Sorteio

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Nossa pequenez nos torna grandes no coração de Deus

O que nos faz grandes ao coração de Deus é nos tornarmos pequenos e insignificantes
“Em verdade eu vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele” (Mateus 11,11).
A Palavra de Deus, hoje, exalta a figura de João Batista, aquele que batizava. Era muito mais do que aquilo ele fazia além do Jordão, levando as pessoas à conversão, à mudança; ele, na verdade, trazia um batismo de transformação de vida.
João era um convertido, um homem todo de Deus desde o ventre de sua mãe. Ele viveu a graça de ser todo de Deus, santificado ainda no ventre. Por isso, o Evangelho exalta que entre os nascidos de mulher não houve ninguém maior do que João; maior na importância e no profetismo. João é aquele que encerra o profetismo do Antigo Testamento e abre as portas para a profecia do Novo Testamento.
O mesmo Evangelho que o exalta coloca uma outra condição ao nos dizer que o menor no Reino dos Céus é maior do que João. Veja que o Reino dos Céus não é para os grandes, mas para os pequenos.
João era pequeno e se fazia cada vez menor. Ele mesmo dizia a respeito de Jesus: “Convém que Ele cresça, que Ele apareça, que Ele seja exaltado” e que eu desapareça, que eu diminua, porque quem se põe a ser de Deus não se põe para ser grande, o mais importante ou o exaltado, muito pelo contrário, se põe na condição de ser o menor, de ser até aquele que é tido como insignificante, sem importância nenhuma, porque esse é o mais importante no coração de Deus.
Vivemos um tempo em que o sentimento de grandeza, de importância, valorização e exaltação das pessoas tomam conta dos sentimentos humanos porque, muitas vezes, se deixam levar por esse sentimento quando experimentam a depreciação, a crítica, a desvalorização, e caem no vazio existencial, mergulham, muitas vezes, numa depressão, estão com o coração tomado por uma angústia sem nome e sem proporção, porque vivem à mercê da valorização.
O valor que temos está no coração de Deus, e para descobrir o nosso valor precisamos rebaixar o nosso orgulho, a nossa soberba, esse sentimento de grandeza que, muitas vezes, toma conta de nós.
Deus quer que sejamos maiores do que João Batista. Não precisamos pregar mais do que ele nem fazer mais penitências do que ele, não precisamos realizar todas as obras que ele fez, porque ele fez a sua missão.
Podemos realizar a nossa missão, assumir as nossas responsabilidades, mas é essencial a humildade e a pequenez.
Não faça nada com espírito de orgulho e soberba, você pode até pregar o Evangelho no mundo inteiro, mas se o que o motiva é o orgulho, para Deus é depreciativo o que você faz.
O que nos torna grandes ao coração de Deus é nos tornarmos pequenos e insignificantes. Convém que Jesus cresça e que nós sejamos cada vez menores.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Hoje na paróquia


Evangelho de hoje, quinta-feira, 13/12/2018


Evangelho do dia - Mt 11,11-15
Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 11“Em verdade eu vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele. 12Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos Céus sofre violência, e são os violentos que o conquistam. 13Com efeito, todos os Profetas e a Lei profetizaram até João. 14E se quereis aceitar, ele é o Elias que há de vir. 15Quem tem ouvidos, ouça”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Supliquemos a Mãe do Céu que Ela venha nos visitar

Supliquemos a Mãe de Deus que Ela venha socorrer a nossa pobreza, a nossa miséria mas, sobretudo, a nossa falta de fé
“Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar?” (Lucas 1,42-43).
A expressão de alegria, contentamento e jubilo que vem do coração de Isabel é o contentamento daquela que teve a visita, o encontro com a Mãe do Senhor. Quando Maria sai de onde Ela está e vai ao encontro do outro para levar o Senhor, porque Ela é a portadora do Céu, Ela traz em si o filho eterno de Deus. Assim, como Ela foi levar Jesus para Isabel, veio trazer Jesus para a humanidade, Ela, também, nos visita.
Hoje, temos a graça de celebrar Nossa Senhora de Guadalupe. O continente pobre, sofrido e marcado pelas desigualdades sociais teve a graça de receber uma visita celeste única, de cuidado, de ternura e amor que chamamos de Senhora de Guadalupe.
O indígena, Juan Diego, representa todos os povos desse continente, afinal de contas, eles eram os primeiros habitantes desse lugar. Eles foram saqueados, roubados, maltratados; e a Mãe do Céu foi dizer a Juan Diego e a cada habitante desse continente: “Eu sou sua mãe. Eu estou contigo”, em outras palavras: “O Céu está do nosso lado. O Céu vem em nosso socorro, mesmo quando estamos explorados, maltratados, mesmo quando vemos reinar no meio de nós tantas injustiças e desigualdades”.
Não podemos perder o referencial do Céu. Se não buscamos o Céu, ele desce até nós para que não percamos a visão do sobrenatural. A aparição em Guadalupe, ainda no século XVI representa uma visão celeste extraordinária. Todos os sinais de Guadalupe revelam para nós uma manifestação milagrosa do amor de Deus neste povoado de Guadalupe, que se estende por todo o continente latino-americano.
Supliquemos a Mãe de Deus que Ela nos visite, que venha ao nosso encontro, que venha socorrer a nossa pobreza, a nossa miséria mas, sobretudo, a nossa falta de fé. Não nos percamos nas angústias da vida, nas tristezas e nas situações tenebrosas que, muitas vezes, passamos, sobretudo, os mais pobres, os mais sofridos e os mais desamparados. Encontremos em Maria o refúgio seguro do Céu.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Hoje na paróquia


Evangelho de hoje, quarta-feira, 12/12/2018


Evangelho do dia - Lc 1,39-47
39Naqueles dias Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou em seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. 46Então Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador”. 
— Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.