Sorteio

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Evangelho de hoje, sábado, 16/02/2019


Evangelho do dia - Mc 8,1-10
1Naqueles dias, havia de novo uma grande multidão e não tinha o que comer. Jesus chamou os discípulos e disse: 2“Tenho compaixão dessa multidão, porque já faz três dias que está comigo e não tem nada para comer. 3Se eu os mandar para casa sem comer, vão desmaiar pelo caminho, porque muitos deles vieram de longe”.
4Os discípulos disseram: “Como poderia alguém saciá-los de pão aqui no deserto?” 5Jesus perguntou-lhes: “Quantos pães tendes?” Eles responderam: “Sete”.
6Jesus mandou que a multidão se sentasse no chão. Depois, pegou os sete pães, e deu graças, partiu-os e ia dando aos seus discípulos, para que os distribuíssem. E eles os distribuíram ao povo.
7Tinham também alguns peixinhos. Depois de pronunciar a bênção sobre eles, mandou que os distribuíssem também. 8Comeram e ficaram satisfeitos, e recolheram sete cestos com os pedaços que sobraram. 9Eram quatro mil, mais ou menos. E Jesus os despediu. 10Subindo logo na barca com seus discípulos, Jesus foi para a região de Dalmanuta.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Acompanhe nossas redes sociais


Horário de missas na paróquia


Jesus quer nos devolver a capacidade de ouvirmos a Ele e aos outros

Precisamos que a saliva de Jesus toque os nossos ouvidos, para nos restaurar e nos fazer ouvir o que precisamos ouvir
“Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão” (Marcos 7,32).
Esse homem do Evangelho era surdo, ou seja, não tinha a capacidade da audição. Mas um dia ele escutou, porque ele falava; e para falar é preciso escutar. Porém, ele falava com muita dificuldade e, com certeza, essa dificuldade para falar era decorrente da sua capacidade de ouvir.
Quem não escuta bem, não pode falar bem. E falar bem não é falar bonito ou ter bons discursos, porque, de repente podemos ler e aprendermos a arte da oratória. Refiro-me à capacidade de dialogar, de comunicar-se e expressar-se. Capacidades essas que, ao longo da vida, vamos perdendo, porque perdemos a capacidade de ouvir, de ouvir a Deus.
Como é difícil escutar a Deus num mundo de tanto barulho! Neste mundo agitado onde vivemos, se olharmos para dentro das nossas casas, o barulho está cada vez maior. São muitos aparelhos ligados ao mesmo tempo, aparelhos de televisão, de rádio, programas na internet etc. E, quando saímos de casa, o barulho da rua é algo que nos deixa surdos. Entramos dentro dos comércios e tem barulho para todos os lados, assim não escutamos a Deus, e escutamos muito mal uns aos outros.
Mas, o pior barulho é aquele que se instalou dentro de nós. Pois, está tudo muito bagunçado dentro de nós, com muitas vozes gritando e clamando dentro do nosso coração. Barulhos que tiram até o nosso sono.
É muito barulho na nossa mente, por isso, muitas vezes, temos dores de cabeça, enxaquecas; são preocupações, devaneios, perturbações, inquietações. É o barulho da ansiedade que não nos deixa quietos e vai nos mexendo, até que os nossos tímpanos interiores são rompidos.
Por conta de tantos barulhos dentro da cabeça e do coração, não escutamos mais o que o outro falou. O filho não escuta mais os seus pais; o casal não é mais capaz de escutar um ao outro. E, quando não se escuta, também, não se fala. Perdemos a capacidade do diálogo e não sabemos mais dialogar uns com os outros, ou seja, conversar, escutar.
Hoje, o tempo inteiro, estamos escrevendo em redes sociais, mas perdemos a capacidade de ouvir e de escutar.  
Então, precisamos de Jesus tocando nos nossos ouvidos; recuperando em nosso interior a capacidade de escutá-Lo, e de escutarmos uns aos outros. Precisamos que a saliva de Jesus venha tocar os nossos ouvidos, para nos restaurar e nos fazer ouvir o que precisamos ouvir; e falar o que precisamos falar.
Ouvir e falar são capacidades do ser humano para se comunicar. Hoje, que a graça de Deus recupere em nossas casas, lares, famílias e onde quer que estejamos, o dom da comunicação. Dom esse tão necessário para que se estabeleça a graça de Deus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook                       

Evangelho de hoje, sexta-feira, 15/02/2019


Evangelho do dia - Mc 7,31-37
Naquele tempo, 31Jesus saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da Galileia, atravessando a região da Decápole. 32Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão. 33Jesus afastou-se com o homem, para fora da multidão; em seguida, colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e com a saliva tocou a língua dele. 34Olhando para o céu, suspirou e disse: “Efatá!”, que quer dizer: “Abre-te!” 35Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade.
36Jesus recomendou com insistência que não contassem a ninguém. Mas, quanto mais ele recomendava, mais eles divulgavam. 37Muito impressionados, diziam: “Ele tem feito bem todas as coisas: Aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”. 
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Imploremos a Jesus pelos nossos filhos

Precisamos cuidar dos nossos filhos e levá-los para Jesus
“Uma mulher, que tinha uma filha com um espírito impuro, ouviu falar de Jesus. Foi até ele e caiu a seus pés” (Marcos 7,5).
Nós nascemos puros! E ainda que tenhamos a marca do pecado original, a graça do batismo nos purifica.
As crianças são puras. E como são belas as nossas crianças! É verdade que, por descuido, por falta de zelo ou por outra circunstância da vida, nossos filhos se sujam com o mundo e, nós, também, nos sujamos.
E, os espíritos impuros, ao longo da caminhada, vão entrando em nossa vida, na nossa história. Às vezes, é dentro de casa mesmo, pois dentro de uma casa onde se fala palavrão, o espírito impuro invade a mente das crianças. Numa casa onde tem gritarias, brigas e tantas outras coisas, tudo isso invade o interior dos filhos e, com toda a certeza, também invade o interior dos adultos.
Hoje permite-se tudo: televisão, internet, redes sociais. São bens necessários, mas trazem um mundo de impureza para dentro das nossas casas e, também, para dentro dos nossos filhos. Nós não podemos ser ingênuos e nem inocentes com aquilo que invade os sentimentos e pensamentos, inclusive, das nossas crianças.
No Evangelho, aquela menina sofre com o espírito impuro, está toda atormentada. E quantas meninas tão cedo se deixam levar pelo espírito deste mundo! Quantas moças e quantos rapazes, cada vez mais cedo, são seduzidos pelo espírito deste mundo. E, mais cedo ainda, é grande a quantidade de jovens querendo se suicidar porque perderam o sentido da vida.
Então, o primeiro remédio é a prevenção. Precisamos cuidar dos nossos filhos com amor, atenção, e ter cuidado com os espíritos impuros, maldosos, imundos. Espíritos mundanos que roubam, cada vez mais cedo, a pureza dos nossos.
No Evangelho, aquela mãe aflita, estava com o coração amargurado por causa do que aconteceu com sua filha. Essa mãe implora a Jesus pela vida da filha. Pede que a liberte daquele espírito impuro que a atormentava, que tirava a paz interior dela, que a deixava sempre agitada, e fazia com que ela perdesse o sentido da vida.
Esse espírito impuro precisava ser expulso da vida dela. Aquela mãe sabia que só Jesus poderia fazer isso por sua filha. E ela implora, inclusive pelas migalhas, pois como ela não era judia e, Jesus estava pregando para os judeus, para o povo da primitiva aliança, ela rompeu toda e qualquer barreira e diz: “Os cães têm direito às migalhas”.
Nós precisamos das migalhas de Jesus para os nossos filhos. Podemos dar o “Pão da Palavra”, o “Pão da Eucaristia”, o “Pão que salva”, mas se rejeitamos o Pão da Palavra, o Pão da Eucaristia, o banquete da vida,  se não os damos aos nossos filhos, o mundo tomará conta deles.
Precisamos mais do que nunca, implorar como aquela mulher: “Jesus, salva os nossos filhos”.
Deus abençoe você!    
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Hoje na paróquia