Sorteio

sábado, 14 de dezembro de 2019

Evangelho de hoje, domingo, 15/12/2019

Evangelho: Mateus 11,2-11

Aleluia, aleluia, aleluia.
O Espírito do Senhor / sobre mim fez a sua unção; / enviou-me aos empobrecidos / a fazer feliz proclamação! (Is 61,1) – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 2João estava na prisão. Quando ouviu falar das obras de Cristo, enviou-lhe alguns discípulos para lhe perguntarem: 3“És tu aquele que há de vir ou devemos esperar um outro?” 4Jesus respondeu-lhes: “Ide contar a João o que estais ouvindo e vendo: 5os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e os pobres são evangelizados. 6Feliz aquele que não se escandaliza por causa de mim!” 7Os discípulos de João partiram, e Jesus começou a falar às multidões sobre João: “O que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? 8O que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Mas os que vestem roupas finas estão nos palácios dos reis. 9Então, o que fostes ver? Um profeta? Sim, eu vos afirmo, e alguém que é mais do que profeta. 10É dele que está escrito: ‘Eis que envio o meu mensageiro à tua frente; ele vai preparar o teu caminho diante de ti’. 11Em verdade vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no reino dos céus é maior do que ele”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

O evangelho nos dá a notícia de que João Batista está preso e que, da prisão, ele envia mensageiros para saber a respeito de Jesus se seria ele o Messias ou se era preciso esperar por outro. É a dúvida que está na cabeça dele e de muitos outros. Jesus não responde sim ou não aos discípulos do precursor, mas pede que levem a João a notícia das obras que são realizadas por ele: revela-se não por palavras, mas por obras. Pelos frutos, diz Jesus, vocês conhecerão a árvore. Jesus é realmente o verdadeiro Messias tão esperado: cura os doentes, liberta do mal e dá esperança aos pobres. É a nova realidade proposta pelo Mestre. Nele se cumpre o plano divino, pois ele nos revela o amor e a ternura de Deus, como fora anunciado pelos profetas. Num segundo momento, o próprio Jesus apresenta a identidade de João. O Batista não é um caniço agitado pelo vento, que age conforme as circunstâncias; não é alguém representante da classe dominante, pois se fosse não estaria vivendo no deserto; ele é mais que profeta: é o mensageiro que denunciou o luxo e a arrogância dos poderosos e anunciou e preparou a chegada do Mestre.
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte: https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-15-domingo-14

Evangelho de hoje, sábado, 14/12/2019

Evangelho do dia -  Mateus 17,10-13

Aleluia, aleluia, aleluia.
Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas! / Toda carne há de ver a salvação que vem de Deus! (Lc 3,4.6) – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Ao descerem do monte, 10os discípulos perguntaram a Jesus: “Por que os mestres da lei dizem que Elias deve vir primeiro?” 11Jesus respondeu: “Elias vem e colocará tudo em ordem. 12Ora, eu vos digo, Elias já veio, mas eles não o reconheceram. Ao contrário, fizeram com ele tudo o que quiseram. Assim também o Filho do homem será maltratado por eles”. 13Então os discípulos compreenderam que Jesus lhes falava de João Batista. – Palavra da salvação.
Reflexão:

O profeta Elias foi um homem repleto do Espírito de Deus e cheio de coragem e valentia. Enfrentou inimigos do seu povo e de sua fé no Deus único de Israel. Nos dias de Jesus, outro profeta se apresenta com as características de Elias. É João Batista, dotado de fortaleza, coragem e zelo pela causa do Senhor. A João Batista, precursor do Messias, as autoridades puseram na prisão e em seguida o mataram, cortando-lhe a cabeça. A Jesus, o Messias esperado, tratarão de modo semelhante: vão condená-lo e eliminá-lo com a morte na cruz. Os discípulos de Cristo sabem que correm o risco de terem a mesma sorte que seu Mestre: “Se perseguiram a mim, vão perseguir a vocês também” (Jo 15,20).
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte: https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-14-sabado-12

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Precisamos romper com aquilo que nos cega

Com quem vou comparar esta geração? São como crianças sentadas nas praças, que gritam para os colegas dizendo: ‘Tocamos flauta e vós não dançastes. Entoamos lamentações e vós não batestes no peito!’” (Mateus 11,16-17).
A geração de Jesus era uma geração cega, incrédula e indiferente. Sabemos que, quando estamos no meio de uma geração, adquirimos o modo de pensar, de agir e comportar da geração da qual fazemos parte, porque herdamos isso.
E o que nós podemos fazer? Romper com aquilo de negativo que recebemos do ambiente em que estamos, dos tempos em que nós vivemos. Aqueles que romperam com a frieza, com a indiferença dos tempos de Jesus encontraram-no, abriram o coração para Ele e puderam ver a graça de Deus manifestada.
Vivemos num tempo em que também estamos frios, cegos, com os olhos obcecados e obscuros pelas coisas que estamos vivendo, tempos de descobertas e revoluções. Olhemos as revoluções científicas e tecnológicas; estamos na era digital, onde tudo é muito rápido, tudo é para agora, tudo gera muita ansiedade. Basta ver o quanto estamos doentes, o quanto nossas emoções estão abaladas! E as emoções abaladas se tornam emoções frias, cegas e indiferentes à verdade que nos cura.
Rompamos com aquilo de negativo que recebemos do ambiente em que estamos, dos tempos em que nós vivemos
Precisamos romper com a herança e com a carga negativa que recebemos do tempo em que vivemos. Não podemos, simplesmente, seguir a multidão como o boi segue a boiada. Precisamos romper com aquilo que nos cega, que nos ilude e engana, para abrirmos os nossos olhos e enxergarmos a luz e a graça de Deus, porque vemos muitas obscuridades dentro da alma e do coração de cada um de nós.
Precisamos romper com as barreiras negativas que o tempo nos impõe. Precisamos romper com a cegueira e com a ilusão, abrir os olhos para enxergarmos a graça de Deus que está no meio de nós, mas não a vemos. Precisamos romper com o pensamento deste tempo em que estamos, que está voltado para o consumismo, para o modismo e a todas as vaidades que geram verdadeiras ilusões, e enxergarmos a luz da graça, a luz de Deus, a direção d’Ele para nós.
Jesus veio, Ele está no meio de nós, mas não O enxergamos, porque estamos cegos com o tempo que nós vivemos.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Evangelho de hoje, sexta-feira, 13/12/2019

Evangelho do dia - Mateus 11,16-19
Aleluia, aleluia, aleluia.
O Senhor há de vir, acorrei-lhe ao encontro; / é o príncipe da paz. – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus –
Naquele tempo, disse Jesus às multidões: 16“Com quem vou comparar esta geração?
São como crianças sentadas nas praças, que gritam para os colegas, dizendo: 17‘Tocamos
flauta e vós não dançastes. Entoamos lamentações e vós não batestes no peito!’ 18Veio
João, que não come nem bebe, e dizem: ‘Ele está com um demônio’. 19Veio o Filho do homem,
que come e bebe, e dizem: ‘É um comilão e beberrão, amigo de cobradores de impostos e de
pecadores’. Mas a sabedoria foi reconhecida com base em suas obras”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Em outra circunstância, Jesus afirmara: “Esta é uma geração má”. Aqui diz que é uma geração
cabeçuda. Trata-se de pessoas que vivem apegadas, de maneira obstinada, a suas ideias e
convicções e rejeitam o raciocínio e os argumentos dos outros. João Batista e Jesus anunciam
o Reino de Deus e, com modos diferentes de viver, dedicam-se à implantação e ao desenvolvimento
de uma nova sociedade baseada no amor a Deus e ao próximo. Muitos conterrâneos de João e de
Jesus, principalmente os chefes do povo, põem-se contra eles; recusam-se a assumir qualquer
mudança, preferindo manter privilégios. Entretanto, a vida e ações de João e de Jesus provam
que ambos realizam a vontade de Deus.
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-13-sexta-feira-13

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Abramos o nosso coração para que Maria possa entrar

Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel” (Lucas 1,39).
Hoje, celebramos a visita de Maria ao nosso continente americano. Celebramos a visita de Maria à América Latina. Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira de todo esse continente, apareceu a Juan Dieguito para manifestar o amor de Deus ao coração do nosso povo. A América Latina com as suas contradições, com os seus sofrimentos e opressões, vividas desde a sua colonização é amada, querida e está no coração de Deus e jamais abandonada.
A América marcada por povos sofridos, por povos que passam por tantas situações de opressão e pobreza é amada e cuidada por Deus. Nossa Senhora apareceu a Juan Diego para dizer: “Não temas, eu sou Sua mãe”. Nossa Senhora também quer ir à casa de cada um de nós, como Ela foi apressadamente à casa de Isabel para estar com ela, para ser a presença de Deus, para ser a portadora da graça de Deus.
Maria também quer ir à casa de cada um de nós, precisamos abrir as portas assim como Isabel abriu as portas do seu coração para acolher Aquela que trazia o Salvador.
Abra o seu coração, abra as portas da sua alma e da sua casa para que Maria possa entrar
Neste tempo de graça em que vivemos, chamado Advento, que venha o Senhor! E é Maria que vem trazê-Lo para nós, é Maria que porta o Salvador e Ela está de porta em porta. Na porta do nosso coração, na porta da nossa casa, na porta do nosso trabalho, onde quer que nós estejamos, Ela está trazendo, Ela está vindo ao nosso encontro.
Mas assim como há muitas portas fechadas que não se abrem, há muitos corações que também não se abrem para a graça. A mãe terna, compassiva, cheia de amor, ternura e bondade traz para o nosso coração o nosso Salvador.
Abra o seu coração, abra as portas da sua alma e da sua casa para que Maria possa entrar, pois Ela vem nos trazer o Salvador. Abrimos as nossas portas para tantas coisas más, negativas, essas são até maldições para as nossas casas, deixamos entrar tantas coisas por meios que parecem inocentes, mas não são.
Na nossa casa e no nosso coração entra pelas redes sociais, pelos nossos computadores, pela televisão tanta coisa nociva, velha, estragada, que tem nos feito perder a nossa casa, a nossa família, os nossos filhos.
Não levante, não vá dormir e não viva nenhum momento sequer sem abrir o seu coração para que Maria possa entrar, para que Ela possa trazer Jesus, para que Jesus possa varrer e tirar aquilo que nos perde e possa trazer sempre aquilo que nos salva e resgata.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Evangelho de hoje, quinta-feira, 12/12/2019

