Confirmação de Presença

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Alimentemos nossa comunhão com Deus


Com que autoridade fazes estas coisas? Quem te deu tal autoridade?” (Mateus 21,23).
No Evangelho de hoje, enquanto Jesus ensinava os sumos sacerdotes e anciãos do povo vieram questioná-Lo a respeito da sua autoridade, questioná-Lo de onde vinha toda a autoridade que Ele tinha para fazer, ensinar, exortar, conduzir e fazer tudo o que Ele fazia.
Não é que eles queriam saber de onde vinha a autoridade de Jesus, na verdade, eles se sentiam sem autoridade, porque para eles tinha autoridade quem tinha cargos, porém eles não tinham autoridade moral. 
Não podemos deixar que a nossa vida decaia quando perdemos a autoridade. Numa casa, se um pai e uma mãe não tem autoridade, a casa vai cair, vai entrar em ruínas.
Entenda que autoridade não é autoritarismo; é a autoridade da vida, é a autoridade moral, da autenticidade. A autoridade vem de bem exercer e testemunhar aquilo que faz.
Podemos falar muitas coisas bonitas a respeito de Deus, mas não teremos autoridade se não tivermos comunhão com Ele
Os sumos sacerdotes já não tinham mais essa autoridade, não tinham autoridade diante do povo porque não os levavam a sério, não os respeitava. Não podemos perder a autoridade da fé, não podemos perder a autoridade em nossa casa, em nossa família. Não podemos perder a autoridade no mundo.
Precisamos pelo testemunho evangélico, pela nossa comunhão com Deus sermos testemunhas d’Ele para o mundo. Podemos até falar muito de Deus, até podemos falar muitas coisas bonitas a respeito d’Ele, mas não teremos autoridade se não tivermos comunhão com Deus.
Os sumos sacerdotes e anciãos do povo eram “autoridades religiosas”, mas a religião se tornou tão formal, uma religião tão legal, do legalismo, que não se tornou a religião da comunhão com Deus, da relação profunda e íntima com o Senhor. Por isso, Jesus tinha autoridade, porque Ele não só falava, mas vivia, Ele não só dizia o que sabia, mas alimentava profundamente a sua comunhão com Deus e trazia Deus para os seus.
Não podemos simplesmente falar de Deus, precisamos trazê-Lo, levá-Lo e sermos a presença de Deus com nossos atos, nossas atitudes, com a nossa humildade, com o reconhecimento da nossa própria fragilidade, com a nossa conversão, nossas mudanças de atitudes e assim viveremos a nossa relação de autoridade com Deus.
Só pode ser autoridade de Deus para os outros quem de verdade é submisso a Deus e a Sua Palavra.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário