Sorteio

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Horário de missas na paróquia


Evangelho de hoje, sexta-feira, 21/09/2018


Evangelho do dia - Mt 9,9-13
Naquele tempo, 9Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu a Jesus.
10Enquanto Jesus estava à mesa, em casa de Mateus, vieram muitos cobradores de impostos e pecadores e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos. 11Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os cobradores de impostos e pecadores?”
12Jesus ouviu a pergunta e respondeu: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. 13Aprendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. De fato, eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Quais são as prioridades para uma família ser santa?


A família precisa ter momentos juntos de oração
Diariamente, vivemos, na nossa casa, situações em família, e precisamos tomar decisões: “Os filhos vão à festa de aniversário do amigo da escola?”, “Vão sair?”, “Como serão as próximas férias?”.

Há também situações que são preciosas para o fortalecimento da família, como ir à Missa, ter momentos de orações individuais e também em família. Guardo, em meu coração, uma frase de São João Paulo II sobre a importância da oração dentro de casa: “Não esqueçais que a oração em família é garantia de unidade num estilo de vida coerente com a vontade de Deus”.

Oração em família

Responda para você mesmo: “Você consegue rezar junto com sua família?”.
A maioria das famílias, hoje, não reza. Há também muitos que rezam. Os que já aderiram a essa prática, continuem, não desistam! Mas os que ainda não conseguiram, deixo aqui o convite: comecem agora!
Você pode estar pensando: “Paula, eu sou uma pessoa boa, minha família é do bem, está tudo certo na minha casa, mas eu não rezo!”. Se você já é uma boa mãe, imagina com a oração, ficará melhor ainda! Se você é um bom pai, será um superpai, muito melhor para seus filhos!
Se sua família já vai à Missa aos domingos, está aí uma grande vitória. Podemos, no entanto, receber mais graças se fizermos da nossa vida uma oração. Além de participarmos das Missas aos domingos e dias santos, como nos orienta a Igreja, podemos receber mais graças ainda se fizermos da nossa vida uma oração.
Não é ficar o dia inteiro de joelhos na igreja. Isso nem Deus quer! O Evangelho é oração e ação. O fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib, sempre nos ensinou que podemos orar ao ritmo da vida. Em casa, no serviço doméstico, no trabalho, sempre oferecendo ao Senhor o que estamos fazendo. Oração ao ritmo da vida. Cuidando das crianças, educando-as com o coração voltado para Deus, e assim você já está orando. Você pode não estar percebendo, mas você está orando.

Sem a caminhada fica mais difícil. Por isso, deixo a você uma dica: “Não sei o que você está passando em seu lar, se é a doença que visitou sua vida, se é uma traição. Mas acredite: o que vai sustentá-lo e mantê-lo firme para vencer todas as dificuldades do cotidiano é a oração”.
Em 2015, estive na abertura de um Grupo de Oração para Famílias, em Belém (PA). Foram dois dias de orações e palestras para as famílias. Quanta riqueza nas partilhas! Famílias inteiras participando, rezando por sua casa e escolhendo colocar Deus dentro de seu lar.

Fica a dica

Eu dizia a eles e repito a vocês:
– A oração precisa ser prioridade para a nossa casa;
– Todos nós precisamos rezar mais;
– Homens, vocês precisam ser homens de oração;
– Mulheres, vocês precisam ser mulheres de oração;
– A nossa família precisa ser uma família de oração;
– Família que crê tem sabor diferente.
Temos tempo para tudo, até para o que não é construtivo. Sabemos que tempo é questão de preferência; então, decida-se pela oração!

Paula Guimarães

Paula Guimarães é missionária da Comunidade Canção Nova, administradora, jornalista, apresentadora da TV Canção Nova e mestre em Comunicação
e Semiótica pela PUC-SP. Ela é autora dos livros “Como ser feliz em família – 15 passos para encontrar felicidade em seu lar”, “Esperança, cadê você? O que fazer para não entrar em desespero” e “TV Canção Nova – A vida por trás das câmeras” pela Editora Canção Nova.
Fonte - https://formacao.cancaonova.com/familia/pais-e-filhos/quais-sao-as-prioridades-para-uma-familia-ser-santa/

Jesus, perdoa todos os nossos pecados

A quem muito amamos muito perdoamos. Se não temos ou não demonstramos muito amor por Deus, também experimentamos muito pouco do Seu perdão
“Por esta razão, eu te declaro: os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados, porque ela mostrou muito amor. Aquele a quem se perdoa pouco mostra pouco amor” (Lucas 7,47).
O Evangelho de hoje é lindo e merece toda a nossa atenção. Uma mulher era conhecida, na cidade, como pecadora. Eu não sei, de fato, quais eram os pecados dessa mulher, mas ela recebeu o adjetivo de “pecadora”, e todos a conheciam assim.
As pessoas gostam de rotular umas as outras, mas, infelizmente, rotulam-se pelo negativo. Alguém que cometeu essa ou aquela falha, alguém que tem algo que não nos agrada… Muitas vezes, até esquecemos o nome da pessoa, mas em nós está o rótulo que temos dela. Se aquela pessoa tem um pecado, maior é o nosso pecado quando a rotulamos pelos seus defeitos, pelas suas fraquezas, pelos seus pecados e assim por diante.
Jesus não rotula ninguém; pelo contrário, Ele acolhe a todos. Por esse motivo, os pecadores se aproximam d’Ele, vão ao encontro d’Ele. Essa mulher, que oficialmente ninguém a tinha bem, que queriam distância dela, não encontrava o acolhimento que precisava.
Todos nós precisamos mudar de vida, mas não mudamos, porque achamos que o outro tem vida errada, o outro que é pecador. “Eu não faço o que ele faz.”
A nossa relação com Deus não se mede por comparação, mas pela proximidade, por um coração que reconhece sua miséria e necessita do amor misericordioso do Senhor.
Os religiosos da época de Jesus não O acolheram nem foram acolhidos por Ele. Não foi Jesus quem não os acolheu, mas foram eles que não sentiram necessidade d’Ele, pois já estavam justificados. Essa mulher era muito pecadora, assim a rotularam, mas ela tinha muita sede de amor, de cura e libertação. Ela se jogou aos pés de Jesus e passou nos pés d’Ele o melhor perfume e demonstrou todo o seu amor, por isso todos os seus pecados foram perdoados.
A quem muito amamos muito perdoamos. Se não temos ou não demonstramos muito amor por Deus, também experimentamos muito pouco do Seu perdão e da Sua misericórdia; e vamos crescendo no orgulho, na soberba espiritual de nos acharmos santos, justificados e melhores que os outros.
Que perigo de vida nós corremos! Que Deus nos dê juízo, sabedoria e humildade.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Hoje na matriz Divino Espírito Santo


