Sorteio

domingo, 12 de julho de 2020

Liturgia Diária. Domingo, 12/07/2020

 
12 – DOMINGO
   
15º DO TEMPO COMUM
(verde, glória, creio – 3ª semana do saltério)
Contemplarei, justificado, a vossa face; e serei saciado quando se manifestar a vossa glória (Sl 16,15).
Primeira Leitura: Isaías 55,10-11

Leitura do livro do profeta Isaías – Isto diz o Senhor: 10″Assim como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam mais, mas vêm irrigar e fecundar a terra e fazê-la germinar e dar semente para o plantio e para a alimentação, 11assim a palavra que sair de minha boca não voltará para mim vazia; antes, realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi ao enviá-la”. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 64(65)

A semente caiu em terra boa e deu fruto.
1. Visitais a nossa terra com as chuvas, / e transborda de fartura. / Rios de Deus que vêm do céu derramam águas, / e preparais o nosso trigo. – R.
2. É assim que preparais a nossa terra: / vós a regais e aplainais, / os seus sulcos com a chuva amoleceis / e abençoais as sementeiras. – R.
3. O ano todo coroais com vossos dons, / os vossos passos são fecundos; / transborda a fartura onde passais, / brotam pastos no deserto. – R.
4. As colinas se enfeitam de alegria, / e os campos, de rebanhos; / nossos vales se revestem de trigais: / tudo canta de alegria! – R.
Segunda Leitura: Romanos 8,18-23

Leitura da carta de São Paulo aos Romanos – Irmãos, 18eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós. 19De fato, toda a criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus. 20Pois a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua livre vontade, mas por sua dependência daquele que a sujeitou; 21também ela espera ser libertada da escravidão da corrupção e, assim, participar da liberdade e da glória dos filhos de Deus. 22Com efeito, sabemos que toda a criação, até o tempo presente, está gemendo como que em dores de parto. 23E não somente ela, mas nós também, que temos os primeiros frutos do Espírito, estamos interiormente gemendo, aguardando a adoção filial e a libertação para o nosso corpo. – Palavra do Senhor.
Evangelho: Mateus 13,1-23 ou 1-9

[A forma breve está entre colchetes.]
Aleluia, aleluia, aleluia.
Semente é de Deus a Palavra, o Cristo é o semeador; / todo aquele que o encontra, vida eterna encontrou! (Lc 8,11) – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – [1Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da Galileia. 2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia. 3E disse-lhes muitas coisas em parábolas: “O semeador saiu para semear. 4Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram. 5Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. 6Mas, quando o sol apareceu, as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz. 7Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas. 8Outras sementes, porém, caíram em terra boa e produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. 9Quem tem ouvidos ouça!”]
10Os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que falas ao povo em parábolas?” 11Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos céus, mas a eles não é dado. 12Pois à pessoa que tem será dado ainda mais, e terá em abundância; mas à pessoa que não tem será tirado até o pouco que tem. 13É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque, olhando, eles não veem e, ouvindo, eles não escutam nem compreendem. 14Desse modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir sem nada entender. Havereis de olhar sem nada ver. 15Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’. 16Felizes sois vós porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. 17Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não viram, desejaram ouvir o que ouvis e não ouviram. 18Ouvi, portanto, a parábola do semeador: 19todo aquele que ouve a Palavra do Reino e não a compreende, vem o maligno e rouba o que foi semeado em seu coração. Esse é o que foi semeado à beira do caminho. 20A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a Palavra e logo a recebe com alegria; 21mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento: quando chega o sofrimento ou a perseguição por causa da Palavra, ele desiste logo. 22A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a Palavra, mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a Palavra, e ele não dá fruto. 23A semente que caiu em boa terra é aquele que ouve a Palavra e a compreende. Esse produz fruto. Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

O capítulo 13 do Evangelho de Mateus apresenta o ensinamento de Jesus sobre a dinâmica do Reino de Deus por meio de parábolas. A primeira parábola é a da semente ou da Palavra, segundo a explicação dada pelo próprio Mestre. A comunidade de Mateus provavelmente se questionava sobre o porquê de o Reino de Deus não se propagar como esperado. Aí a comunidade lembra a parábola de Jesus, na qual os terrenos que acolhem a semente são diferentes: um é duro/pisado, outro é espinhoso, outro é pedregoso e há também o fértil, que produz cem, sessenta e trinta. Portanto, a semente (a Palavra/o Reino) em si tem a força, mas pode não encontrar ambiente propício para frutificar. O semeador não é um incompetente que joga a semente à toa, mas é um “camponês pobre”, que planta no pequeno terreno que lhe resta, depois que se espalhou o latifúndio na Galileia. Assim como a semente, a Palavra de Deus produz resultado se encontra um coração aberto para acolhê-la e um semeador (comunidade) teimoso em lançá-la.
Oração
Ó Jesus, incansável semeador da boa semente, dá-nos a capacidade de entender que nem toda palavra boa cai em coração aberto e receptivo. Tu nos ensinas que o importante é semear a tua Palavra, sem cessar e por toda parte. No tempo e lugar oportunos, os frutos vão aparecer. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/?gclid=Cj0KCQiAkKnyBRDwARIsALtxe7hM1FDt5JOpsnmMWDmdw9iuwvfn58jLvGmhnPLa1ZGIqRE-g5YxD7EaApywEALw_wcB#.XwsX_udv_IW

sexta-feira, 10 de julho de 2020

Liturgia Diária, sexta-feira, 10/07/2020

 
10 – SEXTA-FEIRA
   
14ª SEMANA COMUM
(verde – ofício do dia)
Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47,10s).
Chamados à conversão, recebemos de Jesus o conforto e a garantia da presença eficaz do Espírito Santo nas tribulações. Celebremos na certeza de que o Senhor é nosso companheiro inseparável na missão.
Primeira Leitura: Oseias 14,2-10

Leitura da profecia de Oseias – Assim fala o Senhor: 2″Volta, Israel, para o Senhor, teu Deus, porque estavas caído em teu pecado. 3Vós todos, encontrai palavras e voltai para o Senhor; dizei-lhe: ‘Livra-nos de todo mal e aceita este bem que oferecemos, o fruto de nossos lábios. 4A Assíria não nos salvará; não queremos montar nossos cavalos, não chamaremos mais ‘deuses nossos’ a produtos de nossas mãos; em ti encontrará o órfão misericórdia’. 5Hei de curar sua perversidade e me será fácil amá-los, deles afastou-se a minha cólera. 6Serei como orvalho para Israel; ele florescerá como o lírio e lançará raízes como plantas do Líbano. 7Seus ramos hão de estender-se; será seu esplendor como o da oliveira, e seu perfume como o do Líbano. 8Voltarão a sentar-se à minha sombra e a cultivar o trigo, e florescerão como a videira, cuja fama se iguala à do vinho do Líbano. 9Que tem ainda Efraim a ver com ídolos? Sou eu que o atendo e que olho por ele. Sou como o cipreste sempre verde: de mim procede o teu fruto. 10Compreenda estas palavras o homem sábio, reflita sobre elas o bom entendedor! São retos os caminhos do Senhor e por eles andarão os justos, enquanto os maus ali tropeçam e caem”. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 50(51)

Minha boca anunciará vosso louvor!
1. Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! / Na imensidão de vosso amor, purificai-me! / Lavai-me todo inteiro do pecado / e apagai completamente a minha culpa! – R.
2. Mas vós amais os corações que são sinceros, / na intimidade me ensinais sabedoria. / Aspergi-me e serei puro do pecado, / e mais branco do que a neve ficarei. – R.
3. Criai em mim um coração que seja puro, / dai-me de novo um espírito decidido. / Ó Senhor, não me afasteis de vossa face / nem retireis de mim o vosso Santo Espírito! – R.
4. Dai-me de novo a alegria de ser salvo / e confirmai-me com espírito generoso! / Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar, / e minha boca anunciará vosso louvor! – R.
Evangelho: Mateus 10,16-23

Aleluia, aleluia, aleluia.
Quando o Paráclito vier, o Espírito da verdade, / ele vos conduzirá a toda a verdade, / lembrar-vos-á de tudo o que eu tenho falado (Jo 16,13; 14,26). – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 16″Eis que eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas. 17Cuidado com os homens, porque eles vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas. 18Vós sereis levados diante de governadores e reis por minha causa, para dar testemunho diante deles e das nações. 19Quando vos entregarem, não fiqueis preocupados de como falar ou do que dizer. Então naquele momento vos será indicado o que deveis dizer. 20Com efeito, não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai é que falará através de vós. 21O irmão entregará à morte o próprio irmão; o pai entregará o filho; os filhos se levantarão contra seus pais e os matarão. 22Vós sereis odiados por todos por causa do meu nome. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo. 23Quando vos perseguirem numa cidade, fugi para outra. Em verdade vos digo, vós não acabareis de percorrer as cidades de Israel antes que venha o Filho do Homem”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

A missão dos apóstolos vai abalar as bases da sociedade injusta, por consequência vai desencadear também as perseguições. Pessoas aferradas ao poder e à vida luxuosa consideram inimigos os que lhes apontam as injustiças e lhes propõem a partilha dos bens e vida digna para todos. Jesus alerta seus discípulos a tomar cuidado com esses “lobos” prontos para o ataque. São perigosos e traiçoeiros. Entretanto, quando seus seguidores, sob pressão ou tortura, tiverem que dar razão de sua fé ou explicações sobre o bem realizado, fiquem sossegados. As palavras certas vão brotar por obra do Espírito Santo. As tribulações fazem parte do anúncio do evangelho. O Senhor cuidará dos missionários do Reino em todas as circunstâncias. A eles compete “perseverar até o fim”.
Oração
Ó Jesus, divino Mestre, prevines teus discípulos quanto às contrariedades da missão: tribunais, açoites, fugas, prestação de contas diante das autoridades, perseguições e morte por parte até dos familiares. No meio da escuridão, um facho de luz: o Espírito Santo lhes dará toda assistência. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/10-sexta-feira/#.XwWvBudv_IU

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Liturgia diária, Quinta-feira, 09/07/2020

 
9 – QUINTA-FEIRA
   
SANTA PAULINA DO CORAÇÃO AGONIZANTE DE JESUS
RELIGIOSA E VIRGEM
(branco, pref. comum ou das virgens – ofício da memória)
A estrada dos justos é como a luz, cresce do amanhecer até o pleno dia (Pr 4,18).
Amábile Lúcia Visintainer nasceu na Itália em 1865 e, com sua família, migrou para o Brasil, estabelecendo-se em Nova Trento, Santa Catarina. Como consagrada, assumiu o nome de Paulina do Coração Agonizante de Jesus. Fundou a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, com a qual se dedicou aos pobres, doentes, crianças órfãs e ex-escravos. Praticou virtudes heroicas, principalmente a humildade e a obediência. Acometida pelo diabetes, enfrentou um período de grande sofrimento, amputando um braço e ficando cega. Faleceu em 1942, em São Paulo, e foi canonizada em 2002. A celebração de sua memória nos anime no serviço generoso aos pobres e marginalizados.
Primeira Leitura: Oseias 11,1-4.8-9

Leitura da profecia de Oseias – Assim fala o Senhor: 1″Quando Israel era criança, eu já o amava, e desde o Egito chamei meu filho. 2Quanto mais eu os chamava, tanto mais eles se afastavam de mim; imolavam aos Baals e sacrificavam aos ídolos. 3Ensinei Efraim a dar os primeiros passos, tomei-o em meus braços, mas eles não reconheceram que eu cuidava deles. 4Eu os atraía com laços de humanidade, com laços de amor; era para eles como quem leva uma criança ao colo e rebaixava-me a dar-lhes de comer. 8Meu coração comove-se no íntimo e arde de compaixão. 9Não darei largas à minha ira, não voltarei a destruir Efraim, eu sou Deus e não homem; o santo no meio de vós, e não me servirei do terror”. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 79(80)

