Sorteio

sábado, 15 de junho de 2019

Evangelho de hoje, domingo, 16/06/2019


Evangelho do dia - Jo 16,12-15
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 12“Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora.
13Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará.
14Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará. 15Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso, disse que o que ele receberá e vos anunciará, é meu”. 
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Evangelho de hoje, sábado, 15/06/2019


Evangelho do dia - Mt 5,33-37
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 33“Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: ‘Não jurarás falso, mas cumprirás os teus juramentos feitos ao Senhor’. 34Eu, porém, vos digo: Não jureis de modo algum: nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35nem pela terra, porque é o suporte onde apoia os seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do Grande Rei.
36Não jures tampouco pela tua cabeça, porque tu não podes tornar branco ou preto um só fio de cabelo. 37Seja o vosso ‘sim’: ‘sim’, e o vosso ‘não’: ‘não’. Tudo o que for além disso vem do Maligno”. 
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Que nossos olhos estejam voltados para o bem


Todo aquele que olhar para uma mulher, com o desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela no seu coração” (Mateus 5,28).
A Palavra de Deus é um referencial para nós, não só de conversão. A conversão passa pela purificação e, como precisamos ser purificados das intenções, dos desejos, da malícia que entrou em nós, que está escondida na penumbra dos pensamentos e sentimentos.
A malícia que não é combatida nem purificada gera cobiça, e estamos tratando isso com um certo relativismo moral que a sociedade nos impõe. Talvez, na nossa consciência, possamos dizer: “Eu nunca adulterei”, mas estamos nutrindo sentimentos impuros, ainda mais na era da revolução virtual, digital, onde tão facilmente se passa coisas impuras, sujas, piadas, coisas indecentes, nudes e tantas outras coisas que tiram a pureza do nosso olhar.
O olho é a luz do corpo. Se o olho está contaminado pela impureza, o corpo também vai se contaminar por essa impureza, e as más intenções crescerão em nós.
A verdade é que ninguém comete adultério da noite para o dia, ele primeiro é concebido e gerado. Vamos cultivando aquele sentimento, aquela relação de uma forma fria, como se não tivesse nada, mas à medida que alimentamos e deixamos isso crescer em nós, o desejo é concebido.
Davi, quando pecou, ele primeiro olhou, cobiçou aquela que estava tomando banho, ele a viu do seu palácio. Podia ter ficado ali, mas ele correu atrás do que cobiçou. Muitas vezes, estamos deixando o nosso coração crescer em desejos impuros, cobiçamos aquilo que não nos pertence. Se alimentamos, depois não damos conta.
Para ter um corpo na santidade, é preciso ter um olho que seja voltado para o bem
Cada um olhe para si, para o seu próprio coração e para a sua própria vida, mas não alimente os desejos impuros, porque esses desejos alimentados, depois são difíceis de serem combatidos.
Peça ajuda, procure direção espiritual, procure uma boa confissão, mas não trate de qualquer jeito, porque nenhum de nós pode dizer que não vai cair, nenhum de nós pode condenar aquele que caiu, mas precisamos cuidar de nós para cuidarmos uns dos outros. Precisamos cuidar da pureza do nosso olhar, da pureza das nossas intenções e da nossa vontade. Para ter um corpo na santidade precisamos ter um olho que seja voltado para o bem.
A sociedade pansexual, pornográfica e moral… nem mesmo nossas crianças estão imunes a isso. Por isso, pais, cuidem bem do que entra pelos celulares, computadores, programas de televisão, para que o mal não vá morar em nossa casa, pois, depois, é difícil mandá-lo embora. É preciso cuidar para depois não sucumbir.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Horário de missas na paróquia


Acesse nossas redes sociais


Evangelho de hoje, sexta-feira, 14/06/2019

Evangelho do dia - Mt 5,27-32
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 27“Ouvistes o que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. 28Eu, porém, vos digo:Todo aquele que olhar para uma mulher, com o desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela no seu coração. 29Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e joga-o para longe de ti! De fato, é melhor perder um de teus membros, do que todo o teu corpo ser jogado no inferno. 30Se tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e joga-a para longe de ti! De fato, é melhor perder um dos teus membros, do que todo o teu corpo ir para o inferno.
31Foi dito também: ‘Quem se divorciar de sua mulher, dê-lhe uma certidão de divórcio’. 32Eu, porém, vos digo: Todo aquele que se divorcia de sua mulher, a não ser por motivo de união irregular, faz com que ela se torne adúltera; e quem se casa com a mulher divorciada comete adultério”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Santo Antônio, rogai por nós!!!


Neste dia, celebramos a memória do popular santo – doutor da Igreja – que nasceu em Lisboa, no ano de 1195, e morreu nas vizinhanças da cidade de Pádua, na Itália, em 1231, por isso é conhecido como Santo Antônio de Lisboa ou de Pádua. O nome de batismo dele era Fernando de Bulhões y Taveira de Azevedo.
Ainda jovem pertenceu à Ordem dos Cônegos Regulares, tanto que pôde estudar Filosofia e Teologia, em Coimbra, até ser ordenado sacerdote. Não encontrou dificuldade nos estudos, porque era de inteligência e memória formidáveis, acompanhadas por grande zelo apostólico e santidade. Aconteceu que em Portugal, onde estava, Antônio conheceu a família dos Franciscanos, que não só o encantou pelo testemunho dos mártires em Marrocos, como também o arrastou para a vida itinerante na santa pobreza, uma vez que também queria testemunhar Jesus com todas as forças.
Ao ir para Marrocos, Antônio ficou tão doente que teve de voltar, mas providencialmente foi ao encontro do “Pobre de Assis”, o qual lhe autorizou a ensinar aos frades as ciências que não atrapalhassem os irmãos de viverem o Santo Evangelho. Neste sentido, Santo Antônio não fez muito, pois seu maior destaque foi na vivência e pregação do Evangelho, o que era confirmado por muitos milagres, além de auxiliar no combate à Seita dos Cátaros e Albigenses, os quais isoladamente viviam uma falsa doutrina e pobreza. Santo Antônio serviu sua família franciscana através da ocupação de altos cargos de serviço na Ordem, isto até morrer com 36 anos para esta vida e entrar para a Vida Eterna.
Santo Antônio, rogai por nós!
Fonte - https://santo.cancaonova.com/santo/santo-antonio-doutor-da-igreja/