Sorteio

sexta-feira, 5 de junho de 2020

Liturgia diária. Sexta -feira, 05/06/2020

 
DIA 5 – SEXTA-FEIRA
   
SÃO BONIFÁCIO, BISPO E MÁRTIR*
(vermelho, pref. dos mártires – ofício da memória)
A luz eterna brilhará para os vossos santos, Senhor, e eles viverão eternamente, aleluia (4Esd 2,35).
Primeira Leitura: 2 Timóteo 3,10-17

Leitura da segunda carta de são Paulo a Timóteo – Caríssimo, 10tu me tens seguido fielmente no ensino, no procedimento, nos projetos, na fé, na paciência, no amor, na perseverança, 11nas perseguições e nos sofrimentos que suportei em Antioquia, Icônio e Listra. E que perseguições sofri! Mas de todas elas o Senhor me livrou. 12Aliás, todos os que quiserem levar uma vida fervorosa em Cristo Jesus serão perseguidos. 13Os homens maus e sedutores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados. 14Permanece firme naquilo que aprendeste e aceitaste como verdade; tu sabes de quem o aprendeste. 15Desde a infância conheces as Sagradas Escrituras: elas têm o poder de te comunicar a sabedoria que conduz à salvação pela fé em Cristo Jesus. 16Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, para argumentar, para corrigir e para educar na justiça, 17a fim de que o homem de Deus seja perfeito e qualificado para toda boa obra. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: (119/118)

Os que amam vossa lei têm grande paz!
1. Tantos são os que me afligem e perseguem, / mas eu nunca deixarei vossa aliança! – R.
2. Vossa palavra é fundada na verdade, / os vossos justos julgamentos são eternos. – R.
3. Os poderosos me perseguem sem motivo; / meu coração, porém, só teme a vossa lei. – R.
4. Os que amam vossa lei têm grande paz, / e não há nada que os faça tropeçar. – R.
5. Ó Senhor, de vós espero a salvação, / pois eu cumpro sem cessar vossos preceitos. – R.
6. Serei fiel à vossa lei, vossa aliança; / os meus caminhos estão todos ante vós. – R.
Evangelho: Marcos 12,35-37

Aleluia, aleluia, aleluia.
Quem me ama, realmente, guardará minha palavra e meu Pai o amará e a ele nós viremos (Jo 14,23). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 35Jesus ensinava no templo, dizendo: “Como é que os mestres da lei dizem que o Messias é filho de Davi? 36O próprio Davi, movido pelo Espírito Santo, falou: ‘Disse o Senhor ao meu Senhor: senta-te à minha direita, até que eu ponha teus inimigos debaixo dos teus pés’. 37Portanto, o próprio Davi chama o Messias de Senhor. Como é que ele pode então ser seu filho?” E uma grande multidão o escutava com prazer. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Dizer que Jesus é “filho de Davi” dava a entender que o Messias/Jesus haveria de restaurar o sistema de monarquia e expulsar, por meio da força, os ocupantes estrangeiros. Jesus corrige essa doutrina com palavras atribuídas ao próprio Davi (Salmo 110,1) pronunciadas sob inspiração do Espírito Santo. Jesus é superior a Davi em dignidade  e seu reino será muito mais vasto que o de Davi (“não terá fim”). O messianismo de Jesus não é o da violência contra o povo, mas é o da entrega da própria vida em benefício de todos. Desse modo, Jesus desqualifica o ensinamento dos doutores da Lei e provoca reação favorável na multidão que o “escutava com prazer”. Escutar com prazer não é suficiente; é necessário compreender Jesus e acompanhá-lo até a cruz.
Oração
Ó Jesus Mestre, o povo esperava um Messias descendente e sucessor de Davi, poderoso guerreiro que, por meio da força, viria restaurar a glória de Israel. No entanto, és o Messias que caminha para a cruz. És, de fato, filho de Davi, mas és também o Senhor dele. És o Filho de Deus. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-5-sexta-feira-13/#.XtjYmcBv_IU

quinta-feira, 4 de junho de 2020

Horário de missas transmitidas pelo INSTAGRAN durante o Isolamento Social


Liturgia Diária. Quinta-feira, 04/06/2020

 
DIA 4 – QUINTA-FEIRA
   
9ª SEMANA COMUM
(verde – ofício do dia)
Olhai para mim, Senhor, e tende piedade, pois vivo sozinho e infeliz. Vede minha miséria e minha dor e perdoai todos os meus pecados! (Sl 24,16.18)
Primeira Leitura: 2 Timóteo 2,8-15

Leitura da segunda carta de são Paulo a Timóteo – Caríssimo, 8lembra-te de Jesus Cristo, da descendência de Davi, ressuscitado dentre os mortos, segundo o meu evangelho. 9Por ele eu estou sofrendo até as algemas, como se eu fosse um malfeitor; mas a palavra de Deus não está algemada. 10Por isso suporto qualquer coisa pelos eleitos, para que eles também alcancem a salvação, que está em Cristo Jesus, com a glória eterna. 11Merece fé esta palavra: se com ele morremos, com ele viveremos. 12Se com ele ficamos firmes, com ele reinaremos. Se nós o negamos, também ele nos negará. 13Se lhe somos infiéis, ele permanece fiel, pois não pode negar-se a si mesmo. 14Lembra-lhes tais coisas e conjura-os por Deus a evitarem discussões vãs, que de nada servem a não ser para a perdição dos ouvintes. 15Empenha-te em apresentar-te diante de Deus como homem digno de aprovação, como operário que não tem de que se envergonhar, mas expõe corretamente a palavra da verdade. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: (25/24)

Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos!
1. Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos / e fazei-me conhecer a vossa estrada! / Vossa verdade me oriente e me conduza, / porque sois o Deus da minha salvação. – R.
2. O Senhor é piedade e retidão / e reconduz ao bom caminho os pecadores. / Ele dirige os humildes na justiça / e aos pobres ele ensina o seu caminho. – R.
3. Verdade e amor são os caminhos do Senhor / para quem guarda sua aliança e seus preceitos. / O Senhor se torna íntimo aos que o temem / e lhes dá a conhecer sua aliança. – R.
Evangelho: Marcos 12,28-34

Aleluia, aleluia, aleluia.
Jesus Cristo salvador destruiu o mal e a morte; fez brilhar pelo evangelho a luz e a vida imperecíveis (2Tm 1,10). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 28um mestre da lei aproximou-se de Jesus e perguntou-lhe: “Qual é o primeiro de todos os mandamentos?” 29Jesus respondeu: “O primeiro é este: Ouve, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor. 30Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força! 31O segundo mandamento é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo! Não existe outro mandamento maior do que estes”. 32O mestre da lei disse a Jesus: “Muito bem, mestre! Na verdade, é como disseste: ele é o único Deus e não existe outro além dele. 33Amá-lo de todo o coração, de toda a mente e com toda a força e amar o próximo como a si mesmo é melhor do que todos os holocaustos e sacrifícios”. 34Jesus viu que ele tinha respondido com inteligência e disse: “Tu não estás longe do reino de Deus”. E ninguém mais tinha coragem de fazer perguntas a Jesus. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Até agora, Jesus vem sendo atacado por representantes das autoridades judaicas, com o objetivo de vê-lo cair em contradição ou posicionar-se radicalmente contra o governo. De todas as tramoias, Jesus tem-se livrado de modo brilhante, enquanto nos deixa ensinamentos perenes. No episódio aqui descrito, um doutor da Lei, de boa índole e respeitoso com Jesus, apresenta-lhe uma questão central na lei judaica: Qual é o primeiro de todos os mandamentos? Com a citação de dois textos bíblicos (Dt 6,4-5; Lv 19,18), Jesus harmoniza o amor a Deus com o amor ao próximo. Não se pode amar a Deus sem amar o próximo. E o amor ao próximo é reflexo ou consequência do amor a Deus. Todas as outras leis e tradições estão submetidas a este núcleo. Ensinamento ao alcance de todos. Mais exigente é praticá-lo.
Oração
Senhor Jesus, respondes, com precisão, ao mestre da Lei sobre “qual é o primeiro de todos os mandamentos”: amar a Deus acima de todas as coisas. E a este vinculas o segundo: amar ao próximo como a si mesmo. Ajuda-nos, Senhor, a viver segundo essas duas dimensões do amor. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/?gclid=Cj0KCQiAkKnyBRDwARIsALtxe7hM1FDt5JOpsnmMWDmdw9iuwvfn58jLvGmhnPLa1ZGIqRE-g5YxD7EaApywEALw_wcB#.XtjYBsBv_IW

quarta-feira, 3 de junho de 2020

Hoje teremos nosso Terço da Família. Participe!!!


Liturgia diária. Quarta-feira, 03/06/2020

 
DIA 3 – QUARTA-FEIRA
   
SÃO CARLOS LWANGA E COMPANHEIROS, MÁRTIRES
(vermelho, pref. dos mártires – ofício da memória)
Eis os santos que venceram graças ao sangue do Cordeiro. Preferiram morrer a renegar o Cristo; por isso reinam com ele para sempre, aleluia (Ap 12,11).
Primeira Leitura: 2 Timóteo 1,1-3.6-12

Início da segunda carta de são Paulo a Timóteo – 1Paulo, apóstolo de Jesus Cristo pelo desígnio de Deus referente à promessa de vida que temos em Cristo Jesus, 2a Timóteo, meu querido filho: graça, misericórdia e paz da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor! 3Dou graças a Deus, a quem sirvo com a consciência pura, como aprendi dos meus antepassados, quando me lembro de ti, dia e noite, nas minhas orações. 6Por esse motivo, exorto-te a reavivar a chama do dom de Deus que recebeste pela imposição das minhas mãos. 7Pois Deus não nos deu um espírito de timidez, mas de fortaleza, de amor e sobriedade. 8Não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor nem de mim, seu prisioneiro, mas sofre comigo pelo evangelho, fortificado pelo poder de Deus. 9Deus nos salvou e nos chamou com uma vocação santa, não devido às nossas obras, mas em virtude do seu desígnio e da sua graça, que nos foi dada em Cristo Jesus desde toda a eternidade. 10Essa graça foi revelada agora, pela manifestação de nosso salvador, Jesus Cristo. Ele não só destruiu a morte, como também fez brilhar a vida e a imortalidade por meio do evangelho, 11do qual fui constituído anunciador, apóstolo e mestre. 12Essa é a causa pela qual estou sofrendo, mas não me envergonho, porque sei em quem coloquei a minha fé. E tenho a certeza de que ele é capaz de guardar aquilo que me foi confiado até o grande dia. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: (123/122)

Ó Senhor, para vós eu levanto meus olhos.
1. Eu levanto os meus olhos para vós, / que habitais nos altos céus. / Como os olhos dos escravos estão fitos / nas mãos do seu senhor. – R.
2. Como os olhos das escravas estão fitos / nas mãos de sua senhora, / assim os nossos olhos, no Senhor, / até de nós ter piedade. – R.
Evangelho: Marcos 12,18-27

Aleluia, aleluia, aleluia.
Eu sou a ressurreição, eu sou a vida, quem crê em mim, ainda que morra, viverá (Jo 11,25s). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 18vieram ter com Jesus alguns saduceus, os quais afirmam que não existe ressurreição, e lhe propuseram este caso: 19“Mestre, Moisés deu-nos esta prescrição: se morrer o irmão de alguém e deixar a esposa sem filhos, o irmão desse homem deve casar-se com a viúva, a fim de garantir a descendência de seu irmão. 20Ora, havia sete irmãos; o mais velho casou-se e morreu sem deixar descendência. 21O segundo casou-se com a viúva e morreu sem deixar descendência. E a mesma coisa aconteceu com o terceiro. 22E nenhum dos sete deixou descendência. Por último, morreu também a mulher. 23Na ressurreição, quando eles ressuscitarem, de quem será ela mulher? Porque os sete se casaram com ela!” 24Jesus respondeu: “Acaso, vós não estais enganados por não conhecerdes as Escrituras nem o poder de Deus? 25Com efeito, quando os mortos ressuscitarem, os homens e as mulheres não se casarão, pois serão como os anjos do céu. 26Quanto ao fato da ressurreição dos mortos, não lestes, no livro de Moisés, na passagem da sarça ardente, como Deus lhe falou: ‘eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó’? 27Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos! Vós estais muito enganados”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Os saduceus não admitiam outra vida depois da morte. Eram materialistas. O horizonte deles era esta vida e nela procuravam manter sua posição de poder e de privilégio. Ao responder ao caso proposto por eles, Jesus atinge também os fariseus. Estes acreditavam na ressurreição e em outra vida, que imaginavam como retorno à vida terrena em condições de total bem-estar. Jesus esclarece: a vida após a morte não é simples retorno ou repetição da vida anterior vivida neste mundo. Trata-se de vida em outra dimensão, “como os anjos”. Bem outro é o esquema da vida eterna. Nela não há matrimônio nem necessidade de procriação para conservar a espécie humana. Quanto à ressurreição dos mortos, a Escritura nos ilumina: o Deus de Jesus é o Deus da vida, porque sua força é a força da vida. Vida sem fim.
Oração
Senhor e Mestre, ao responderes aos saduceus, tu nos ensinas sobre a vida depois desta vida. Não há motivo para constituir família nem garantir descendência, pois seremos “como anjos nos céus”. Sem depender dos esquemas atuais, a vida assume nova dimensão. Criatividade reservada ao poder divino! Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-3-quarta-feira-13/#.XtD_TcBv_IU

terça-feira, 2 de junho de 2020

Liturgia diária. Terça-feira, 02/06/2020

 
DIA 2 – TERÇA-FEIRA
   
9ª SEMANA COMUM
(verde – ofício do dia da 1ª semana)
Olhai para mim, Senhor, e tende piedade, pois vivo sozinho e infeliz. Vede minha miséria e minha dor e perdoai todos os meus pecados! (Sl 24,16.18)
Primeira Leitura: 2 Pedro 3,12-15.17-18

Leitura da segunda carta de são Pedro – Caríssimos, 12esperais com anseio a vinda do dia de Deus, quando os céus em chama se vão derreter e os elementos, consumidos pelo fogo, se fundirão? 13O que nós esperamos, de acordo com a sua promessa, são novos céus e uma nova terra, onde habitará a justiça. 14Caríssimos, vivendo nessa esperança, esforçai-vos para que ele vos encontre numa vida pura e sem mancha e em paz. 15Considerai também como salvação a longanimidade de nosso Senhor. 17Vós, portanto, bem-amados, sabendo disso com antecedência, precavei-vos, para não suceder que, levados pelo engano destes ímpios, percais a própria firmeza. 18Antes procurai crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, desde agora, até o dia da eternidade. Amém. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: (90/89)

Ó Senhor, vós fostes sempre um refúgio para nós!
1. Já bem antes que as montanhas fossem feitas ou a terra e o mundo se formassem, / desde sempre e para sempre vós sois Deus. – R.
2. Vós fazeis voltar ao pó todo mortal, / quando dizeis: “Voltai ao pó, filhos de Adão!” / Pois mil anos para vós são como ontem, / qual vigília de uma noite que passou. – R.
3. Pode durar setenta anos nossa vida, / os mais fortes talvez cheguem a oitenta; / a maior parte é ilusão e sofrimento: / passam depressa e também nós assim passamos. – R.
4. Saciai-nos de manhã com vosso amor, / e exultaremos de alegria todo o dia! / Manifestai a vossa obra a vossos servos / e a seus filhos revelai a vossa glória! – R.
Evangelho: Marcos 12,13-17

Aleluia, aleluia, aleluia.
Que o Pai do Senhor Jesus Cristo vos dê do saber o Espírito, para que conheçais a esperança reservada para vós como herança! (Ef 1,17s) – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 13as autoridades mandaram alguns fariseus e alguns partidários de Herodes para apanharem Jesus em alguma palavra. 14Quando chegaram, disseram a Jesus: “Mestre, sabemos que tu és verdadeiro e não dás preferência a ninguém. Com efeito, tu não olhas para as aparências do homem, mas ensinas, com verdade, o caminho de Deus. Dize-nos: é lícito ou não pagar o imposto a César? Devemos pagar ou não?” 15Jesus percebeu a hipocrisia deles e respondeu: “Por que me tentais? Trazei-me uma moeda para que eu a veja”. 16Eles levaram a moeda, e Jesus perguntou: “De quem é a figura e a inscrição que estão nessa moeda?” Eles responderam: “De César”. 17Então Jesus disse: “Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”. E eles ficaram admirados com Jesus. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Os fariseus eram contra os ocupantes romanos. Os herodianos, ao invés, eram aliados do governo de Roma. Adversários entre eles, ajuntavam-se para atacar uma presa comum, o Mestre Jesus. Queriam que ele se pronunciasse sobre a obrigação de pagar o imposto ao imperador. Prontamente, Jesus põe tudo no devido lugar. Se há imposto estabelecido, é porque os chefes judeus aceitaram o domínio do imperador, estão usando o dinheiro de César. Então “devolvam a César o que é de César”. Só renunciando a esse dinheiro deixarão de reconhecer César como senhor. Entretanto, há uma nação inteira que precisa ser respeitada e não pode sofrer e agonizar por causa dos pesados impostos (devolvam a Deus o que é de Deus). O povo é de Deus. Deus é o Senhor absoluto.
Oração
Ó Jesus Mestre, fariseus e herodianos pretendem confundir-te: estás a favor do imperador ou contra? Sabiamente te pões do lado do povo. César não é senhor absoluto. Senhor absoluto da História é Deus, a quem todos devem servir. Ensina, Senhor, nossos dirigentes a governar com justiça. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-2-terca-feira-11/#.XtD-_8Bv_IU

segunda-feira, 1 de junho de 2020

Liturgia diária. Segunda-feira, 01/06/2020

 
DIA 1 – SEGUNDA-FEIRA
   
MARIA, MÃE DA IGREJA
(branco, pref. de Maria, modelo e Mãe da Igreja – ofício da memória)
Os discípulos unidos perseveravam em oração com Maria, a Mãe de Jesus (At 1,14).
Primeira Leitura: Atos 1,12-14

Leitura dos Atos dos Apóstolos – Depois que Jesus subiu ao céu, 12os apóstolos voltaram para Jerusalém, vindo do monte das Oliveiras, que fica perto de Jerusalém, a mais ou menos um quilômetro. 13Entraram na cidade e subiram para a sala de cima, onde costumavam ficar. Eram Pedro e João, Tiago e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão zelota e Judas, filho de Tiago. 14Todos eles perseveravam na oração em comum, junto com algumas mulheres, entre as quais Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos de Jesus. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 86(87)

Dizem coisas gloriosas da cidade do Senhor.
1. O Senhor ama a cidade / que fundou no monte santo; / ama as portas de Sião / mais que as casas de Jacó. – R.
2. Dizem coisas gloriosas / da cidade do Senhor. / De Sião, porém, se diz: “Nasceu nela todo homem; / Deus é sua segurança”. – R.
3. Deus anota no seu livro, onde inscreve os povos todos: / “Foi ali que estes nasceram”. / E por isso todos juntos / a cantar se alegrarão; / e, dançando, exclamarão: / “Estão em ti as nossas fontes!” – R.
Evangelho: João 19,25-34

Aleluia, aleluia, aleluia.
Sois feliz, Virgem Maria, / e mereceis todo louvor, / pois de vós se levantou / o Sol brilhante da justiça! – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo João – Naquele tempo, 25perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. 26Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, este é o teu filho”. 27Depois disse ao discípulo: “Esta é a tua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo. 28Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse até o fim, disse: “Tenho sede”. 29Havia ali uma jarra de vinagre. Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus. 30Ele tomou o vinagre e disse: “Tudo está consumado”. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. 31Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz. 32Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus. 33Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; 34mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Mediante Decreto da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, publicado em 11/02/2018, o Papa Francisco instituiu a memória da “Bem-Aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja”, a ser celebrada na segunda-feira depois de Pentecostes. Ao promover esta memória obrigatória, o Papa Francisco visa favorecer o crescimento materno da Igreja nos pastores, nos religiosos e nos fiéis, como também a genuína piedade mariana. Considerando o evangelho do dia, o Decreto afirma: “A Mãe, que estava junto à cruz, aceitou o testamento do amor do seu Filho e acolheu todos os homens, personificados no discípulo amado… tornando-se a amorosa Mãe da Igreja, que Cristo gerou na cruz, dando o Espírito. Por sua vez, no discípulo amado, Cristo elegeu todos os discípulos como herdeiros do seu amor para com a Mãe”.
Oração
Senhor Jesus, que morreste na cruz para nos salvar, e designaste tua querida Mãe como proteção e guia de tua Igreja, faze que sejamos seus filhos amorosos e fiéis discípulos teus. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte -  https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-1-segunda-feira-3/#.XtD-l8Bv_IU