Sobre nós iluminai a vossa face / e, então, seremos salvos, ó Senhor!
1. Ó pastor de Israel, prestai ouvidos. / Vós, que sobre os querubins vos assentais, / despertai vosso poder, ó nosso Deus, / e vinde logo nos trazer a salvação! – R.
2. Voltai-vos para nós, Deus do universo! Olhai dos altos céus e observai. / Visitai a vossa vinha e protegei-a! / Foi a vossa mão direita que a plantou; / protegei-a, e ao rebento que firmastes! – R.
Evangelho: Mateus 10,7-15

Aleluia, aleluia, aleluia.
Convertei-vos e crede no Evangelho, / pois o Reino de Deus está chegando! (Mc 1,15) – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7″Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar! 9Não leveis ouro, nem prata, nem dinheiro nos vossos cintos; 10nem sacola para o caminho, nem duas túnicas, nem sandálias, nem bastão, porque o operário tem direito ao seu sustento. 11Em qualquer cidade ou povoado onde entrardes, informai-vos para saber quem ali seja digno. Hospedai-vos com ele até a vossa partida. 12Ao entrardes numa casa, saudai-a. 13Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; se ela não for digna, volte para vós a vossa paz. 14Se alguém não vos receber nem escutar vossa palavra, saí daquela casa ou daquela cidade e sacudi a poeira dos vossos pés. 15Em verdade vos digo, as cidades de Sodoma e Gomorra serão tratadas com menos dureza do que aquela cidade, no dia do juízo”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Aos doze apóstolos Jesus dá orientações bem definidas: anunciar que o Reino de Deus está próximo, curar os enfermos, ressuscitar os mortos, purificar os leprosos e expulsar os demônios. É uma novidade bem-vinda e revolucionária, capaz de desinstalar as estruturas sociais injustas e opressoras. O Reino dos Céus deve abarcar a todos, mas dá preferência aos doentes e marginalizados. O estilo de vida dos missionários deve ser despojado. Sem ostentação ou cobiça: “Deem gratuitamente”. A mensagem é de esperança e de paz. Os destinatários da missão apostólica não podem descuidar o dever sagrado da hospitalidade. E precisam também abrir o coração para a visita de Deus. Se rejeitarem os mensageiros da paz, terão que dar explicação a Deus “no dia do julgamento”.
Oração
Ó Mestre e Senhor, envias em missão teus discípulos, com recomendações precisas: estejam despojados de bens materiais; anunciem que o Reino de Deus já está presente; conscientizem o povo a respeito da própria dignidade e curem os enfermos; sejam promotores da paz; tudo isso com a marca da gratuidade. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/9-quinta-feira/#.XwWt8edv_IU

quarta-feira, 8 de julho de 2020

Liturgia Diária. Quarta-feira, 08/07/2020

 
8 – QUARTA-FEIRA
   
14ª SEMANA COMUM*
(verde – ofício do dia)
Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47,10s).
Para restabelecer a comunhão com Deus, cabe ao ser humano tomar o caminho da justiça e rejeitar toda forma de idolatria. De coração sincero, busquemos o Senhor, que nos chama pelo nome e nos envia.
Primeira Leitura: Oseias 10,1-3.7-8.12

