Sorteio

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Hoje na paróquia


Evangelho de hoje, quinta-feira, 17/01/2019


Evangelho do dia - Mc 1,40-45
Naquele tempo, 40um leproso chegou perto de Jesus, e de joelhos pediu: “Se queres, tens o poder de curar-me”. 41Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele, e disse: “Eu quero: fica curado!” 42No mesmo instante, a lepra desapareceu, e ele ficou curado.
43Então Jesus o mandou logo embora, 44falando com firmeza: “Não contes nada disso a ninguém! Vai, mostra-te ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o que Moisés ordenou, como prova para eles!” 45Ele foi e começou a contar e a divulgar muito o fato. Por isso, Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade: ficava fora, em lugares desertos. E de toda parte vinham procurá-lo. 
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Somos instrumentos da cura de Deus na vida do próximo

O primeiro passo para a cura é ir ao encontro da enfermidade, e não importa quais sejam elas
“E ele se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se. Então, a febre desapareceu; e ela começou a servi-los” (Marcos 1,31).
Nós estamos contemplando, hoje, no Evangelho, a graça da cura da sogra de Pedro. Que graça maravilhosa é aquela que Jesus realiza!  
Jesus vai ao encontro daquela mulher, pois, o primeiro passo para a cura é ir ao encontro da enfermidade. E não importa quais sejam elas, porque Deus quer ir ao encontro das nossas enfermidades, então, as apresentemos a Ele, e permitamos que Ele venha ao nosso encontro.
Mas é preciso, também, ir ao encontro da enfermidade e do sofrimento do outro; nos fazer presentes, assim como Jesus se fez presente naquilo que aquela mulher estava sofrendo. Jesus a pegou pela mão, e pegar pela mão significa pegar o próprio coração, isto é, cuidar da pessoa.
Nós precisamos pegar nas mãos uns dos outros, mas para comunicar a graça; porque mãos que se tocam são graças que se comunicam, são vidas que se entrelaçam. Quando Jesus pegou na mão da sogra de Pedro, Ele estava comunicando a graça do amor, da acolhida, da ternura e, é claro, a graça da cura divina. E, nós, precisamos comunicar essa graça uns aos outros; nós precisamos estender as mãos às muitas pessoas que precisam das nossas mãos estendidas com afeto, com ternura e com amor. Pois, nós somos instrumentos da cura de Deus, na vida de tantas pessoas que Ele coloca ao nosso lado.
Jesus levantou aquela mulher para nos mostrar que só vencemos o mal quando nos levantamos, pois nós não podemos ficar prostrados. Sei que existem doenças que exigem repouso; mas o repouso é uma coisa, enquanto que, a prostração é outra.
Enfermo que está no hospital ou que está em casa se recuperando, se tratando, convalescendo da sua enfermidade, ele pode até ver o seu corpo prostrado na cama, mas jamais o seu espírito. Porque a graça de Deus levanta todo espírito abatido, toda alma desolada; a graça de Deus nos quer com o espírito em pé, levantado.
Quando deixamos que a graça de Deus aconteça no meio de nós, desaparece a “febre”, da mesma forma como desapareceu a febre daquela mulher; e ela começou a servi -los, a servi-los de coração. A graça de Deus nos liberta de toda febre, de toda e qualquer ação do mal, para que nós possamos servir.
Se eu não estou servindo é porque estou mal, ainda que não perceba, pois alguém só está bem quando está servindo aos outros. Se não estou servindo, é porque estou fechado em mim, no meu egoísmo; fechado na minha vida e só pensando em mim. Quando eu desperto para o serviço, ou seja, para servir o próximo, servir a Deus, servir a humanidade, é porque a graça de Deus chegou em mim e me levantou.
Levantemos de toda e qualquer prostração para servir, para trabalhar, para construir o Reino de Deus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook



Hoje tem Terço dos Homens


Hoje na paróquia


Evangelho de hoje, quarta-feira, 16/01/2019


Evangelho do dia - Mc 1,29-39
Naquele tempo, 29Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, para a casa de Simão e André. 30A sogra de Simão estava de cama, com febre, e eles logo contaram a Jesus. 31E ele se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se. Então, a febre desapareceu; e ela começou a servi-los.
32Àtarde, depois do pôr-do-sol, levaram a Jesus todos os doentes e os possuídos pelo demônio. 33A cidade inteira se reuniu em frente da casa. 34Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças e expulsou muitos demônios. E não deixava que os demônios falassem, pois sabiam quem ele era.
35De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto. 36Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus. 37Quando o encontraram, disseram: “Todos estão te procurando”. 38Jesus respondeu: “Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim”. 39E andava por toda a Galileia, pregando em suas sinagogas e expulsando os demônios. 
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Jesus veio para destruir o maligno que está entre nós

Deixemos Jesus destruir a força do mal em nosso coração, deixemos Ele destruir o poder do maligno que está agindo em nossa vida
“Estava então na sinagoga um homem possuído por um espírito mau. Ele gritou: ‘Que queres de nós, Jesus Nazareno? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: tu és o Santo de Deus’” (Marcos 1,23-24).
A primeira coisa que precisamos afirmar é: Jesus veio para destruir o mal, porque se Jesus não destrói o mal e os espíritos malignos, eles destroem nossa alma, nossa mente, vontade e comunhão com Deus.
Precisamos permitir que Jesus destrua o poder do mal. Veja que Jesus não só expulsa o maligno, mas destrói a força d’Ele em nossa vida, porque, quando a força do mal entra no nosso coração, ela nos corrompe por dentro. Começamos a ter pensamentos maus, sentimentos maus, convicções malignas, começamos a fazer o mal de forma que pareça natural. A maldade se tornou uma coisa elementar na nossa vida natural, e isso não pode. Por isso precisamos invocar o poderoso nome de Jesus, para destruir a força do mal dentro de nós.
Quando entra um mal pensamento em nós, esse pensamento é alimentado e cresce; então, ficamos maus. Quando levamos esse mau pensamento adiante, ele provoca um mal maior. Quando cultivamos um mau sentimento em relação a alguém, esse sentimento é destrutivo. Vejamos o que o ressentimento faz na nossa vida: a mágoa, o ódio e o rancor destroem a força do amor em nós, depois, os nossos relacionamentos. E, por onde vamos, espelhamos e semeamos o mal.
Quando estamos com raiva ou ressentidos com alguém, levamos esse mal para os outros. Quando lembramos daquela pessoa, azedamo-nos e também azedamos o ambiente em que estamos, porque o mal está em nós. Achamos sempre que o mal é aquela pessoa, e ela pode até ter as maldades dela, mas o problema é a maldade que ela jogou em nós, e nós a compramos.
Deixemos Jesus destruir a força do mal em nosso coração, deixemos Ele destruir o poder do maligno que está agindo em nossa vida, está corroendo, corrompendo as nossas relações e a nossa relação com Deus.
Jesus veio para destruir o mal, para expulsá-lo da nossa vida. O demônio não é o nosso problema, porque ele é um derrotado por Deus, mas é o joio e a força maligna que ele semeia, e nós, muitas vezes, a compramos. Jesus veio para destruir o mal em nossa vida.
Permitamos que o poder de Deus realize aquilo que Jesus veio para realizar entre nós.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook