Confirmação de Presença

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Liturgia Diária. Segunda-feira, 10/08/2020

 
10 – SEGUNDA-FEIRA
   
SÃO LOURENÇO
DIÁCONO E MÁRTIR
(vermelho, glória, pref. dos mártires – ofício da festa)
São Lourenço entregou-se a si mesmo ao serviço da Igreja. Foi digno de sofrer o martírio e de subir com alegria para junto do Senhor Jesus.
Lourenço, padroeiro dos diáconos, é um dos mártires mais conhecidos e venerados desde os primeiros séculos. Foi diácono do papa Sisto 2º. Seu nome está inscrito no Cânon Romano. Administrava os bens da Igreja e era encarregado de acudir os pobres, entre os quais distribuiu o que guardava, ao perceber que logo seria preso. Foi torturado a fogo lento e morto no ano 258. Seu admirável exemplo faça crescer o número de pessoas dedicadas ao serviço dos pobres.
Primeira Leitura: 2 Coríntios 9,6-10

Leitura da segunda carta de São Paulo aos Coríntios – Irmãos, 6“quem semeia pouco colherá também pouco, e quem semeia com largueza colherá também com largueza”. 7Dê cada um conforme tiver decidido em seu coração, sem pesar nem constrangimento, pois Deus “ama quem dá com alegria”. 8Deus é poderoso para vos cumular de toda sorte de graças, para que, em tudo, tenhais sempre o necessário e ainda tenhais de sobra para toda obra boa, 9como está escrito: “Distribuiu generosamente, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre”. 10Aquele que dá a semente ao semeador e lhe dará o pão como alimento, ele mesmo multiplicará as vossas sementes e aumentará os frutos da vossa justiça. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 111(112)

Feliz o homem caridoso e prestativo.
1. Feliz o homem que respeita o Senhor / e que ama com carinho a sua lei! / Sua descendência será forte sobre a terra, / abençoada a geração dos homens retos! – R.
2. Feliz o homem caridoso e prestativo, / que resolve seus negócios com justiça. / Porque jamais vacilará o homem reto, / sua lembrança permanece eternamente! – R.
3. Ele não teme receber notícias más: / confiando em Deus, seu coração está seguro. / Seu coração está tranquilo e nada teme, / e confusos há de ver seus inimigos. – R.
4. Ele reparte com os pobres os seus bens, permanece para sempre o bem que fez, / e crescerão a sua glória e seu poder. – R.
Evangelho: João 12,24-26

Aleluia, aleluia, aleluia.
Aquele que me segue não caminha entre as trevas, / mas terá a luz da vida (Jo 8,12). – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João – Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 24“Em verdade, em verdade vos digo, se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas, se morre, então produz muito fruto. 25Quem se apega à sua vida perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. 26Se alguém me quer servir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Lourenço é um dos mártires mais conhecidos e venerados, já desde os primeiros séculos. Encarregado de cuidar dos bens da Igreja, repartiu-os entre os pobres, já que pressentia prisão iminente. Aprisionado junto com o Papa Sisto II, não sofreu de imediato o martírio, mas suportou corajosamente atrozes dores na grelha incandescente. Alguns escritos permitem introduzir aqui um gracejo de Lourenço. No meio de tormentos, ele teria dito ao carrasco: “Vira-me, pois deste lado já estou bem assado”. Entretanto, a maioria dos escritores modernos julga que Lourenço tenha sido decapitado como o Papa Sisto II, martirizado três dias antes. Morreu em 258 e foi sepultado no Campo Verano, na Via Tiburtina (Roma), onde Constantino edificou a basílica que tem o seu nome.
Oração
Ó Jesus Mestre, com palavras claras e perturbadoras, preparaste teus seguidores para os embates da vida. Muitos cristãos e cristãs sofreram o martírio, assim como o teu servidor São Lourenço. Dá-nos fortaleza para perseverarmos no teu caminho, mesmo cercados de duras provas e perseguições. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/10-segunda-feira-3/#.XylGjzVv_IU

sábado, 8 de agosto de 2020

Liturgia Diária. Domingo, 09/08/2020

 
9 – DOMINGO
  
19º DO TEMPO COMUM
(verde, glória, creio – 3ª semana do saltério)
Considerai, Senhor, vossa Aliança e não abandoneis para sempre o vosso povo. Levantai-vos, Senhor, defendei vossa causa e não desprezeis o clamor de quem vos busca (Sl 73,20.19.22s).
Reunimo-nos para celebrar a páscoa dominical e fazer experiência da brandura e bondade de Deus. Presente na Palavra e na Eucaristia, Jesus deseja fortalecer nossa fé e ser nossa segurança nas tempestades que surgem em nossa caminhada cristã. Celebremos em comunhão com os vocacionados à vida em família, especialmente com os pais.
Primeira Leitura: 1 Reis 19,9.11-13

Leitura do primeiro livro dos Reis – Naqueles dias, ao chegar a Horeb, o monte de Deus, 9o profeta Elias entrou numa gruta, onde passou a noite. E eis que a palavra do Senhor lhe foi dirigida nestes termos: 11“Sai e permanece sobre o monte diante do Senhor, porque o Senhor vai passar”. Antes do Senhor, porém, veio um vento impetuoso e forte, que desfazia as montanhas e quebrava os rochedos. Mas o Senhor não estava no vento. Depois do vento houve um terremoto. Mas o Senhor não estava no terremoto. 12Passado o terremoto, veio um fogo. Mas o Senhor não estava no fogo. E, depois do fogo, ouviu-se o murmúrio de uma leve brisa. 13Ouvindo isso, Elias cobriu o rosto com o manto, saiu e pôs-se à entrada da gruta. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 84(85)

Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade / e a vossa salvação nos concedei!
1. Quero ouvir o que o Senhor irá falar: / é a paz que ele vai anunciar. / Está perto a salvação dos que o temem, / e a glória habitará em nossa terra. – R.
2. A verdade e o amor se encontrarão, / a justiça e a paz se abraçarão; / da terra brotará a fidelidade, / e a justiça olhará dos altos céus. – R.
3. O Senhor nos dará tudo o que é bom, / e a nossa terra nos dará suas colheitas; / a justiça andará na sua frente / e a salvação há de seguir os passos seus. – R.
Segunda Leitura: Romanos 9,1-5

Leitura da carta de São Paulo aos Romanos – Irmãos, 1não estou mentindo, mas, em Cristo, digo a verdade, apoiado no testemunho do Espírito Santo e da minha consciência. 2Tenho no coração uma grande tristeza e uma dor contínua, 3a ponto de desejar ser eu mesmo segregado por Cristo em favor de meus irmãos, os de minha raça. 4Eles são israelitas. A eles pertencem a filiação adotiva, a glória, as alianças, as leis, o culto, as promessas 5e também os patriarcas. Deles é que descende, quanto à sua humanidade, Cristo, o qual está acima de todos, Deus bendito para sempre! Amém! – Palavra do Senhor.
Evangelho: Mateus 14,22-33

Aleluia, aleluia, aleluia.
Eu confio em nosso Senhor, / com fé, esperança e amor; / eu espero em sua palavra, / hosana, ó Senhor, vem, me salva! (Sl 129,5) – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Depois da multiplicação dos pães, 22Jesus mandou que os discípulos entrassem na barca e seguissem, à sua frente, para o outro lado do mar, enquanto ele despediria as multidões. 23Depois de despedi-las, Jesus subiu ao monte, para orar a sós. A noite chegou, e Jesus continuava ali sozinho. 24A barca, porém, já longe da terra, era agitada pelas ondas, pois o vento era contrário. 25Pelas três horas da manhã, Jesus veio até os discípulos, andando sobre o mar. 26Quando os discípulos o avistaram andando sobre o mar, ficaram apavorados e disseram: “É um fantasma”. E gritaram de medo. 27Jesus, porém, logo lhes disse: “Coragem! Sou eu. Não tenhais medo!” 28Então Pedro lhe disse: “Senhor, se és tu, manda-me ir ao teu encontro, caminhando sobre a água”. 29E Jesus respondeu: “Vem!” Pedro desceu da barca e começou a andar sobre a água, em direção a Jesus. 30Mas, quando sentiu o vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: “Senhor, salva-me!” 31Jesus logo estendeu a mão, segurou Pedro e lhe disse: “Homem fraco na fé, por que duvidaste?” 32Assim que subiram no barco, o vento se acalmou. 33Os que estavam no barco prostraram-se diante dele, dizendo: “Verdadeiramente, tu és o Filho de Deus!” – Palavra da salvação.
Reflexão:

Jesus não somente se preocupa que o povo seja alimentado e tenha suas necessidades básicas supridas; ele dá a esse povo atenção toda especial, quer se despedir pessoalmente de todos. Depois de despedir a multidão e pedir aos discípulos que se dirijam à outra margem, Jesus sobe a montanha para rezar. De madrugada vai ao encontro dos seus, caminhando sobre o mar (símbolo do caos, dos poderes da morte). Pedro pula do barco (símbolo da comunidade), começa a andar sobre as águas e, quando percebe que está afundando, grita por socorro. O Mestre o censura pela falta de fé. A comunidade cristã (e cada fiel) está sempre andando sobre o mar perigoso, mas deve fazê-lo voltada para a frente, com o olhar da fé, para não se deixar abalar e não ser tragada pelas ondas. Com os pés fora da comunidade, a pessoa vai esmorecendo na fé e facilmente será levada pelas ondas das conveniências. Nas horas difíceis, porém, não podemos esquecer que o Mestre está presente e é necessário invocá-lo com um “salva-nos”.
Oração
Ó Jesus, Filho de Deus, partilhas o pão com as multidões, buscas um lugar silencioso para rezar a sós, caminhas sobre o mar ao encontro dos teus discípulos e os desafias a ter uma fé mais sólida. Faze-nos participar um pouco mais do teu dinamismo e do teu zelo pelo Reino. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/10-segunda-feira-3/#.XylFvjVv_IU

Liturgia Diária. Sábado, 08/08/2020

 
8 – SÁBADO
   
SÃO DOMINGOS
PRESBÍTERO E FUNDADOR
(branco, pref. comum ou dos pastores – ofício da memória)
Estes são os santos que receberam a bênção do Senhor e a misericórdia de Deus, seu salvador. É a geração dos que buscam a Deus (Sl 23,5s).
Nascido na Espanha, em 1170, Domingos foi incansável pregador da Palavra de Deus. Fundou a Ordem dos Pregadores, os Dominicanos, com o intuito de levar a Boa-nova ao mundo inteiro. Deu grande importância ao estudo da teologia e à pobreza evangélica. Promoveu a oração popular do rosário. Faleceu na Itália em 1221. Deixemo-nos sensibilizar por esse mestre da fé e infatigável missionário.
Primeira Leitura: Habacuc 1,12-2,4

Leitura da profecia de Habacuc – 12Acaso não existes desde o princípio, Senhor, meu Deus, meu santo, que não haverás de morrer? Senhor, puseste essa gente como instrumento de tua justiça; criaste-a, ó meu rochedo, para exercer punição. 13Teus olhos são puros para não veres o mal; não podes aceitar a visão da iniquidade. Por que, então, olhando para os malvados e vendo-os devorar o justo, ficas calado? 14Tratas os homens como os peixes do mar, como os répteis, que não têm dono. 15O pescador pega tudo com o anzol, puxa os peixes com a rede varredoura e recolhe-os na outra rede; com isso, alegra-se e faz a festa. 16Faz imolação por causa da sua malha, oferece incenso por causa da sua rede, porque com elas cresceu a captura de peixes e sua comida aumentou. 17Será por isso que ele sempre desembainhará a espada, para matar os povos sem dó nem piedade? 2,1Vou ocupar meu posto de guarda e estarei de atalaia, atento ao que me será dito e ao que será respondido à minha denúncia. 2Respondeu-me o Senhor, dizendo: “Escreve esta visão, estende seus dizeres sobre tábuas, para que possa ser lida com facilidade. 3A visão refere-se a um prazo definido, mas tende para um desfecho e não falhará; se demorar, espera, pois ela virá com certeza e não tardará. 4Quem não é correto vai morrer, mas o justo viverá por sua fé”. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 9A(9)

Vós nunca abandonais quem vos procura, ó Senhor.
1. Deus sentou-se para sempre no seu trono, / preparou o tribunal do julgamento; / julgará o mundo inteiro com justiça, / e as nações há de julgar com equidade. – R.
2. O Senhor é o refúgio do oprimido, / seu abrigo nos momentos de aflição. / Quem conhece o vosso nome em vós espera, / porque nunca abandonais quem vos procura. – R.
3. Cantai hinos ao Senhor Deus de Sião, / celebrai seus grandes feitos entre os povos! / Pois não esquece o clamor dos infelizes, / deles se lembra e pede conta do seu sangue. – R.
Evangelho: Mateus 17,14-20

Aleluia, aleluia, aleluia.
Jesus Cristo salvador destruiu o mal e a morte; / fez brilhar pelo Evangelho a luz e a vida imperecíveis (2Tm 1,10). – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – 14Naquele tempo, chegando Jesus e seus discípulos junto da multidão, um homem aproximou-se de Jesus, ajoelhou-se e disse: 15“Senhor, tem piedade do meu filho. Ele é epilético e sofre ataques tão fortes, que muitas vezes cai no fogo ou na água. 16Levei-o aos teus discípulos, mas eles não conseguiram curá-lo!” 17Jesus respondeu: “Ó gente sem fé e perversa! Até quando deverei ficar convosco? Até quando vos suportarei? Trazei aqui o menino”. 18Então Jesus o ameaçou e o demônio saiu dele. Na mesma hora, o menino ficou curado. 19Então, os discípulos aproximaram-se de Jesus e lhe perguntaram em particular: “Por que nós não conseguimos expulsar o demônio?” 20Jesus respondeu: “Porque a vossa fé é demasiado pequena. Em verdade vos digo, se vós https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/8-sabado-3/#.XylFDjVv_IUtiverdes fé do tamanho de uma semente de mostarda, direis a esta montanha: ‘Vai daqui para lá’, e ela irá. E nada vos será impossível”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Diante da incapacidade dos discípulos de curar o epilético, Jesus parece dar mostras de cansaço: “Até quando irei suportá-los?”. E recrimina seus discípulos “por causa de sua fraqueza na fé”. Aquela geração, sobretudo os discípulos, se contentavam em ganhar benefícios (partilha do alimento para a multidão) e maravilhar-se com os milagres operados por Jesus. Não basta. Jesus espera que o povo o reconheça como o Filho de Deus e assuma seu projeto de vida e libertação. Os discípulos têm necessidade de reforçar a fé para enfrentar as tribulações próprias do seguimento a Jesus. Estamos talvez no mesmo nível dos discípulos: somos uma geração sem fé autêntica. Não agimos em nome de Jesus. Então, os milagres não se dão ou acontecem raramente.
Oração
Ó Jesus, nosso Libertador, a cura que realizas em favor do menino epiléptico torna-se ocasião para nos instruíres sobre o poder da fé. Teus discípulos, por “sua fraqueza na fé”, não conseguiram curar a criança. Mas, para quem tem fé, como afirmas, “nada será impossível”. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte -

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Liturgia Diária. Sexta-feira, 07/08/2020

 
DIA 7 – SEXTA-FEIRA
   
18ª SEMANA COMUM*
(verde – ofício do dia)
Meu Deus, vinde libertar-me, apressai-vos, Senhor, em socorrer-me. Vós sois o meu socorro e o meu libertador; Senhor, não tardeis mais (Sl 69,2.6).
Aos oprimidos Deus faz promessa de paz, e aos opressores deixa severa advertência. Celebremos confiantes no Senhor, que conduz a história da humanidade e nos chama ao seguimento fiel de seu Filho.
Primeira Leitura: Naum 2,1.3; 3,1-3.6-7

Leitura da profecia de Naum – 1“Eis sobre os montes os passos de um mensageiro, que anuncia a paz. Ó Judá, celebra tuas festas, cumpre tuas promessas: nunca mais Belial pisará teu solo; ele foi aniquilado. 3O Senhor há de restaurar a grandeza de Jacó, assim como a grandeza de Israel, pois os ladrões os saquearam e devastaram suas videiras. 3,1Ai de ti, cidade sanguinária, cheia de imposturas, cheia de espoliação e de incessante rapinagem. 2Estalo de chicotes, fragor de rodas, cavalos relinchando, ringir de carros impetuosos, cavaleiros à carga, 3espadas brilhando e lanças reluzentes, trucidados sem conta, mortos aos montes; cadáveres sem fim, tropeça-se sobre os corpos. 6Farei cair sobre ti tuas abominações e te lançarei em rosto merecidos insultos; de ti farei um exemplo. 7Assim, todos os que te virem fugirão para longe, dizendo: ‘Nínive está em ruínas! Quem terá compaixão dela? Onde achar quem a console?'” – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: Dt 32

Sou eu que tiro a vida, sou eu quem faz viver!
1. Já vem o dia em que serão arruinados / e o seu destino se apressa em chegar. / Porque o Senhor fará justiça ao seu povo / e salvará todos aqueles que o servem. – R.
2. Saibam todos que eu sou, somente eu, / e não existe outro Deus além de mim: / quem mata e faz viver sou eu somente, / sou eu que firo e eu que torno a curar. – R.
3. Se eu afiar a minha espada reluzente / e com as minhas próprias mãos fizer justiça, / dos adversários todos hei de me vingar / e vou retribuir aos que odeiam. – R.
Evangelho: Mateus 16,24-28

Aleluia, aleluia, aleluia.
Felizes os que são perseguidos / por causa da justiça do Senhor, / porque o Reino dos céus há de ser deles! (Mt 5,10) – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 24Jesus disse aos discípulos: “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. 25Pois quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim vai encontrá-la. 26De fato, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, mas perder a sua vida? O que poderá alguém dar em troca de sua vida? 27Porque o Filho do Homem virá na glória do seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com a sua conduta. 28Em verdade vos digo: alguns daqueles que estão aqui não morrerão antes de verem o Filho do Homem vindo com o seu Reino”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

No centro do discurso, a cruz. Com a morte de Jesus, a cruz se torna símbolo de fidelidade aos planos de Deus e de luta pela justiça. Com efeito, Jesus morreu na cruz, porque se colocou do lado da multidão pobre, doente, marginalizada e oprimida. Sofreu a humilhação da cruz, porque não fez aliança com os poderosos, nem aceitou suas falsidades e exploração. Morreu crucificado, porque não se acovardou diante das ameaças dos inimigos, nem mutilou a verdade de sua mensagem. Foi pregado na cruz, porque se manteve totalmente fiel à vontade do Pai, com quem vivia em constante comunhão e sintonia. A partir de Jesus, a cruz se torna sinal de vitória, triunfo da verdade e fidelidade a Deus e à pregação do evangelho. Todo cristão é convidado a tomar a própria cruz e seguir Jesus até o fim.
Oração
Ó Jesus, Caminho, Verdade e Vida, a teus discípulos, e a nós, deixas orientação segura: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”. Dá-nos, Senhor, não só a compreensão de tuas palavras, mas também a força para aplicá-las em nossa vida. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-7-sexta-feira-13/#.XylEtTVv_IU

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Liturgia Diária. Quinta-feira, 06/08/2020

 
6 – QUINTA-FEIRA
   
TRANSFIGURAÇÃO DO SENHOR
(branco, glória, prefácio próprio – ofício da festa)
O Espírito Santo apareceu na nuvem luminosa e a voz do Pai se fez ouvir: Este é o meu Filho amado, nele depositei todo o meu amor. Escutai-o (Mt 17,5).
O episódio da Transfiguração do Senhor tornou-se objeto de festa litúrgica desde o século 5º, no Oriente, e o século 10º, em Roma. O significado da festa pode ser extraído do seu prefácio próprio: Jesus fez resplandecer sua glória “para que os discípulos não se escandalizassem da cruz” e para manifestar “o esplendor que refulgiria em todos os cristãos”. Abramos o coração para acolher o Filho amado de Deus e compartilhar de sua herança.
Primeira Leitura: Daniel 7,9-10.13-14

Leitura da profecia de Daniel – 9Eu continuava olhando até que foram colocados uns tronos, e um ancião de muitos dias aí tomou lugar. Sua veste era branca como neve, e os cabelos da cabeça, como lã pura; seu trono eram chamas de fogo, e as rodas do trono, como fogo em brasa. 10Derramava-se aí um rio de fogo que nascia diante dele; serviam-no milhares de milhares, e milhões de milhões assistiam-no ao trono; foi instalado o tribunal, e os livros foram abertos. 13Continuei insistindo na visão noturna, e eis que, entre as nuvens do céu, vinha um como filho de homem, aproximando-se do ancião de muitos dias, e foi conduzido à sua presença. 14Foram-lhe dados poder, glória e realeza, e todos os povos, nações e línguas o serviam: seu poder é um poder eterno que não lhe será tirado, e seu reino, um reino que não se dissolverá. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 96(97)

Deus é rei, é o Altíssimo, / muito acima do universo.
1. Deus é rei! Exulte a terra de alegria, / e as ilhas numerosas rejubilem! / Treva e nuvem o rodeiam no seu trono, / que se apoia na justiça e no direito. – R.
2. As montanhas se derretem como cera / ante a face do Senhor de toda a terra; / e assim proclama o céu sua justiça, / todos os povos podem ver a sua glória. – R.
3. Porque vós sois o Altíssimo, Senhor, muito acima do universo que criastes, / e de muito superais todos os deuses. – R.
Evangelho: Mateus 17,1-9

Aleluia, aleluia, aleluia.
Eis meu Filho muito amado, / nele está meu bem-querer, / escutai-o, todos vós! (Mt 17,5). – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 1Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os levou a um lugar à parte, sobre uma alta montanha. 2E foi transfigurado diante deles; o seu rosto brilhou como o sol, e as suas roupas ficaram brancas como a luz. 3Nisto apareceram-lhes Moisés e Elias, conversando com Jesus. 4Então Pedro tomou a palavra e disse: “Senhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias”. 5Pedro ainda estava falando quando uma nuvem luminosa os cobriu com sua sombra. E da nuvem uma voz dizia: “Este é o meu Filho amado, no qual eu pus todo meu agrado. Escutai-o!” 6Quando ouviram isso, os discípulos ficaram muito assustados e caíram com o rosto em terra. 7Jesus se aproximou, tocou neles e disse: “Levantai-vos e não tenhais medo”. 8Os discípulos ergueram os olhos e não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus. 9Quando desciam da montanha, Jesus ordenou-lhes: “Não conteis a ninguém esta visão até que o Filho do Homem tenha ressuscitado dos mortos”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Jesus, junto com Pedro, Tiago e João, sobe a montanha e lá se transfigura (transforma) diante deles. O Mestre aparece na sua glória (seu rosto brilha e suas roupas ficam brancas) e se mostra vitorioso contra as forças do mal. Moisés e Elias simbolizam o Antigo Testamento: a lei e os profetas. Os discípulos caem na tentação de permanecer nessa realidade fascinante, mas precisam voltar à missão, que se realiza na planície. Da nuvem sai a confirmação de que Jesus é o Filho amado de Deus. É necessário ouvi-lo, pois ele revela o projeto de seu Pai. O desejo de Pedro é a grande tentação de todos os tempos: buscar na religião conforto e segurança. Eles precisam levantar-se e abandonar o medo para enfrentar a realidade da missão, nem sempre fácil. O medo é grande obstáculo que paralisa a Igreja e a impede de assumir sua missão profética, acomodando-a a uma vida tranquila e desobrigando-a de se preocupar com a realidade do povo.
Oração
Ó Jesus, Filho do Homem, pela transfiguração, revelaste aos apóstolos que a tua vida não caminha para o fracasso, mas para a glória eterna. Revelaste também que és o Filho amado do Pai, a quem devemos sempre escutar. Concede-nos coração receptivo e ouvidos atentos aos teus ensinamentos. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/6-quinta-feira-2/#.XylEYDVv_IU

quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Liturgia Diária. Quarta-feira, 05/08/2020

 
5 – QUARTA-FEIRA
   
18ª SEMANA COMUM*
(verde – ofício do dia)
Meu Deus, vinde libertar-me, apressai-vos, Senhor, em socorrer-me. Vós sois o meu socorro e o meu libertador; Senhor, não tardeis mais (Sl 69,2.6).
Deus prepara tempos promissores para seu povo, todos exultarão de alegria. Acolhamos a visita do nosso Deus, que tem o poder de renovar em nós a vida.
Primeira Leitura: Jeremias 31,1-7

Leitura do livro do profeta Jeremias – 1“Naquele tempo, diz o Senhor, serei Deus para todas as tribos de Israel, e elas serão meu povo”. 2Isto diz o Senhor: “Encontrou perdão no deserto o povo que escapara à espada; Israel encaminha-se para o seu descanso”. 3O Senhor apareceu-me de longe: “Amei-te com amor eterno e te atraí com a misericórdia. 4De novo te edificarei, serás reedificada, ó jovem nação de Israel; de novo teus tambores ornarão as praças e sairás entre grupos de dançantes. 5Hás de plantar vinhas nos montes de Samaria; os cultivadores hão de plantar e também colher. 6Virá o dia em que gritarão os guardas no monte Efraim: ‘Levantai-vos, vamos a Sião, vamos ao Senhor, nosso Deus’. 7Isto diz o Senhor: Exultai de alegria por Jacó, aclamai a primeira das nações; tocai, cantai e dizei: ‘Salva, Senhor, teu povo, o resto de Israel'”. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: Jr 31

O Senhor nos guardará qual pastor a seu rebanho.
1. Ouvi, nações, a palavra do Senhor / e anunciai-a nas ilhas mais distantes: / “Quem dispersou Israel, vai congregá-lo / e o guardará qual pastor a seu rebanho!” – R.
2. Pois, na verdade, o Senhor remiu Jacó / e o libertou do poder do prepotente. / Voltarão para o monte de Sião, entre brados e cantos de alegria / afluirão para as bênçãos do Senhor. – R.
3. Então a virgem dançará alegremente, / também o jovem e o velho exultarão; / mudarei em alegria o seu luto, / serei consolo e conforto após a guerra. – R.
Evangelho: Mateus 15,21-28

Aleluia, aleluia, aleluia.
Um grande profeta surgiu entre nós / e Deus visitou o seu povo, aleluia (Lc 7,16). – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 21Jesus retirou-se para a região de Tiro e Sidônia. 22Eis que uma mulher cananeia, vindo daquela região, pôs-se a gritar: “Senhor, filho de Davi, tem piedade de mim: minha filha está cruelmente atormentada por um demônio!” 23Mas Jesus não lhe respondeu palavra alguma. Então, seus discípulos aproximaram-se e lhe pediram: “Manda embora essa mulher, pois ela vem gritando atrás de nós”. 24Jesus respondeu: “Eu fui enviado somente às ovelhas perdidas da casa de Israel”. 25Mas a mulher, aproximando-se, prostrou-se diante de Jesus e começou a implorar: “Senhor, socorre-me!” 26Jesus lhe disse: “Não fica bem tirar o pão dos filhos para jogá-lo aos cachorrinhos”. 27A mulher insistiu: “É verdade, Senhor; mas os cachorrinhos também comem as migalhas que caem da mesa de seus donos!” 28Diante disso, Jesus lhe disse: “Mulher, grande é a tua fé! Seja feito como tu queres!” E desde aquele momento sua filha ficou curada. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Pode-se imaginar o desespero da mulher cananeia: sua filha “está terrivelmente endemoninhada”. Ao chamar Jesus de “Senhor”, ela representa os pagãos que, no futuro, iriam crer em Jesus. A princípio, Jesus não diz sequer uma palavra, atitude que poderia deixar com raiva a mulher aflita. Mas ela não desiste. Para se verem livres dela, os discípulos pedem que Jesus lhe dê atenção. Jesus fala com ela, salientando que Israel tem preferência no plano da salvação. Desafio para a fé da mulher pagã; ensinamento para os discípulos que mais tarde irão anunciar o evangelho pelo mundo afora. Ela sustenta o debate e mostra que pode haver fé autêntica também fora do povo de Israel e aí muitos estão esperando ao menos uma migalha do Reino de Deus. Saída magistral. Fé admirável, realçada pelo Mestre.
Oração
Ó Jesus, “Filho de Davi”, em território estrangeiro uma senhora te implora a libertação de sua filha, “terrivelmente endemoninhada”. A princípio, dás a impressão de não te importares com a mulher. Porém, por sua insistência e fé admirável, realizas o seu pedido. Aumenta, Senhor, a nossa fé. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/5-quarta-feira-2/#.XylDtjVv_IU

terça-feira, 4 de agosto de 2020

Liturgia Diária. Terça-feira, 04/08/2020

 
4 – TERÇA-FEIRA
   
SÃO JOÃO MARIA VIANNEY
PRESBÍTERO E CONFESSOR
(branco, pref. comum ou dos pastores – ofício da memória)
Eu vos darei pastores segundo o meu coração, que vos conduzam com inteligência e sabedoria (Jr 3,15).
Nascido em 1786 na França, João enfrentou sérias dificuldades nos estudos. Contudo, foi ordenado padre e enviado a uma pequena aldeia, onde conquistou lentamente os habitantes do lugar. Foi um dos maiores confessores da Igreja no país. Dotado de extrema generosidade, dava aos pobres suas roupas e calçados. Seus sábios conselhos moveram multidões, que a ele recorriam de todas as partes. Faleceu em 1859. O papa Pio 11 o nomeou patrono de todos os párocos. Deixemo-nos impulsionar por seus exemplos de humildade, vida de oração e zelo pastoral.
Primeira Leitura: Jeremias 30,1-2.12-15.18-22

Leitura do livro do profeta Jeremias – 1Palavra que foi dirigida a Jeremias da parte do Senhor: 2“Isto diz o Senhor, Deus de Israel: Escreve para ti, num livro, todas as palavras que te falei. 12Isto diz o Senhor: Incurável é tua ferida, maligna tua chaga; 13não há quem conheça teu diagnóstico; uma úlcera tem remédio, mas em ti não se produz cicatrização. 14Todos os teus amigos te esqueceram, não te procuram mais; eu te causei uma ferida, como se fosses inimigo, como um castigo cruel, por causa do grande número de maldades que te fez endurecer no pecado. 15Por que gritas em teu sofrimento? É insanável a tua dor. Eu te tratei com rudeza por causa das tuas inúmeras maldades e por causa do teu endurecimento no pecado. 18Isto diz o Senhor: Eis que eu mudarei a sorte das tendas de Jacó e terei compaixão de suas moradias, a cidade ressurgirá das suas ruínas e a fortaleza terá lugar para suas fundações; 19de lá sairão cânticos de louvor e sons festivos. Hei de multiplicá-los, eles não diminuirão, hei de glorificá-los, eles não serão humilhados. 20Teus filhos serão felizes como outrora, e sua comunidade, estável na minha presença; e agirei contra todos os que os molestarem. 21Para chefe será escolhido um dos seus, e o soberano sairá do seu meio; eu o incitarei, e ele se aproximará de mim. Quem dará a vida em penhor da sua aproximação de mim? – diz o Senhor. 22Sereis meu povo e eu serei vosso Deus”. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 101(102)

O Senhor olhou a terra do alto céu.
1. As nações respeitarão o vosso nome, / e os reis de toda a terra, a vossa glória; / quando o Senhor reconstruir Jerusalém / e aparecer com gloriosa majestade, / ele ouvirá a oração dos oprimidos / e não desprezará a sua prece. – R.
2. Para as futuras gerações se escreva isto, / e um povo novo a ser criado louve a Deus. / Ele inclinou-se de seu templo nas alturas, / e o Senhor olhou a terra do alto céu, / para os gemidos dos cativos escutar / e da morte libertar os condenados. – R.
3. Assim também a geração dos vossos servos terá casa e viverá em segurança, / e ante vós se firmará sua descendência. / Para que cantem o seu nome em Sião / e louve ao Senhor Jerusalém / quando os povos e as nações se reunirem / e todos os impérios o servirem. – R.
Evangelho: Mateus 15,1-2.10-14

Aleluia, aleluia, aleluia.
Mestre, tu és o Filho de Deus, / és rei de Israel! (Jo 1,49) – R.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – 1Naquele tempo, alguns fariseus e mestres da Lei, vindos de Jerusalém, aproximaram-se de Jesus e perguntaram: 2“Por que os teus discípulos não observam a tradição dos antigos? Pois não lavam as mãos quando comem o pão?” 10Jesus chamou a multidão para perto de si e disse: “Escutai e compreendei. 11Não é o que entra pela boca que torna o homem impuro, mas o que sai da boca, isso é que torna o homem impuro”. 12Então os discípulos se aproximaram e disseram a Jesus: “Sabes que os fariseus ficaram escandalizados ao ouvir as tuas palavras?” 13Jesus respondeu: “Toda planta que não foi plantada pelo meu Pai celeste será arrancada. 14Deixai-os! São cegos guiando cegos. Ora, se um cego guia outro cego, os dois cairão no buraco”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Doutores da Lei e fariseus se organizam e, de modo solene e oficial, partem para questionar Jesus. E fazem uma acusação grave: “Por que os teus discípulos desobedecem à tradição dos antepassados?” Na resposta para eles, Jesus inclui também a multidão e expõe um critério válido para todos os tempos e consciências: a impureza da pessoa não provém de um alimento, mas do íntimo da própria pessoa. Impuro é o ser humano com suas más intenções, egoísmo, injustiça… Impermeáveis, os fariseus saem como chegaram. A mensagem de Jesus não encontra acolhida neles, nem os leva a mudar de comportamento. Jesus então revela quem de fato eles são: “cegos guiando cegos”. Por não conhecerem o caminho, enganam os outros. Não são confiáveis.
Oração
Ó Jesus Mestre, os fariseus se preocupam com a limpeza das mãos, ao passo que tu salientas a importância da pureza interior. E recomendas que os discípulos e a multidão não sigam as orientações deles, pois “são cegos guiando cegos”. Não merecem crédito. Só tu és o nosso verdadeiro Guia. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/?gclid=Cj0KCQiAkKnyBRDwARIsALtxe7hM1FDt5JOpsnmMWDmdw9iuwvfn58jLvGmhnPLa1ZGIqRE-g5YxD7EaApywEALw_wcB#.XylDQTVv_IW