Leitura da profecia de Oseias – 1Israel era uma vinha exuberante e dava frutos para seu consumo; na medida de sua produção, erguia os numerosos altares; na medida da fertilidade da terra, embelezava seus ídolos. 2Com o coração dividido, deve agora receber castigo; o Senhor mesmo derrubará seus altares, destruirá os seus simulacros. 3Decerto, dirão agora: “Não temos rei; não temos medo do Senhor. Que poderia o rei fazer por nós?” 7Samaria está liquidada, seu rei vai flutuando como palha em cima da água. 8Será desmantelada a idolatria dos lugares altos, pecado de Israel; ali crescerão espinhos e abrolhos sobre seus altares; então se dirá aos montes: “Cobri-nos!”, e às colinas: “Caí sobre nós!” 12Semeai justiça entre vós e colhereis amor; desbravai uma roça nova. É tempo de procurar o Senhor, até que ele venha e derrame a justiça em vós. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 104(105)

Buscai constantemente a face do Senhor!
1. Cantai, entoai salmos para ele, / publicai todas as suas maravilhas! / Gloriai-vos em seu nome, que é santo, / exulte o coração que busca a Deus! – R.
2. Procurai o Senhor Deus e seu poder, / buscai constantemente a sua face! / Lembrai as maravilhas que ele fez, / seus prodígios e as palavras de seus lábios! – R.
3. Descendentes de Abraão, seu servidor, / e filhos de Jacó, seu escolhido, / ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, / vigoram suas leis em toda a terra. – R.
Evangelho: Mateus 10,1-7

Aleluia, aleluia, aleluia.
Convertei-vos e crede no Evangelho, / pois o Reino de Deus está chegando! (Mc 1,15) – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 1Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo tipo de doença e enfermidade. 2Estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; 3Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; 4Simão, o Zelota, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus. 5Jesus enviou esses doze com as seguintes recomendações: “Não deveis ir aonde moram os pagãos nem entrar nas cidades dos samaritanos! 6Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos céus está próximo'”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Jesus chama e envia doze discípulos para continuar sua missão. O número doze evoca as antigas doze tribos de Israel e indica que o novo povo de Deus está nascendo. De diferentes culturas e condições sociais, os Doze formam o núcleo da comunidade de Jesus: fraterna, solidária e aberta para anunciar o evangelho por todo o mundo. As tarefas de Jesus são as dos apóstolos: expulsar espíritos impuros e “curar toda doença e enfermidade”. O que devem anunciar? O Reino de Deus está próximo, isto é, ao alcance dos que o aceitarem. Esse Reino está em contraste com os reinos deste mundo, incluindo o Império Romano e as autoridades de Israel. Portador de vida, o Reino de Deus assume a justiça a favor dos pobres e marginalizados.
Oração
Senhor Jesus, sentes que a missão é imensa e necessitas de colaboradores. Por isso selecionas um pequeno grupo, aos quais dás o nome de apóstolos. Tu os envias a serviço do Reino, com a recomendação de ir primeiro “às ovelhas perdidas da casa de Israel”, talvez por ser obra mais difícil. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/?gclid=Cj0KCQiAkKnyBRDwARIsALtxe7hM1FDt5JOpsnmMWDmdw9iuwvfn58jLvGmhnPLa1ZGIqRE-g5YxD7EaApywEALw_wcB#.XwWtZedv_IW

terça-feira, 7 de julho de 2020

Liturgia diária. Terça-feira, 07/07/2020

 
7 – TERÇA-FEIRA
   
14ª SEMANA COMUM
(verde – ofício do dia)
Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47,10s).
Por meio do profeta, Deus repreende os dirigentes do povo, levando-os a refletir sobre seus erros e fracassos. Celebrando confiantes no Senhor, reconheçamos que só ele pode nos libertar das escravidões.
Primeira Leitura: Oseias 8,4-7.11-13