Evangelho do dia - (Lc 1,39-47)
39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da
Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de
Maria, a criança pulou em seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito,
exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43Como posso merecer que
a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a
criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o
que o Senhor lhe prometeu”. 46Então Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu
espírito se alegra em Deus, meu Salvador”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.
Comentário
A América Latina entoa um grito de esperança e louva agradecida a Mãe dos pobres, pois nosso
continente latino-americano foi visitado pela Virgem Maria, a Senhora de Guadalupe. Sobre as
montanhas de nosso continente desponta a luz da esperança e de uma nova manhã. Em Maria,
o Senhor olhou a angústia de um povo sem liberdade, oprimido pelos sem piedade. Estendeu
sobre ele sua proteção, e na pessoa de São João Diego, um indígena caridoso, a Virgem mostrou
seu amor e sua proteção. Bendita seja a Virgem de Guadalupe, Mãe dos pobres da América Latina.
Oração
Ó Deus, que nos destes a Santa Virgem Maria para amparar-nos como mãe solícita, concedei aos
povos da América Latina, que hoje se alegram com sua proteção, crescer constantemente na fé e
alcançar o desejado progresso no caminho da justiça e da paz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso
Filho, na unidade do Espírito Santo.
Fonte - https://www.a12.com/reze-no-santuario/deus-conosco?data=12%2F12%2F2019

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Jesus é manso e humilde de coração

“Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso” (Mateus 11,28).
Jesus que é manso e humilde de coração, está nos convidando para que encontremos n’Ele o nosso refúgio, o nosso descanso e o nosso sossego. Porque todos nós nos cansamos, nos fadigamos e a vida não tem sido fácil para ninguém. Por isso, que em Deus está o nosso refúgio, o nosso abrigo seguro para que a nossa alma não ande fadigada, cansada, oprimida por tantas situações que lidamos nessa vida.
O convite é para que possamos encontrar no coração de Jesus o repouso para a nossa alma. Deus, nosso Pai, nos criou no amor, e no amor Ele nos cria, nos refaz e nos restaura. No amor somos refeitos em Deus.
O coração de Jesus é o coração amoroso, o coração de Jesus é a plenitude do amor de Deus em nós, é para o coração de Jesus que somos convidados para curar o nosso coração, para restaurar esse coração machucado e ferido que vive tantos dramas, traumas, tantas situações dolorosas, esse coração que se enche de mágoas, rancores, ressentimentos e dores que nos oprimem a cada dia.
O coração de Jesus é humilde, não se deixa levar pelo sentimento de grandeza, não se contamina pelo orgulho
Vinde para o coração de Jesus, porque o coração d’Ele é manso, não é um coração que está agitado pelos ventos e vendavais da vida, é um coração que é sereno e brando. Assim é o coração de Jesus, e é assim que ele também quer fazer com o nosso coração.
O coração de Jesus é humilde, não se deixa levar pelo sentimento de grandeza, não se contamina pelo orgulho, pela avareza ou pela soberba.
O coração de Jesus não se leva pelas ansiedades da vida, e nós que somos tão ansiosos, que estamos com o coração repleto de vaidades, de contrariedades e de situações adversas da vida, precisamos ser curados no coração de Jesus.
Encontremos o nosso refúgio seguro no coração de Deus para sermos curados, aliviados, para olharmos a vida com outros sentimentos e com outro olhar. O olhar da paz, da misericórdia, da mansidão que faz nova todas as coisas. Por isso, encontremos no coração de Jesus o refúgio para o nosso coração.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook