Sorteio

sábado, 25 de janeiro de 2020

Evangelho de hoje, domingo, 26/01/2020

Evangelho: Mateus 4,12-23 ou 12-17

[A forma breve está entre colchetes.]
Aleluia, aleluia, aleluia.
Pois do Reino a Boa-nova Jesus Cristo anunciava, / e as dores do seu povo, com poder, Jesus curava (Mt 4,23). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – [12Ao saber que João tinha sido preso, Jesus voltou para a Galileia. 13Deixou Nazaré e foi morar em Cafarnaum, que fica às margens do mar da Galileia, 14no território de Zabulon e Neftali, para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías: 15“Terra de Zabulon, terra de Neftali, caminho do mar, região do outro lado do rio Jordão, Galileia dos pagãos! 16O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz, e para os que viviam na região escura da morte brilhou uma luz”. 17Daí em diante, Jesus começou a pregar, dizendo: “Convertei-vos, porque o reino dos céus está próximo”.] 18Quando Jesus andava à beira do mar da Galileia, viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Estavam lançando a rede ao mar, pois eram pescadores. 19Jesus disse a eles: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. 20Eles imediatamente deixaram as redes e o seguiram. 21Caminhando um pouco mais, Jesus viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João. Estavam na barca com seu pai, Zebedeu, consertando as redes. Jesus os chamou. 22Eles imediatamente deixaram a barca e o pai e o seguiram. 23Jesus andava por toda a Galileia, ensinando em suas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando todo tipo de doença e enfermidade do povo. 
– Palavra da salvação.
- Glória a vós Senhor!
 
Reflexão:

João Batista sai de cena, e Jesus, após o batismo e a prova no deserto, entra de cheio na missão: estabelece morada em Cafarnaum; proclama o arrependimento e a proximidade do Reino; convoca alguns auxiliares; ensina e prega nas sinagogas, e cura o povo de suas enfermidades. O Mestre resume sua missão inicial com o imperativo: “Arrependam-se”, e proclama a chegada do Reino, sem explicar em que este consiste. Contudo, talvez se possa dizer que o arrependimento e a cura das enfermidades são a base do seu reinado. Ao chamar os primeiros seguidores, Jesus já indica sua proposta de discipulado: o convite como iniciativa dele, o desapego à segurança do trabalho (Pedro e André) e aos afetos familiares (Tiago e João), e, por fim, a comunhão com o Mestre, para depois se tornarem pescadores de gente, discípulos que libertam o povo de tudo aquilo que o degrada e destrói. Toda religião (a católica deveria ser a primeira) deveria buscar a defesa e a justiça para os pobres, pois só assim terá a bênção de Deus.
Oração
Ó Jesus, notável pregador da Galileia, chegas provocando saudável reviravolta ao teu redor. Anuncias que o Reino de Deus já está presente e nos convidas à verdadeira conversão. Dá-nos, Senhor, disposição e sensibilidade para sermos pescadores de gente, onde quer que estejamos. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))

Evangelho de hoje, sábado, 25/01/2020

Evangelho: Marcos 16,15-18

Aleluia, aleluia, aleluia.
Eu vos designei para que vades e deis frutos / e o vosso fruto permaneça, assim disse o Senhor (Jo 15,16). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, Jesus se manifestou aos onze discípulos 15e disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o evangelho a toda criatura! 16Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. 17Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; 18se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados”. 
– Palavra da salvação.
-Glória a vós Senhor!

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Evangelho de hoje, sexta-feira, 24/01/2020

Evangelho: Marcos 3,13-19

Aleluia, aleluia, aleluia.
Em Cristo, Deus reconciliou consigo mesmo a humanidade; / e a nós ele entregou essa reconciliação (2Cor 5,19). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 13Jesus subiu ao monte e chamou os que ele quis. E foram até ele. 14Então Jesus designou doze, para que ficassem com ele e para enviá-los a pregar, 15com autoridade para expulsar os demônios. 16Designou, pois, os doze: Simão, a quem deu o nome de Pedro; 17Tiago e João, filhos de Zebedeu, aos quais deu o nome de Boanerges, que quer dizer “filhos do trovão”; 18André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu, Tadeu, Simão, o cananeu, 19e Judas Iscariotes, aquele que depois o traiu. 
– Palavra da salvação.
-Glória a vós Senhor!

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

O amor faz com que cuidemos uns dos outros


“E, a partir daquele dia, não olhou mais para Davi com bons olhos”. (I Sm 18,9)
O povo está exaltando a Davi porque ele venceu o grande filisteu, Golias. Então, começa a clamar: “Davi matou a dez mil; Saul matou a mil”; o fato é que Saul ficou muito encolerizado. E por que que Saul ficou encolerizado? A cólera é o fruto da inveja, em vez de se alegrar com o bem que Davi fez, se unir a ele, exaltá-lo, pelo contrario, Saul ficou com inveja daquilo que Deus realizou por meio de Davi.
Pessoa invejosa é aquela que não se deixa guiar por Deus, mas por si própria; ela é incapaz de se alegrar com os dons que Deus dá ao outro, com o bem que Deus faz por meio de outros. E o coração que se enche de inveja, se enche de cólera, de raiva, de rancor, de ressentimento; e a primeira coisa que faz é falar mal. Dentro do seu coração mata-se aquela pessoa que é causa da inveja.
É, de fato, isso que Saul está fazendo; a cólera fez com que ele matasse dentro de si o amor, o sentimento mais nobre que podia e devia ter por Davi, que veio para ser, acima de tudo, um colaborador. Mas não, pois, dentro de si, ele já rejeita e mata Davi.

O amor faz com que cuidemos uns dos outros; o amor faz com que possamos proteger uns aos outros

Quando nos ressentimos com alguém e esse ressentimento não é curado, nós vamos matando essa pessoa dentro de nós; e, a primeira coisa que acontece é falarmos mal. Então, é isso que aconteceu, pois Saul vai para Jônatas, seu filho, para falar mal de Davi e, ainda, desejoso por matá-lo. Mas Jônatas, o filho de Saul, muito amava a Davi e era muito amigo dele. Ele não segue a cólera de Saul, muito pelo contrário, se precavê da cólera do seu pai; se isola daquilo que é a cólera, raiva; ele se blinda daquele mal. Jônatas, na verdade, vai advertir e ajudar o seu amigo.
Enquanto a inveja mata e faz de nós pessoas coléricas, maldosas; faz de nós pessoas que falam mal uma das outras, o amor faz com que cuidemos uns dos outros, o amor faz com que possamos proteger uns aos outros. Essa é a atitude de Jônatas, que amava profundamente a Davi que, por sua vez, o amava profundamente, pois havia sinceridade sincera, pura, autentica. E Jônatas vai ser o escudo, mesmo sabendo da ira do seu pai, para proteger o seu amigo.
Não sejamos pessoas do mal, da inveja, não sejamos pessoas da cólera, da ira, e sim do amor, assim como foi Jônatas, porque o amor liberta, protege, precavê, mas a inveja nos destrói e nos leva a destruirmos uns aos outros.
Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo


Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook


Evangelho de hoje, quinta-feira, 23/01/2020

Evangelho: Marcos 3,7-12

Aleluia, aleluia, aleluia.
Jesus Cristo salvador destruiu o mal e a morte; / fez brilhar pelo evangelho a luz e a vida imperecíveis (2Tm 1,10). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 7Jesus se retirou para a beira do mar junto com seus discípulos. Muita gente da Galileia o seguia. 8E também muita gente da Judeia, de Jerusalém, da Idumeia, do outro lado do Jordão, dos territórios de Tiro e Sidônia foi até Jesus, porque tinham ouvido falar de tudo o que ele fazia. 9Então Jesus pediu aos discípulos que lhe providenciassem uma barca, por causa da multidão, para que não o comprimisse. 10Com efeito, Jesus tinha curado muitas pessoas, e todos os que sofriam de algum mal jogavam-se sobre ele para tocá-lo. 11Vendo Jesus, os espíritos maus caíam a seus pés, gritando: “Tu és o Filho de Deus!” 12Mas Jesus ordenava severamente para não dizerem quem ele era. 
– Palavra da salvação.
-Glória a vós Senhor

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Evangelho de hoje, quarta-feira, 22/01/2020

Evangelho: Marcos 3,1-6

Aleluia, aleluia, aleluia.
Jesus pregava a Boa-nova, o Reino anunciando, / e curava toda espécie de doenças entre o povo (Mt 4,23). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 1Jesus entrou de novo na sinagoga. Havia ali um homem com a mão seca. 2Alguns o observavam para ver se haveria de curar em dia de sábado, para poderem acusá-lo. 3Jesus disse ao homem da mão seca: “Levanta-te e fica aqui no meio!” 4E perguntou-lhes: “É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal? Salvar uma vida ou deixá-la morrer?” Mas eles nada disseram. 5Jesus, então, olhou ao seu redor cheio de ira e tristeza, porque eram duros de coração, e disse ao homem: “Estende a mão”. Ele a estendeu e a mão ficou curada. 6Ao saírem, os fariseus com os partidários de Herodes imediatamente tramaram, contra Jesus, a maneira como haveriam de matá-lo. 
– Palavra da salvação.
-Glória a Vós Senhor!

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Vejamos o outro com o olhar da graça de Deus

“Eu não julgo segundo os critérios humanos, porque o homem vê as aparências, mas o Senhor olha o coração” (I Sm 16,7).
Samuel foi, acima de tudo, enviado para ver aquele que iria suceder a Saul no governo de Israel. E ele vai à casa de Jessé para ver qual dos filhos dele poderia suceder a Saul no governo de Israel. Samuel viu Eliabe e, logo que o viu, disse: “É este o ungido do Senhor, o primeiro que se apresentou, de boa aparência, formidável (…), mas Deus disse: Não, Samuel, não olhe para a aparência nem para sua grande estatura”. E, assim veio um filho após outro, e não era aquele o critério que Samuel deveria ter no coração.
Preciso dizer a você: também é preciso nos purificarmos desses critérios humanos, mundanos que, muitas vezes, tomam conta da nossa vida e do nosso coração. É preciso dizer que muita gente casa errado, namora errado, escolhe errado; não é porque Deus mandou, e sim porque seguiu os critérios humanos. Nós continuamos escolhendo os critérios puramente humanos para aquilo que nós fazemos e realizamos, nas amizades que temos, nas pessoas que colocamos à frente disso ou daquilo, a quem confiamos o nosso coração porque os nossos olhos se deixam enganar.

É preciso sair daquilo que é aparente, daquilo que aparenta ser bom

Quando não estamos na graça de Deus deixamos nos guiar pela bela voz, pelos olhos que nos chamam a atenção, pela forma do outro ser, agir. Não é para julgarmos e dizermos: “Cuidado! Está nos enganando”; mas é preciso ter um critério mais divino.
É preciso sair daquilo que é aparente, ou seja, daquilo que aparenta ser bom, até porque, todos nós vivemos num “mundo da maquiagem”. Somos todos maquiados naquilo que fazemos, então, a nossa essência, muitas vezes, fica escondida; mas é ali que Deus olha e está.
Samuel precisou ser purificado para ver naquele pequeno que cuidava do rebanho que, segundo critérios humanos, não teria valor nenhum (…), aquele pequeno Davi, era sobre ele que pairava a escolha e a unção de Deus.
É naquele que está escondido e, muitas vezes, nós não damos importância nem valor; não conseguimos olhar nem ver com critérios humanos, ali se estabelece a graça de Deus. Por isso, que a Palavra de Deus nos conceda, hoje, a graça de sermos purificados em nossos critérios e visões, para que saímos das ilusões e vejamos as pessoas não com olhar humano nem mundano, e sim com o olhar da graça de Deus.
Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo


Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook