Sorteio

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Hoje na matriz Divino Espírito Santo


Sejamos servos da graça de Deus

Viver o espírito da graça é saber entender primeiro a pessoa humana
“O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado. Portanto, o Filho do Homem é senhor também do sábado” (Marcos 2,27-28).
O sábado representa a lei, a tradição para a religião judaica. É verdade, o sábado tem um valor sagrado, mas ele não é mais sagrado do que a criatura humana.
Não é para o homem ser servo do sábado e nem servo da lei, precisamos ser servos da graça de Deus, porque, se nos deixarmos escravizar pela lei ou praticarmos a lei pela lei, não iremos viver a graça.
Muitas vezes, estamos presos aos rituais, às normas; estamos cobrando “A” por “B”, queremos que as pessoas sejam dessa forma, porque é isso que exigem.
Não se trata de tornar-se uma pessoa relaxada, relapsa, relativista, que trata tudo de qualquer maneira. É preciso ter seriedade, ter uma direção na vida, uma luz por onde nós devemos caminhar. Isso tudo com o olhar da graça.
Na vida tem que ter horário para tantas coisas: horário para chegar, para comer, horário para isso e para aquilo, nessa sentido, pensemos assim: se na nossa casa estabelecêssemos que o horário para tomar banho é às 18h; mas, se não foi possível tomar banho nesse horário, não sejamos tão  rigorosos, tomemos às 18h30 ou mesmo às 19h. Entenda que não foi possível; eu dei o exemplo do banho, mas poderia ser o exemplo de tantas coisas da vida.
Algumas relações acabaram-se, muitas coisas na nossa vida destruíram-se, porque relaxamos ou deixamos tudo de qualquer jeito. Não levamos a sério os preceitos, os compromissos que precisamos ter, ou levamos tudo a “ferro e fogo”, levamos tudo ao “pé da letra”.
Acumulamos as coisas, cobramos “isso e aquilo”, mas, viver o espírito da graça é saber entender primeiro a pessoa humana.
Há pessoas que estão mais a frente, conseguem viver as coisas de forma mais disciplinada, organizada; há outras que estão aprendendo. Há pessoas que conseguem ir à missa todos os dias, há outras que estão esforçando-se para irem a cada domingo. Há aqueles que, não conseguem rezar um rosário inteiro, e ainda, aqueles os quais conseguem rezar um terço, um Pai Nosso ou 10 Aves Marias.
É preciso tratar cada pessoa como humana, porque não é o peso da Lei que vai nos salvar ou nos condenar. O que vai nos salvar e nos condenar é, acima de tudo, o peso da graça, o peso de ter um coração que saiba entender o coração do outro, e que saiba dar o melhor de si, para viver a graça que se recebe de Deus.
Jesus é Senhor do sábado, é o Senhor da vida e a Ele devemos nos voltar de todo o nosso coração.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Evangelho de hoje, terça-feira, 16/01/2018


Evangelho do dia - Mc 2,23-28
— O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos.
Glória a vós, Senhor.
23Jesus estava passando por uns campos de trigo, em dia de sábado. Seus discípulos começaram a arrancar espigas, enquanto caminhavam. 24Então os fariseus disseram a Jesus: “Olha! Por que eles fazem em dia de sábado o que não é permitido?”
25Jesus lhes disse: “Por acaso, nunca lestes o que Davi e seus companheiros fizeram quando passaram necessidade e tiveram fome? 26Como ele entrou na casa de Deus, no tempo em que Abiatar era sumo sacerdote, comeu os pães oferecidos a Deus, e os deu também aos seus companheiros? No entanto, só aos sacerdotes é permitido comer esses pães”. 27E acrescentou: “O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado. 28Portanto, o Filho do Homem é senhor também do sábado”. 
— Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Tenhamos a disposição de renovar o nosso coração

Para acolher a Boa Nova de Jesus, para acolher aquilo que a graça do Espírito nos traz é preciso ter a disposição de renovar o coração
“Ninguém põe um remendo de pano novo numa roupa velha; porque o remendo novo repuxa o pano velho e o rasgão fica maior ainda” (Mateus 2,21).
Toda a questão do Evangelho de hoje é porque os fariseus foram até Jesus perguntar o porquê os discípulos de João e os discípulos dos fariseus jejuavam, mas, os seus discípulos não jejuavam. Por uma simples questão, porque muitos fazem só por fazer, muitos jejuam só por jejuar, rezam só por rezar.
Não é uma questão de relativizar, deixar o jejum ou a oração de lado. É preciso fazer o jejum com o espírito de jejum, fazer oração com o espírito de oração. É preciso praticar as coisas de Deus em espírito e verdade.
Não podemos deixar que a nossa religião ou o nosso ser religioso, seja apenas uma prática de rituais. Religião precisa ser espírito e vida, precisamos estar inteiros naquilo que vivemos e fazemos, porque senão, as coisas envelhecem. O “envelhecer” aqui não é de se tornar velho, é perder o sabor, o gosto, o sentido, a luz.
Estamos fazendo por fazer? Não! Estamos fazendo porque isso dá sentido e transforma a nossa vida. Se não renovarmos a nossa disposição, a nossa vontade, o nosso espírito, a nossa mentalidade a cada dia, vamos envelhecendo na fé, vamos perdendo o gosto, o sabor de viver a própria fé.
Não podemos julgar ninguém, mas, estaremos muitas vezes, no “banco de reservas ou na arquibancada” apenas olhando, vivenciando, não participando, porque cansamos, porque estamos paralisados ou porque não tem mais sentido para nós fazermos isso ou aquilo, porque o nosso coração envelheceu e não tornou-se novo.
Quando não temos um coração novo, um espírito renovado, uma disposição nova, uma mentalidade nova, não conseguimos acolher o novo.
Foi isso que aconteceu com os fariseus, com doutores da Lei e muitos da época de Jesus. Eles tinham a disposição, mas a velha disposição. Eles tinham uma vontade, porém, uma vontade velha e paralisada. E quando a Boa Nova chegou, quem estava com o coração velho recebeu a Boa Nova e a estragou. Por isso, Jesus dá o exemplo do vinho novo, porque para vinho novo os odres têm que ser novos, senão aquele odre que está velho estraga o vinho novo.
Para acolher a Boa Nova de Jesus, para acolher aquilo que a graça do Espírito nos traz, é preciso ter a disposição de renovar o coração, a mentalidade, renovar aquilo que somos por dentro para que possamos acolher a novidade de Deus.
Deus não nos renova porque, muitas vezes, não nos deixamos ser renovados, transformados pela graça e pela novidade do Evangelho que faz nova todas as coisas.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Hoje na matriz Divino Espírito Santo


Evangelho de hoje, segunda-feira, 15/01/2018


Evangelho do dia - Mc 2,18-22
— O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos.
Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 18os discípulos de João Batista e os fariseus estavam jejuando. Então, vieram dizer a Jesus: “Por que os discípulos de João e os discípulos dos fariseus jejuam, e os teus discípulos não jejuam?” 19Jesus respondeu: “Os convidados de um casamento poderiam, por acaso, fazer jejum, enquanto o noivo está com eles? Enquanto o noivo está com eles, os convidados não podem jejuar. 20Mas vai chegar o tempo em que o noivo será tirado do meio deles; aí, então, eles vão jejuar. 21Ninguém põe um remendo de pano novo numa roupa velha; porque o remendo novo repuxa o pano velho e o rasgão fica maior ainda. 22Ninguém põe vinho novo em odres velhos; porque o vinho novo arrebenta os odres velhos e o vinho e os odres se perdem. Por isso, vinho novo em odres novos”. 
— Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

domingo, 14 de janeiro de 2018

Evangelho de hoje, domingo, 14/01/2018


Evangelho do dia - Jo 1,35-42
— O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João.
Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 35João estava de novo com dois de seus discípulos 36e, vendo Jesus passar, disse: “Eis o Cordeiro de Deus!” 37Ouvindo essas palavras, os dois discípulos seguiram Jesus.
38Voltando-se para eles e vendo que o estavam seguindo, Jesus perguntou: “O que estais procurando?” Eles disseram: “Rabi (que quer dizer: Mestre), onde moras?”
39Jesus respondeu: “Vinde ver”. Foram pois ver onde ele morava e, nesse dia, permaneceram com ele. Era por volta das quatro da tarde.
40André, irmão de Simão Pedro, era um dos dois que ouviram as palavras de João e seguiram Jesus. 41Ele foi encontrar primeiro seu irmão Simão e lhe disse: “Encontramos o Messias” (que quer dizer: Cristo).
42Então André conduziu Simão a Jesus. Jesus olhou bem para ele e disse: “Tu és Simão, filho de João; tu serás chamado Cefas” (que quer dizer: Pedra). 
— Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.