Sorteio

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Deus nos dá liberdade de escolha


Os anciãos de Israel disseram a Samuel: “Por isso, estabelece sobre nós um rei, para que exerça a justiça entre nós, como se faz em todos os povos”. (1Sm 8,4-7)
Samuel, já ficando velho, idoso, seus filhos não seguiam todos os passos dele, por isso os anciãos preocupados foram fazer um pedido para Samuel, e esse pedido foi determinante para toda história de Israel.
O povo, os anciãos, foram pedir: “Nós queremos ter um rei, um rei que reine, de fato, sobre nós, que exerça autoridade sobre nós, porque todos os povos têm um rei, mas nós não o temos, e queremos ser como todos os outros povos.
É preciso dizer que o povo de Israel não era um povo melhor que os outros povos, mas era diferente, porque, já que todos os povos tinham um rei, quem reinava sobre Israel era o próprio Senhor. Os juízes, os profetas, aqueles que estavam à frente do povo, eram intermediários da graça de Deus que regia aquele povo. No entanto, a partir dos seus anciãos, Israel não queria mais ser governado por Deus, eles queriam ter um rei como todos os outros povos. Foi assim, então, que Samuel foi se apresentar todo triste na presença de Deus, dizendo que aquele povo o estava rejeitando. “Não Samuel, não é a ti que esse povo está rejeitando; é a mim. E já que esse povo quer um rei como todos os outros povos, deixa que esse povo tenha um rei como eles querem no coração deles, com todas as consequências que virão a partir disso”.

Deus nos dá liberdade de escolhermos aquilo que queremos ser

Permita-me lhe dizer: Deus nos dá a liberdade de escolhermos aquilo que queremos ser. Todos nós temos esse anseio de emancipação; e, muitas vezes, o anseio de sermos iguais a todo mundo. Se todo mundo faz, por que que eu não posso fazer? Se todo mundo procede assim, por que eu também não posso? Se está todo mundo pecando, por que eu também não posso pecar?
Enfim, aquilo que achamos ser justiça, na verdade, é a grande injustiça que nós cometemos com nós mesmos, porque Deus nos escolheu, Ele nos separou para cuidar de nós, para nos ensinar o caminho da vida, da salvação, da libertação. Existe, porém, um mundo que nos atrai, que nos puxa, e existe um mundo que puxa os nossos também, de modo que nós nos cansamos de ser diferentes.
Eu volto a dizer que quem quer ser de Deus não quer ser melhor que ninguém, mas precisa ser diferente, porque, enquanto estamos no mundo, o mundo nos governa, com as suas tendências, com as suas forças, com seus atrativos para que sejamos iguais a todos. Mas quando permanecemos em Deus, é a Ele que obedecemos, é esse espírito de rebeldia que toma conta de muitos de nós, de nossos filhos, de nossas famílias, porque se está todo mundo fazendo, porque é que nós não podemos fazer? E a resposta é muito simples: porque nós pertencemos a Deus, porque nós somos o povo de Deus.
Nós precisamos ser governados pelo Senhor. Israel sofreu e pagou um preço muito caro quando fez a opção de não deixar de ser do Senhor, mas ser igual a outros povos. Que nós não queiramos ser iguais aos outros, mas que queiramos ser do Senhor e ser o povo d’Ele.
Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook


Evangelho de hoje, 17/01/2020

Evangelho: Marcos 2,1-12

Aleluia, aleluia, aleluia.
Um grande profeta surgiu entre nós, / e Deus visitou o seu povo, aleluia (Lc 7,16). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – 1Alguns dias depois, Jesus entrou de novo em Cafarnaum. Logo se espalhou a notícia de que ele estava em casa. 2E reuniram-se ali tantas pessoas, que já não havia lugar nem mesmo diante da porta. E Jesus anunciava-lhes a Palavra. 3Trouxeram-lhe, então, um paralítico, carregado por quatro homens. 4Mas não conseguindo chegar até Jesus, por causa da multidão, abriram então o teto, bem em cima do lugar onde ele se encontrava. Por essa abertura desceram a cama em que o paralítico estava deitado. 5Quando viu a fé daqueles homens, Jesus disse ao paralítico: “Filho, os teus pecados estão perdoados”. 6Ora, alguns mestres da lei, que estavam ali sentados, refletiam em seus corações: 7“Como este homem pode falar assim? Ele está blasfemando: ninguém pode perdoar pecados, a não ser Deus”. 8Jesus percebeu logo o que eles estavam pensando no seu íntimo e disse: “Por que pensais assim em vossos corações? 9O que é mais fácil, dizer ao paralítico: ‘Os teus pecados estão perdoados’ ou dizer: ‘Levanta-te, pega a tua cama e anda’? 10Pois bem, para que saibais que o Filho do homem tem, na terra, poder de perdoar pecados” – disse ele ao paralítico –, 11“eu te ordeno: levanta-te, pega tua cama e vai para tua casa!” 12O paralítico então se levantou e, carregando a sua cama, saiu diante de todos. E ficaram todos admirados e louvavam a Deus, dizendo: “Nunca vimos uma coisa assim”. 
– Palavra da salvação.
-Glória a Vós Senhor!