Leitura da profecia de Oseias – Assim fala o Senhor: 4″Eles constituíram reis sem minha vontade; constituíram príncipes sem meu conhecimento; sua prata e seu ouro serviram para fazer ídolos e para sua perdição. 5Teu bezerro, ó Samaria, foi jogado ao chão; minha cólera inflamou-se contra eles. Até quando ficarão sem purificar-se? 6Esse bezerro provém de Israel; um artesão fabricou-o, isso não é um deus; será feito em pedaços esse bezerro de Samaria. 7Semeiam ventos, colherão tempestades; se não há espiga, o grão não dará farinha; e, mesmo que dê, estranhos a comerão. 11Efraim ergueu muitos altares em expiação do pecado, mas seus altares resultaram-lhe em pecado. 12Eu lhes deixei, por escrito, grande número de preceitos, mas estes foram considerados coisa que não lhes toca. 13Gostam de oferecer sacrifícios, imolam carnes e comem; mas o Senhor não os recebe. Antes, o Senhor lembra seus pecados e castiga suas culpas: eles deverão voltar para o Egito”. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 113B(115)

Confia, Israel, no Senhor!
1. É nos céus que está o nosso Deus, / ele faz tudo aquilo que quer. / São os deuses pagãos ouro e prata, / todos eles são obras humanas. – R.
2. Têm boca e não podem falar, / têm olhos e não podem ver; / têm nariz e não podem cheirar, / tendo ouvidos, não podem ouvir. – R.
3. Têm mãos e não podem pegar, / têm pés e não podem andar. / Como eles, serão seus autores, / que os fabricam e neles confiam. – R.
4. Confia, Israel, no Senhor. / Ele é teu auxílio e escudo! / Confia, Aarão, no Senhor. / Ele é teu auxílio e escudo! – R.
Evangelho: Mateus 9,32-38

Aleluia, aleluia, aleluia.
Eu sou o bom pastor, conheço minhas ovelhas, / e elas me conhecem, assim fala o Senhor (Jo 10,14). – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 32apresentaram a Jesus um homem mudo, que estava possuído pelo demônio. 33Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar. As multidões ficaram admiradas e diziam: “Nunca se viu coisa igual em Israel”. 34Os fariseus, porém, diziam: “É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios”. 35Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino e curando todo tipo de doença e enfermidade. 36Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: 37″A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. 38Pedi, pois, ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!” – Palavra da salvação.
Reflexão:

Pequeno recorte da atividade missionária de Jesus. Destacam-se: seu ensinamento (v. 35), a cura de “toda doença”, a compaixão pelas multidões “angustiadas e abandonadas”, e a constatação de que o trabalho pelo Reino de Deus é imenso, faltam operários, então é necessário pedir ao Pai celeste que “envie trabalhadores para a sua colheita”. Não obstante o total empenho de Jesus em benefício da população enferma, pobre e oprimida, surgem os fariseus para insultá-lo. Dizem que ele age pelo poder dos demônios. Atribuição ofensiva e descabida. É pelo poder de Deus que Jesus realiza suas obras. A maioria do povo sabe disso e o manifesta: “As multidões ficaram maravilhadas”. Qual é a sua colaboração para fortalecer, no mundo, o Reino de justiça e paz?
Oração
Ó Jesus Messias, enquanto a multidão se maravilha com a cura do mudo, os fariseus te acusam de expulsar demônios pelo poder do chefe dos demônios. A acusação é descabida e maldosa. Sem perder tempo com isso, segues pregando o evangelho do Reino e curando toda enfermidade. Pelo poder de Deus. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/7-terca-feira/#.Xv8QDudv_IU

segunda-feira, 6 de julho de 2020

Liturgia Diária. Segunda-feira, 06/07/2020

 
6 – SEGUNDA-FEIRA
   
14ª SEMANA COMUM*
(verde – ofício do dia)
Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47,10s).
Repleto de ternura e misericórdia, Deus deseja a felicidade de todo o povo e quer falar ao nosso coração nesta liturgia. Respondendo ao seu amor, acolhamos o Deus de paciência e compaixão.
Primeira Leitura: Oseias 2,16-18.21-22

Leitura da profecia de Oseias – Assim fala o Senhor: 16″Eis que eu a vou seduzir, levando-a à solidão, onde lhe falarei ao coração; 17e ela aí responderá ao compromisso, como nos dias de sua juventude, nos dias da sua vinda da terra do Egito. 18Acontecerá nesse dia, diz o Senhor, que ela me chamará ‘Meu marido’, e não mais chamará ‘Meu Baal’. 21Eu te desposarei para sempre; eu te desposarei conforme as sanções da justiça e conforme as práticas da misericórdia. 22Eu te desposarei para manter fidelidade, e tu conhecerás o Senhor”. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 144(145)

Misericórdia e piedade é o Senhor.
1. Todos os dias haverei de bendizer-vos, / hei de louvar o vosso nome para sempre. / Grande é o Senhor e muito digno de louvores, / e ninguém pode medir sua grandeza. – R.
2. Uma idade conta à outra vossas obras / e publica os vossos feitos poderosos; / proclamam todos o esplendor de vossa glória / e divulgam vossas obras portentosas! – R.
3. Narram todos vossas obras poderosas, / e de vossa imensidade todos falam. / Eles recordam vosso amor tão grandioso / e exaltam, ó Senhor, vossa justiça. – R.
4. Misericórdia e piedade é o Senhor, / ele é amor, é paciência, é compaixão. / O Senhor é muito bom para com todos, / sua ternura abraça toda criatura. – R.
Evangelho: Mateus 9,18-26

Aleluia, aleluia, aleluia.
Jesus Cristo salvador destruiu o mal e a morte; / fez brilhar, pelo Evangelho, a luz e a vida imperecíveis (2Tm 1,10). – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – 18Enquanto Jesus estava falando, um chefe aproximou-se, inclinou-se profundamente diante dele e disse: “Minha filha acaba de morrer. Mas vem, impõe tua mão sobre ela e ela viverá”. 19Jesus levantou-se e o seguiu, junto com os seus discípulos. 20Nisto, uma mulher que sofria de hemorragia há doze anos veio por trás dele e tocou a barra do seu manto. 21Ela pensava consigo: “Se eu conseguir ao menos tocar no manto dele, ficarei curada”. 22Jesus voltou-se e, ao vê-la, disse: “Coragem, filha! A tua fé te salvou”. E a mulher ficou curada a partir daquele instante. 23Chegando à casa do chefe, Jesus viu os tocadores de flauta e a multidão alvoroçada 24e disse: “Retirai-vos, porque a menina não morreu, mas está dormindo”. E começaram a caçoar dele. 25Quando a multidão foi afastada, Jesus entrou, tomou a menina pela mão, e ela se levantou. 26Essa notícia espalhou-se por toda aquela região. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Alguns gestos e palavras do chefe demonstram sua fé no poder de Jesus: aproximar-se, ajoelhar-se diante dele, e a certeza de que Jesus, impondo as mãos sobre a falecida, a fará viver. Diferente de outros líderes, como Herodes, que matou crianças, e Herodes Antipas, que mandou cortar a cabeça do Batista, este chefe reconhece seus limites, busca Jesus e deseja o bem para a filha. Oxalá nossos governantes sigam seu exemplo: sentir as necessidades da população e prestar-lhe socorro! Louvável também é a coragem e a fé da mulher enferma. Pela fé simples e profunda, ela fica livre de sua enfermidade. Na casa do chefe, Jesus dispensa curiosos e barulhentos, comuns e inúteis nessas circunstâncias. Jesus não dá espetáculo. O que faz é demonstrar o poder de Deus e consolidar o seu Reino.
Oração
Ó Jesus Libertador, encontras duas pessoas de profunda fé: um chefe, cuja filhinha acabara de morrer; e uma mulher, vítima de contínua hemorragia. Pelo toque em tuas vestes, a mulher sentiu-se curada; pelo teu toque no corpo da menina, ela voltou a viver. Senhor, aumenta nossa fé. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/6-segunda-feira/#.Xv8OPOdv_IU

sábado, 4 de julho de 2020

Liturgia Diária. Domingo, 04/07/2020

 
5 – DOMINGO
   
14º DO TEMPO COMUM
(verde, glória, creio – 2ª semana do saltério)
Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47,10s).
Primeira Leitura: Zacarias 9,9-10

