é mais fácil: dizer ao paralítico: ‘Os teus pecados estão perdoados’, ou dizer: ‘Levanta-te, pega a tua cama e anda’? 10Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem, na terra, poder de perdoar pecados, disse ele ao paralítico: 11eu te ordeno: levanta-te, pega tua cama, e vai para tua casa!” 12O paralítico então se levantou e, carregando a sua cama, saiu diante de todos. E ficaram todos admirados e louvavam a Deus, dizendo: “Nunca vimos uma coisa assim”. 
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Deus age em nós por meio das virtudes da fé e da humildade

Deus nos concede a fé e a humildade, virtudes necessárias para andarmos sempre no Seu caminho
“Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele, e disse: “Eu quero: fica curado!” (Marcos 1,41).
Acompanhamos a esse leproso que se aproxima de Jesus, e duas virtudes tomam conta do coração daquele homem. A primeira delas é a humildade de reconhecer a sua fragilidade, a sua lepra; reconhecer aquilo que estava nele. A segunda virtude é a fé, pois humildemente ele professa a sua fé. Ele exclama “Senhor, se queres, tens o poder de curar-me”. E Jesus disse: “Eu quero: fica curado!”.
Quando somos humildes e quando temos fé, a graça de Deus age em nós e nos liberta, purifica, restaura; a graça de Deus nos renova. Podemos ter fé, mas não temos a humildade. Fé e orgulho; fé e soberba não produzem frutos.
Podemos ter humildade, graça essa mais que necessária, pois o Reino do Céus é dos humildes, mas o humilde precisa ter, também, a fé. Ter confiança e fé em Jesus. Saber que é Ele quem cuida de nós, pois podemos até sermos humildes, mas se somos aqueles humildes negativos, pessimistas, desanimados, sem esperança, sem confiança, nos entregamos à prostração, sem saber que rumo tomar na vida.
Humildemente reconhecemos as nossas situações, misérias, fragilidades; os nossos pecados, erros, limites. Reconhecemos as coisas que não deram certo, mas humildemente tenhamos fé e confiança n’Ele. Não tiremos o nosso olhar d’Ele. Não tiremos de Jesus a nossa confiança, porque sabemos tudo o que Ele pode fazer por nós. É n’Ele que colocamos o nosso coração.
Aconteça o que acontecer não vamos desanimar ou desesperar, pois só tem desespero quem não confia e chega ao limite da desconfiança, por isso se desespera. Aconteça o que acontecer, coloquemos sempre o nosso coração em Jesus.  
Mas, muitas vezes, nós somos pessoas de muita fé, falamos a nós mesmos: “Nossa! Eu confio em Jesus, falo de Jesus”. Porém, somos tomados por uma arrogância, por um orgulho, uma soberba terrível, e não vemos a graça de Deus acontecer em nós, na nossa vida, naquilo que fazemos, porque temos a fé, mas temos a humildade, isto é, se humilhar, não temos a humildade de ver a nossa miséria. Pois humilde é aquele que mergulha na sua miséria humana, toca nela e se coloca totalmente dependente de Deus. O humilde não se faz melhor do que os outros; não se faz o mais importante; não confia em si próprio. Não é não ter autoconfiança, o problema está com o excesso dela; é achar que somos “o senhor” deste mundo. Quando reconhecemos que Jesus é o Senhor e somos o Seus humildes servos, a graça de Deus age em nós.
Que Deus nos conceda a fé e a humildade necessárias para andarmos sempre no Seu caminho.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Hoje na paróquia


Evangelho de hoje, quinta-feira, 17/01/2019


Evangelho do dia - Mc 1,40-45
Naquele tempo, 40um leproso chegou perto de Jesus, e de joelhos pediu: “Se queres, tens o poder de curar-me”. 41Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele, e disse: “Eu quero: fica curado!” 42No mesmo instante, a lepra desapareceu, e ele ficou curado.
43Então Jesus o mandou logo embora, 44falando com firmeza: “Não contes nada disso a ninguém! Vai, mostra-te ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o que Moisés ordenou, como prova para eles!” 45Ele foi e começou a contar e a divulgar muito o fato. Por isso, Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade: ficava fora, em lugares desertos. E de toda parte vinham procurá-lo. 
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.