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Evangelho de hoje, quarta-feira, 15/01/2020

Evangelho: Marcos 1,21-28

Aleluia, aleluia, aleluia.
Acolhei a Palavra de Deus / não como palavra humana, / mas como mensagem de Deus, / o que ela é, em verdade! (1Ts 2,13) – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – 21Estando com seus discípulos em Cafarnaum, Jesus, num dia de sábado, entrou na sinagoga e começou a ensinar. 22Todos ficavam admirados com o seu ensinamento, pois ensinava como quem tem autoridade, não como os mestres da lei. 23Estava então na sinagoga um homem possuído por um espírito mau. Ele gritou: 24“Que queres de nós, Jesus nazareno? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: tu és o santo de Deus”. 25Jesus o intimou: “Cala-te e sai dele!” 26Então o espírito mau sacudiu o homem com violência, deu um grande grito e saiu. 27E todos ficaram muito espantados e perguntavam uns aos outros: “O que é isso? Um ensinamento novo, dado com autoridade: ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem!” 28E a fama de Jesus logo se espalhou por toda parte, em toda a região da Galileia. 
– Palavra da salvação.
- Glória a vós Senhor!

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Precisamos de autoridade para expulsar o maligno de nossa vida

Jesus o intimou: “Cala-te e sai dele! Então o espírito mau sacudiu o homem com violência, deu um grande grito e saiu” (Marcos 1,25-26).
A verdade é que os espíritos malignos estão perturbando o mundo, a nossa vida, as nossas casas e nossas famílias. Os espíritos malignos são perturbadores mesmo. O espírito mau que tomou conta da vida desse homem tirou dele o sentido e a razão de viver.
Se deixarmos os espíritos maus morarem em nós, eles também agirão em nossa vida. Não podemos negar quanta coisa do mal está reinando no meio de nós, porque o espírito do mal não é só aquela possessão diabólica, mas são os sentimentos diabólicos que tomam conta da vida e dos relacionamentos humanos.
Quando não é um sentimento de possessão, as pessoas estão possuindo umas às outras no sentido de posse. O maligno faz mais, porque ele lança o espírito do ciúme, da inveja, da competição, e vai articulando, vai jogando e semeando entre nós discórdias, espírito de disputa, colocando-nos uns contra os outros. Ele semeia a discórdia e a maledicência, por isso estamos falando mal uns dos outros.
O maligno é perturbador na nossa própria mente. Quando deixamos que ele violentamente aja em nós, não conseguimos controlar a nossa ira, a nossa raiva, simplesmente explodimos uns contra os outros, dizemos coisas pesadas.

Precisamos ter autoridade para que o mal não mande em nossa vida

Há bocas que já foram consagradas ao maligno, porque facilmente falam palavrões, palavras feias, palavras torpes, pesadas, palavras de maldição.
Como ele é invocado em palavras tão malditas que saem da boca de muitos de nós! Vemos pais gritando com filhos, e filhos que estão gritando com seus pais. Não podemos deixar que um filho fale alto com seu pai. Um pai e uma mãe não podem fazer da sua casa uma gritaria, onde tudo é resolvido no grito, na pancadaria, porque o maligno quer que a nossa casa seja um inferno.
Quando estou escutando alguém dizer: “A minha vida está um inferno”. Se a sua vida está um inferno, é porque o maligno está fazendo festa dentro de você, perto de você. Nas nossas relações de trabalho e convivência humana, precisamos da autoridade de Jesus para expulsar esses espíritos malignos, inclusive, intimando: “Cala-te. Sai dele”.
Não permitamos que esses espíritos malignos falem em nós, ajam em nós, mas se calem e saiam da nossa vida, ainda que cause um rebuliço e uma violência, como neste homem, mas que sejamos libertos na autoridade de Jesus.
Quem não tem autoridade sobre a sua própria vida, sobre seus sentimentos e pensamentos, não terá autoridade na sua casa, na sua família, em nada que você for empreender. Eles admiravam Jesus, porque Ele ensinava com autoridade, mas Ele tinha autoridade sobre o poder do mal, por isso precisamos ter autoridade, para que o mal não mande em nossa vida.
Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Evangelho de hoje, terça-feira,14/01/2020

Evangelho: Marcos 1,21-28

Aleluia, aleluia, aleluia.
Acolhei a Palavra de Deus / não como palavra humana, / mas como mensagem de Deus, / o que ela é, em verdade! (1Ts 2,13) – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – 21Estando com seus discípulos em Cafarnaum, Jesus, num dia de sábado, entrou na sinagoga e começou a ensinar. 22Todos ficavam admirados com o seu ensinamento, pois ensinava como quem tem autoridade, não como os mestres da lei. 23Estava então na sinagoga um homem possuído por um espírito mau. Ele gritou: 24“Que queres de nós, Jesus nazareno? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: tu és o santo de Deus”. 25Jesus o intimou: “Cala-te e sai dele!” 26Então o espírito mau sacudiu o homem com violência, deu um grande grito e saiu. 27E todos ficaram muito espantados e perguntavam uns aos outros: “O que é isso? Um ensinamento novo, dado com autoridade: ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem!” 28E a fama de Jesus logo se espalhou por toda parte, em toda a região da Galileia. 
– Palavra da salvação.
-Glória a vós Senhor!

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Evangelho de hoje, segunda-feira, 13/01/2020

Evangelho: Marcos 1,14-20

Aleluia, aleluia, aleluia.
Convertei-vos e crede no evangelho, / pois o reino de Deus está chegando! (Mc 1,15) – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – 14Depois que João Batista foi preso, Jesus foi para a Galileia, pregando o evangelho de Deus e dizendo: 15“O tempo já se completou e o reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no evangelho!” 16E, passando à beira do mar da Galileia, Jesus viu Simão e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. 17Jesus lhes disse: “Segui-me e eu farei de vós pescadores de homens”. 18E eles, deixando imediatamente as redes, seguiram a Jesus. 19Caminhando mais um pouco, viu também Tiago e João, filhos de Zebedeu. Estavam na barca, consertando as redes; 20e logo os chamou. Eles deixaram seu pai, Zebedeu, na barca com os empregados e partiram, seguindo Jesus. 
– Palavra da salvação.
-Glória a vós Senhor"

sábado, 11 de janeiro de 2020

Evangelho de hoje, domingo, 12/01/2020

Evangelho: Mateus 3,13-17

Aleluia, aleluia, aleluia.
Abriram-se os céus / e fez-se ouvir a voz do Pai: / Eis meu Filho muito amado; / escutai-o, todos vós! (Mc 9,7) – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 13Jesus veio da Galileia para o rio Jordão, a fim de se encontrar com João e ser batizado por ele. 14Mas João protestou, dizendo: “Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?” 15Jesus, porém, respondeu-lhe: “Por enquanto deixa como está, porque nós devemos cumprir toda a justiça!” E João concordou. 16Depois de ser batizado, Jesus saiu logo da água. Então o céu se abriu e Jesus viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo pousar sobre ele. 17E do céu veio uma voz que dizia: “Este é o meu Filho amado, no qual eu pus o meu agrado”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Jesus, saindo do anonimato, vai ao encontro de João Batista e, misturado com a multidão, busca o batismo. Cerca de trinta anos se passaram desde seu nascimento. Jesus percebe que a missão dele vai além de ser um simples carpinteiro: uma voz vinda do céu o revela como “Filho amado”. João tenta resistir, mas Jesus insiste em ser batizado, pois tem a missão de “cumprir toda a justiça”. Ao receber o batismo, inicia sua caminhada missionária, manifestando-se publicamente ao mundo – epifania que chega ao auge já não pela estrela, mas pela voz do Pai. Sua grande missão é revelar a justiça, a misericórdia e a bondade do Pai, para que contagiem a humanidade e a tornem mais fraterna e solidária. A exemplo de Jesus, nós também, mediante o batismo, somos inseridos na comunidade para realizar a missão que o Pai nos confiou. Com o batismo do Senhor, conclui-se o tempo natalino e abre-se a primeira etapa do Tempo Comum.
Oração
Ó Jesus, Filho amado do Pai celeste, teu batismo prefigura o batismo cristão, pelo qual somos purificados dos pecados, recebemos a graça do Espírito Santo e nos tornamos filhos adotivos de Deus Pai. Ajuda-nos a viver os compromissos do nosso batismo, para produzirmos generosos frutos para o teu Reino. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-12-domingo-12