Evangelho de hoje, quinta-feira, 20/09/2018


Evangelho do dia - Lc 7,36-50
Naquele tempo, 36um fariseu convidou Jesus para uma refeição em sua casa. Jesus entrou na casa do fariseu e pôs-se à mesa.
37Certa mulher, conhecida na cidade como pecadora, soube que Jesus estava à mesa, na casa do fariseu. Ela trouxe um frasco de alabastro com perfume, 38e, ficando por detrás, chorava aos pés de Jesus; com as lágrimas começou a banhar-lhe os pés, enxugava-os com os cabelos, cobria-os de beijos e os ungia com o perfume.
39Vendo isso, o fariseu que o havia convidado ficou pensando: “Se este homem fosse um profeta, saberia que 40tipo de mulher está tocando nele, pois é uma pecadora”.
Jesus disse então ao fariseu: “Simão, tenho uma coisa para te dizer”. Simão respondeu: “Fala, mestre!” 41“Certo credor tinha dois devedores; um lhe devia quinhentas moedas de prata, o outro cinquenta. 42Como não tivessem com que pagar, o homem perdoou os dois. Qual deles o amará mais?” 43Simão respondeu: “Acho que é aquele ao qual perdoou mais”. Jesus lhe disse: “Tu julgaste corretamente”.
44Então Jesus virou-se para a mulher e disse a Simão: “Estás vendo esta mulher? Quando entrei em tua casa, tu não me ofereceste água para lavar os pés; ela, porém, banhou meus pés com lágrimas e enxugou-os com os cabelos. 45Tu não me deste o beijo de saudação; ela, porém, desde que entrei, não parou de beijar meus pés. 46Tu não derramaste óleo na minha cabeça; ela, porém, ungiu meus pés com perfume. 47Por esta razão, eu te declaro: os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados porque ela mostrou muito amor. Aquele a quem se perdoa pouco mostra pouco amor”. 48E Jesus disse à mulher: “Teus pecados estão perdoados”. 49Então, os convidados começaram a pensar: “Quem é este que até perdoa pecados?” 50Mas Jesus disse à mulher: “Tua fé te salvou. Vai em paz”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Os pensamentos negativos nos afastam da misericórdia de Deus

Que Deus nos liberte das falsas pretensões e nos dê o verdadeiro olhar para enxergarmos o mundo com o olhar da misericórdia
“Pois veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e vós dissestes: ‘Ele está com um demônio!’ Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e vós dizeis: ‘Ele é um comilão e beberrão” (Lucas 7,33-34).
Quando escuto o Evangelho de hoje, fico impressionado com a capacidade humana de criticar e ver problema em tudo. Todos nós temos problemas não resolvidos, mas eu digo aqueles problemas interiores que nós escondemos e achamos que somos pessoas resolvidas. Passamos a vida criticando e vendo problemas nos outros, quando, na realidade, o problema somos nós. Não enxergamos os problemas que estão em nós, mas enxergamos sempre os defeitos e problemas dos outros.
Há pessoas que não têm a capacidade humana de reconhecer o que há de bom no outro. Quando se reúne, é capaz de criticar, zombar, ver defeitos, problemas e dificuldades em tudo e em todos, entretanto, quando é para procurar algo de bom, não é capaz. Ou seja, é aquela pessoa que vê erro em tudo e em todos, mas não é capaz de reconhecer seus próprios erros. Com isso, não acolhe a verdade, a misericórdia nem a salvação.
É isso que está acontecendo com os homens da época de Jesus: “Com quem hei de comparar essa geração?”. Essa é a geração daqueles que, de fato, só vivem para reconhecer problemas, defeitos e dificuldades. Quando olhamos para as nossas igrejas, comunidades e para o mundo em que vivemos, é verdade que têm limites e até erros grotescos, diante dos quais, humanamente, nos perguntamos: “Como aconteceu isso?”.
Este reino é constituído por pessoas humanas como qualquer um de nós. Queremos que os outros entendam que somos humanos, mas queremos olhar para eles como se fossem divinos; e quando não vemos o divino neles, vemos demônios. Mesmo Jesus vindo para os seus, eles O rejeitaram, viram n’Ele defeitos e problemas. “Jesus está com os publicanos. Ele come com os pecadores, então, Ele é um comilão e beberrão. João Batista, que O precedeu, que veio entre nós, não comia nem bebia, então, ele está possuído por um demônio”. Para quem quer sempre ver o lado negativo e problemático da vida, tudo é problema, em tudo há defeito, em nada há solução. A pessoa acha que somente ela é boa e merece reconhecimento.
Que Deus nos cure, salve-nos, liberte-nos das falsas pretensões e nos dê o verdadeiro olhar para enxergarmos o mundo com o olhar da misericórdia.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook