Sorteio

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Estejamos sempre atentos e vigilantes com a nossa vida

Que Deus nos dê a graça de vivermos sempre mais vigilantes, atentos e cuidadosos
“Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas” (Lucas 12,35).
Os rins cingidos significam que devemos estar atentos, vigilantes. Distraímo-nos com muita facilidade, até porque vivemos na sociedade da distração. Olhe o exemplo de um motorista, já que, cada vez mais, as pessoas estão na estrada dirigindo.
Por mais que seja uma estrada conhecida, que passemos por ela todos os dias e que ela tenha pouco ou muito movimento, toda atenção é necessária de um lado e de outro, saber o que vem por trás, o que vem pela frente.
Distraímo-nos com aquilo que rouba a nossa atenção. Hoje, os carros têm até televisão! E com o telefone na mão, queremos dirigir e dizemos: “Eu dou conta. Eu sei fazer muitas coisas”. Até conseguimos fazer várias coisas, mas nos distraímos e a vida deles se foi, e, muitas vezes, a vida de outro também se foi.
Estar com os rins cingidos quer dizer estar, inteiramente, atentos àquilo que estamos realizando. Com as lâmpadas acesas, com o caminho e a nossa mente iluminada e guiada pela verdade, pela razão e, sobretudo, pela nossa fé.
Não nos deixemos levar pelos emocionalismos da vida, não nos deixemos levar pelas circunstâncias de fraquezas que, muitas vezes, vivemos nesta vida. É preciso sempre dar aquele chacoalhão em nós: “Acorde. Preste atenção! O que estou fazendo? O que estou pensando? O que estou sentindo? Por um segundo podemos nos distrair do essencial, mudar o rumo da nossa vida e nos perdermos ao longo da estrada. Por isso, a vigilância é em relação a tudo que realizamos nesta vida.
Muitas vezes, deixamos de crescer ou perdemos o que é essencial, porque não vigiamos o nosso coração.
Que Deus nos dê a graça de vivermos sempre mais vigilantes, atentos, cuidadosos, e que a Sua graça e o Espírito Santo sejam a luz a iluminar os caminhos da nossa vida.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Hoje matriz Divino Espírito Santo


Evangelho de hoje, terça-feira, 23/10/2018


Evangelho do dia - Lc 12,35-38
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 35Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. 36Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. 37Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade, eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. 38E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar! — Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor!

Comentário
Épreciso estar vigilante para percebermos a hora em que o Senhor vai chegar. Estar cingidoéestar pronto, disponível em qualquer situação. A vida de fésincera coloca-nos nessa perspectiva de atenção, devigilância. Estar atentosàprática do amor, da bondade e da misericórdiaéestar com as lâmpadas acesas. Esses sãofelizes, nos diz Jesus, pois nãoserãoapanhados de surpresa, porque estãoservindo.

Oração
Deus eterno e todo-poderoso, dai-nos a graça de estar sempre ao vosso dispor e vos servir de todo o coração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Fonte - http://www.a12.com/reze-no-santuario/deus-conosco

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

A ganância rouba o sentido da nossa vida

Que a ganância nunca seja o carro-chefe dos nossos impulsos, mas sim o amor, a caridade, o desprendimento e a generosidade
“Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens” (Lucas 12,15).
Toda a questão do Evangelho de hoje é, justamente, porque alguém, do meio da multidão, pediu a Jesus: “Mestre, pede ao meu irmão que reparta a sua herança comigo”. Esse homem foi pedir a Jesus que desse um jeito de o irmão dividir com ele a questão financeira.
Sabemos que o dinheiro é o “senhor” deste mundo, é o senhor das situações e relações. O dinheiro aproxima as pessoas por interesse e também as repele quando não tem mais interesse. Com dinheiro, as pessoas se compram, vendem-se, comercializam-se; as pessoas se tornam mais importantes quando têm mais dinheiro, e perdem total importância quando não o têm mais. Deixamos a nossa vida ser movida justamente por aquele que é o senhor deste mundo.
O Evangelho está dizendo hoje: cuidado contra todo tipo de ganância. A vida do homem não consiste nos bens que ele possui.
Podemos passar a vida toda alimentando a ganância do ter e possuir, e quando achamos que possuímos, que juntamos e acumulamos, a vida nos é tirada. E nenhum centavo do que juntamos restitui a nossa vida nem nos dá a vida eterna, a não ser que o dinheiro que tenhamos ganhado honestamente tenha sido usado para promover o bem e a caridade.
Se deixarmos a nossa vida ser movida somente pela ganância, a própria vida vai nos roubar quando menos esperarmos.
A morte não avisa quando vem; e quando ela vem, leva-nos mesmo! Quando formos nos apresentar diante do Senhor da nossa vida, nenhum dos bens materiais que acumulamos nos dará lugar na eternidade, pelo contrário, veremos uma multidão de pobres, aqueles que, nesta vida, não possuíram nada, cuidando das entradas do Céu.
Acumulemos os verdadeiros tesouros desta vida, trabalhemos, apliquemos, vamos dar o melhor de nós, mas que a ganância nunca seja o carro-chefe dos nossos impulsos, mas sim o amor, a caridade, o desprendimento e a generosidade. Assim, nosso coração vai ter paz para viver e também morrer.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Hoje na matriz Divino Espírito Santo


Evangelho de hoje, segunda-feira, 22/10/2018


Evangelho do dia - Lc 12,13-21
Naquele tempo, 13alguém, do meio da multidão, disse a Jesus: “Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo”.
14Jesus respondeu: “Homem, quem me encarregou de julgar ou de dividir vossos bens?” 15E disse-lhes: “Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens”.
16E contou-lhes uma parábola: “A terra de um homem rico deu uma grande colheita. 17Ele pensava consigo mesmo: ‘Que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita’. 18Então resolveu: ‘Já sei o que vou fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. 19Então poderei dizer a mim mesmo: Meu caro, tu tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, aproveita!’ 20Mas Deus lhe disse: ‘Louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?’ 21Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.
Comentário
Karol José Wojtyla nasceu na Polônia, no dia 18 de maio de 1920. Foi ordenado sacerdote em Cracóvia (Polônia) no dia 1º de novembro de 1946. Foi nomeado bispo auxiliar em 1958, depois arcebispo de Cracóvia em 1964 e Cardeal em 1967. Eleito papa em 1978, deu início ao seu longo pontificado, encerrado em 2 de abril de 2005, com sua morte. Certamente foi o papa que mais audiências realizou e que mais visitou os países do mundo. Fez sua história assumindo os dons que Deus lhe confiou, servindo a Igreja e, por meio dela, todo o povo de Deus.
Oração
Ó Deus, rico de misericórdia, que escolhestes São João Paulo II para governar a vossa Igreja como papa, concedei-nos que, instruídos pelos seus ensinamentos, possamos abrir confiadamente os nossos corações à graça salvífica de Cristo, único Redentor do homem. Ele que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos. 
Fonte - http://www.a12.com/reze-no-santuario/deus-conosco

sábado, 20 de outubro de 2018

Evangelho de hoje, domingo, 21/10/2018


Evangelho do dia - Mc 10,35-45
Naquele tempo, 35Tiago e João, filhos de Zebedeu, foram a Jesus e lhe disseram: “Mestre, queremos que faças por nós o que vamos pedir”. 36Ele perguntou: “O que quereis que eu vos faça?”
37Eles responderam: “Deixa-nos sentar um à tua direita e outro à tua esquerda, quando estiveres na tua glória!” 38Jesus então lhes disse: “Vós não sabeis o que pedis. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber? Podeis ser batizados com o batismo com que vou ser batizado?” 39Eles responderam: “Podemos”. E ele lhes disse: “Vós bebereis o cálice que eu devo beber, e sereis batizados com o batismo com que eu devo ser batizado. 40Mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. É para aqueles a quem foi reservado”.
41Quando os outros dez discípulos ouviram isso, indignaram-se com Tiago e João. 42Jesus os chamou e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações as oprimem e os grandes as tiranizam. 43Mas, entre vós, não deve ser assim; quem quiser ser grande, seja vosso servo; 44e quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos. 45Porque o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos”. — Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Catequese Bíblico-Missionária
As leituras de hoje nos ensinam como viver numa Comunidade cristã. Toda Comunidade deve ser um sinal do Reino de Deus, lugar onde as pessoas criam laços afetivos, vivendo a fraternidade. Éviver a féque professamos no Batismo. Numa Comunidade cristãnãodeveria haver títulos que separam e segregam as pessoas. Como diz Jesus, ninguémdeveria aceitar ser chamado de mestre, nem de guia, nemde pai (cf. Mt 23,8-10). Ninguémdeveria ser destacado por seu saber, pelas riquezas ou por suas posições dentro da sociedade.
Viver em fraternidade significa afirmar a igualdade de todos diante de Deus, superando o espírito de competição, de discórdia e de autoritarismo. Para que essa proposta seja possível, Jesus deixa um mandamento: entre vós, não deverá ser assim! Quem quiser ser grande ou o primeiro, seja servo de todos! Um mandamento difícil de ser observado.
O que sustenta uma Comunidade cristã é o serviço mútuo. Na proposta de Jesus, autoridade não significa mando, nem poder pessoal. Autoridade é serviço, partilha de qualidades e dons. Quem busca uma posição dentro da Comunidade deve se espelhar em Jesus, o modelo do verdadeiro servidor. “Eu estou no meio de vocês como aquele que serve” (Lc 22,27).
Na Primeira Leitura, do livro de Isaías, temos um trecho do quarto cântico do Servo. Desde o começo, a Comunidade cristã descobriu nesses cânticos o rosto do verdadeiro Messias. Jesus é esse Servo de Deus. Através da atuação do Servo, Deus manifesta sua justiça, vencendo todas as injustiças humanas. Mas a vitória de Deus não se fará sem o sofrimento do Servo, porque a injustiça humana é forte, traiçoeira e impiedosa.
No tempo de Jesus muita gente esperava um Messias. Mas um Messias dentro da mentalidade humana, um líder que viesse com força e poder. Ninguém esperava um Messias que fosse servidor, fraco e indefeso. O cântico do Servo vem nos lembrar que a força de Deus se manifesta na fraqueza humana. “Quando sou fraco, aí é que sou forte” (2Cor 12,10).
Só os pobres conseguem perceber esse recado de Deus. Jesus, instruído pelo Pai e pelos pobres, revelou o sentido verdadeiro do poder: o serviço a Deus e aos pobres. “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate de muitos” (Mc 10,45). Nossas Comunidades deveriam viver essa proposta de Jesus, acolhendo seu mandamento radical: quem quiser ser o maior que seja o servidor de todos. Não podemos reproduzir entre nós os valores da sociedade humana, onde reinam a força, o poder, as honrarias e a corrupção.

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters

Oração
Deus eterno e todo-poderoso, dai-nos a graça de estar sempre ao vosso dispor e vos servir de todo o coração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
— Amém.
Fonte - http://www.a12.com/reze-no-santuario/deus-conosco