Sorteio

sábado, 23 de março de 2019

Evangelho de hoje, domingo, 24/03/2019


Evangelho do dia - Lc 13,1-9
1Naquele tempo, vieram algumas pessoas trazendo notícias a Jesus a respeito dos galileus que Pilatos tinha matado, misturando seu sangue com o dos sacrifícios que ofereciam. 2Jesus lhes respondeu: “Vós pensais que esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus, por terem sofrido tal coisa? 3Eu vos digo que não. Mas se vós não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo.
4E aqueles dezoito que morreram, quando a torre de Siloé caiu sobre eles? Pensais que eram mais culpados do que todos os outros moradores de Jerusalém? 5Eu vos digo que não. Mas, se não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo”. 6E Jesus contou esta parábola: “Certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha. Foi até ela procurar figos e não encontrou. 7Então disse ao vinhateiro: ‘Já faz três anos que venho procurando figos nesta figueira e nada encontro. Corta-a! Por que está ela inutilizando a terra?’
8Ele, porém, respondeu: ‘Senhor, deixa a figueira ainda este ano. Vou cavar em volta dela e colocar adubo. 9Pode ser que venha a dar fruto. Se não der, então tu a cortarás’”. 
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Catequese Bíblico-Missionária
MUDAR O CORAÇÃO PARA A COMPAIXÃO
– Deus é misericórdia
Podemos dizer que Deus tem compaixão, pena e dó de nós. A Escritura prefere dizer que Deus é misericordioso. A palavra hebraica, usada para o dizer, indica uma atitude que brota do mais íntimo de Deus, como que de suas entranhas, como o amor de mãe. Deus é misericordioso porque se compromete conosco, adota-nos como suas crianças, estabelece aliança conosco mais do que o faz um casal.
É assim que Deus se revelou a Moisés (Êx 3,1-8a.13-15). Disse que estava vendo o sofrimento do povo, que isso o remoía internamente, como se a perseguição fosse contra ele. Mas não apenas tinha dó, não só se compadecia, mas iria libertar o povo da escravidão. E o faria por sua fidelidade misericordiosa às promessas feitas a Abraão, Isaac e Jacó: “Eu vi, eu vi a miséria de meu povo no Egito e ouvi o clamor que lhe arrancam seus opressores; sim, conheço suas aflições. Desci para libertá-lo...”.
Diante dessa revelação de Deus, precisamos mudar o coração para a compaixão, abrindo nosso coração para a misericórdia de Deus, e assumindo sua misericórdia.

– Abrir-nos para a misericórdia de Deus
Partindo de dois fatos do noticiário do momento (Lc 13,2-5), Jesus insiste que temos de nos voltar e converter para Deus que nos oferece misericórdia. E isso é urgente, pois se trata de nossa felicidade. E tanto mais urgente pelo fato de a salvação nos ser oferecida gratuitamente, sem nenhum merecimento nosso. Temos de aceitar a misericórdia tão logo nos é oferecida.

– Assumir a misericórdia de Deus
Lucas conta a seguir a parábola da figueira poupada por algum tempo (13,6-9). O Senhor, em sua misericórdia infinita, tem paciência conosco e acompanha nossos passos lentos e hesitantes. Diante disso, o mínimo que podemos fazer é ter paciência e tolerância conosco e com os outros, que ainda não somos o que Deus espera de nós.
Oração
Ó Deus, fonte de toda misericórdia e de toda bondade, vós nos indicastes o jejum, a esmola e a oração como remédio contra o pecado. Acolhei esta confissão da nossa fraqueza para que, humilhados pela consciência de nossas faltas, sejamos confortados pela vossa misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
— Amém.
Fonte - https://www.a12.com/reze-no-santuario/deus-conosco

Nenhum comentário:

Postar um comentário