Leitura da profecia de Zacarias – Assim diz o Senhor: 9″Exulta, cidade de Sião! Rejubila, cidade de Jerusalém. Eis que vem teu rei ao teu encontro; ele é justo, ele salva; é humilde e vem montado num jumento, um potro, cria de jumenta. 10Eliminará os carros de Efraim, os cavalos de Jerusalém; ele quebrará o arco de guerreiro, anunciará a paz às nações. Seu domínio se estenderá de um mar a outro mar e desde o rio até os confins da terra”. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 144(145)

Bendirei, eternamente, vosso nome, ó Senhor!
1. Ó meu Deus, quero exaltar-vos, ó meu rei, / e bendizer o vosso nome pelos séculos. / Todos os dias haverei de bendizer-vos, / hei de louvar o vosso nome para sempre. – R.
2. Misericórdia e piedade é o Senhor, / ele é amor, é paciência, é compaixão. / O Senhor é muito bom para com todos, / sua ternura abraça toda criatura. – R.
3. Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, / e os vossos santos com louvores vos bendigam! / Narrem a glória e o esplendor do vosso reino / e saibam proclamar vosso poder! – R.
4. O Senhor é amor fiel em sua palavra, / é santidade em toda obra que ele faz. / Ele sustenta todo aquele que vacila / e levanta todo aquele que tombou. – R.
Segunda Leitura: Romanos 8,9.11-13

Leitura da carta de São Paulo aos Romanos – Irmãos, 9vós não viveis segundo a carne, mas segundo o espírito, se realmente o Espírito de Deus mora em vós. Se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo. 11E, se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos mora em vós, então aquele que ressuscitou Jesus Cristo dentre os mortos vivificará também vossos corpos mortais por meio do seu Espírito, que mora em vós. 12Portanto, irmãos, temos uma dívida, mas não para com a carne, para vivermos segundo a carne. 13Pois, se viverdes segundo a carne, morrereis, mas se, pelo espírito, matardes o procedimento carnal, então vivereis. – Palavra do Senhor.
Evangelho: Mateus 11,25-30

Aleluia, aleluia, aleluia.
Eu te louvo, ó Pai santo, Deus do céu, Senhor da terra; / os mistérios do teu Reino aos pequenos, Pai, revelas! (Mt 11,25) – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, Jesus pôs-se a dizer: 25″Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. 26Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. 27Tudo me foi entregue por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. 28Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso. 29Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. 30Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Essa página é como que o centro do Evangelho de Mateus: ponto de chegada da primeira parte da atividade de Jesus e ponto inicial da segunda parte, que conduz e culmina no mistério pascal. Jesus estabelece um diálogo com seus discípulos, querendo saber o que o povo e eles dizem a respeito dele. Porta-voz do grupo, Pedro formula a profissão de fé em Jesus Messias, o Filho de Deus, e recebe a missão de conduzir na unidade a comunidade. Jesus, portanto, transfere para a comunidade o compromisso de dar continuidade à missão que ele iniciou. E conclama Pedro e a comunidade para a responsabilidade de abrir as portas para que as pessoas tenham acesso ao Reino de Deus. A pergunta de Jesus continua ecoando ainda em nossos dias: Quem sou eu? Ele não espera uma resposta doutrinal, mas uma resposta de compromisso e adesão ao Reino. Ele não nos pede uma opinião, mas nos questiona sobre nossa atitude, que transparece principalmente em nosso seguimento concreto a ele. É, portanto, apelo a um “modo de vida cristão”.
Oração
Senhor Jesus, nós te louvamos e bendizemos por escolheres Pedro e Paulo como dedicados apóstolos da tua Igreja. Infunde, ó Cristo, em cada um de nós, o mesmo zelo missionário que fez de Pedro e Paulo teus fiéis discípulos e modelos de autêntica vida cristã para nós. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/5-domingo/#.Xv8Nxedv_IU