Sorteio

domingo, 10 de dezembro de 2017

Evangelho de hoje, domingo, 10/12/2017


Evangelho do dia - Mc 1,1-8
— O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos.
Glória a vós, Senhor.
1Início do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus.
2Está escrito no livro do profeta Isaías: “Eis que envio meu mensageiro à tua frente, para preparar o teu caminho. 3Esta é a voz daquele que grita no deserto: ‘Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas estradas!’”
4Foi assim que João Batista apareceu no deserto, pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados. 5Toda a região da Judeia e todos os moradores de Jerusalém iam ao seu encontro. Confessavam os seus pecados e João os batizava no rio Jordão.
6João se vestia com uma pele de camelo e comia gafanhotos e mel do campo. 7E pregava, dizendo: “Depois de mim virá alguém mais forte do que eu. Eu nem sou digno de me abaixar para desamarrar suas sandálias. 8Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo”.
— Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.


sábado, 9 de dezembro de 2017

Evangelho de hoje, sábado, 09/12/2017


Evangelho do dia - Mt 9,35–10,1.6-8
— O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo … segundo Mateus.
Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 35Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino, e curando todo tipo de doença e enfermidade.
36Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: 37“A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. 38Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”
10,1E, chamando os seus doze discípulos deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo tipo de doença e enfermidade.
Enviou-os com as seguintes recomendações: 6“Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!”
— Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Nossa Senhora Aparecida, uma história de fé


A história de Nossa Senhora da Conceição Aparecida tem seu início pelos meados de 1717, quando chegou a notícia de que o Conde de Assumar, D.Pedro de Almeida e Portugal , Governador da Província de São Paulo e Minas Gerais, iria passar pela Vila de Guaratinguetá, a caminho de Vila Rica, hoje cidade de Ouro Preto – MG. Convocado pela Câmara de Guaratinguetá, os pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves saíram a procura de peixes no Rio Paraíba. Desceram o rio e nada conseguiram. Depois de muitas tentativas sem sucesso, chegaram ao Porto Itaguaçu.
João Alves lançou a rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição sem a cabeça. Lançou novamente a rede e apanhou a cabeça da mesma imagem. Daí em diante os peixes chegaram em abundância para os três humildes pescadores. Durante 15 anos seguidos, a imagem ficou com a família de Felipe Pedroso, que a levou para casa, onde as pessoas da vizinhança se reuniam para rezar.
A devoção foi crescendo no meio do povo e muitas graças foram alcançadas por aqueles que rezavam diante a imagem. A família construiu um oratório, que logo tornou-se pequeno. Por volta de 1734, o Vigário de Guaratinguetá construiu uma Capela no alto do Morro dos Coqueiros, aberta à visitação pública. Em 1834 foi iniciada a construção de uma igreja maior (atual Basílica Velha).
A Imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, pescada no rio Paraíba na segunda quinzena de outubro de 1717, feita de argila, que depois de modelada, é cozida em forno apropriado, medindo 40 centímetros de altura. A cor acanelada com que, hoje, é conhecida , deve-se ao fato de ter sido exposta, durante anos, ao picumã das chamas das velas e dos candeeiros. Com o passar do tempo, a devoção a Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi crescendo e o número de romeiros foi aumentando cada vez mais. A primeira Basílica tornou-se pequena.
Era necessário a construção de outro templo, bem maior, que pudesse acomodar tantos romeiros. Por iniciativa dos missionários Redentoristas e dos Senhores Bispos, teve início em 11 de Novembro de 1955 a construção de uma outra igreja, atual Basílica Nova, o ‘maior Santuário Mariano do mundo’. Em 1980, ainda em construção, foi consagrada pelo Papa João Paulo II e recebeu o título de Basílica Menor. Em 1984, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) declarou oficialmente a Basílica de Aparecida Santuário Nacional.
Nossa Senhora Aparecida… rogai por nós!!!
Fonte - https://formacao.cancaonova.com/diversos/nossa-senhora-aparecida-uma-historia-de-fe/
 

Evangelho de hoje, sexta-feira, 08/12/2017


Evangelho do dia - Lc 1,26-38
— O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas.
Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 26no sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria.
28O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”
29Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação.
30O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.
34Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?”
35O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. 36Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37porque para Deus nada é impossível”.
38Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.
— Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Convite - Solenidade da Imaculada Conceição de Maria


Hoje na matriz Divino Espírito Santo


A oração é o alicerce das famílias

O Natal em família é o Natal em oração, talvez, seja o momento, a hora e a graça das famílias que não rezam: rezarem
“Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática, é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha” (Mateus 7,24).
Preciso começar dizendo que não podemos ser o homem insensato, o homem insano, porque não há insanidade maior do que construirmos a casa alicerçada na areia, pois quando vierem os ventos, as tempestades, as chuvas, a ruína daquela casa vai ser total, ela vai cair.
É doloroso ver uma casa cair, mas aqui não me refiro somente a uma “casa física”, material, porque para essa casa pode-se fazer um mutirão e depois reconstruí-la, refazê-la, pode-se juntar novamente as pedras e os tijolos.
É muito doloroso para a nossa alma ver as nossas casas caírem. A “casa” que é a família, o casamento, a nossa espiritualidade e a nossa relação com Deus. E por que as nossas casas estão caindo? Por que as nossas famílias estão ruindo? Porque, muitas vezes, estão solidificadas na areia e não sobre uma rocha firme. E essa rocha firme é uma espiritualidade verdadeira e concreta com o Senhor.
Eu sei que, as pessoas se preparam, invocam o nome de Jesus e pedem a bênção de Deus. Não basta somente pedirmos a bênção, é verdade que precisamos começar com ela, para continuarmos nela; mas, a casa se constrói dia a dia, se alicerça a cada dia, fundamenta-se, também, a cada dia.
Se não cuidarmos da nossa espiritualidade, da nossa relação com Deus; se um casal, uma família não cuida da oração, não cuida de fazer Deus presente naquela casa, naquela família, quando a família deixa-se iludir facilmente pelas atrações desse mundo, pelas facilidades do mundo, pelo consumismo dilacerado que nós temos nos dias de hoje; se não cuidamos dela, ela vai caindo, perde a consistência. Assim como acontece com a espiritualidade é, também, com a casa física: não percebemos as ruínas no início, porque está tudo bonito, tudo maravilhoso. “Estou bem assim. Está tudo legal”. Mas, na hora em que a ruína chega, quando a “casa cai”, ela cai com força.
Neste tempo de graça, no qual nos preparamos para celebrar o Natal de Nosso Senhor Jesus, Ele não quer que a sua família faça uma ceia grande e maravilhosa. Ele quer que a sua família se alicerce e  firme-se n’Ele.
O Natal em família é o Natal em oração, talvez, seja o momento, a hora e a graça das famílias que não rezam, rezarem; das famílias que rezavam e deixaram de rezar, voltarem a rezar. O alicerce que não pode faltar em nenhuma família é a oração junta, concisa e focada em Deus. Assim, essa rocha firme vai segurar a sua casa.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook