Sorteio

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

O cuidado com a casa do Senhor compete aos filhos

Não deixe de cumprir as suas obrigações com a casa do Senhor pagando o seu dízimo, dando a sua contribuição amorosa e generosa
“Mas, para não escandalizar essa gente, vai ao mar, lança o anzol, e abre a boca do primeiro peixe que pescares. Ali encontrarás uma moeda; pega então a moeda e vai entregá-la a eles, por mim e por ti” (Mateus 17,27).
Os discípulos de Jesus estavam sendo questionados se, por acaso, Jesus pagava o imposto do Templo. Jesus não respondeu nem que ‘sim’ e nem que ‘não’, Ele primeiro interrogou o sentido mais profundo das coisas. “De quem os reis cobram os impostos: dos filhos ou dos estranhos?”. Pedro respondeu: “Dos estranhos!”.
Os estranhos são aqueles que não são tidos como filhos. Não somos estranhos na casa de Deus, no mundo que Ele criou nós somos filhos. A verdade é que o mundo nos trata como estranhos, e vivemos neste mundo com a estranheza de não pertencermos a este mundo, por sermos de Deus.
Está aí algumas coisas que são importantes para a nossa reflexão de hoje. Quando pagamos os nossos impostos, não significa que nós concordamos com eles. Pois, muitos dos impostos e das taxas que pagamos são injustas, demasiadas, desonestas e, muitas vezes, não são usadas da maneira correta. Mas não concordando, não achando o caminho da justiça por meio delas, não podemos escandalizar, precisamos cumprir com as nossas obrigações.
A primeira das nossas obrigações é com Deus, com a casa de Deus e com as coisas d’Ele. O imposto que se cobrava de Jesus ou dos seus discípulos eram referentes ao imposto do Templo. Não pagamos impostos aos nossos templos, pagamos o dízimo, damos a nossa contribuição com as nossas ofertas. Faça isso de coração, não faça isso como um estranho, mas como um filho.
O filho tem obrigação com as coisas do Senhor, de cuidar da casa do Senhor. Não encontramos Jesus pregando o dízimo, não encontramos Jesus obrigando ninguém a pagar o dízimo e nem ligando a fé ao condicionamento de se pagar o dízimo, mas Ele nos apresenta como um exemplo, um desprendimento, como alguém que não escandaliza e quer cuidar daquilo que são as obrigações.
Não deixe de cumprir as suas obrigações com a casa do Senhor pagando o seu dízimo, dando a sua contribuição amorosa e generosa. Faça isso como filho!
Mas, se o mundo nos trata como estranhos, mesmo como estranhos paguemos os nossos impostos, nossas contribuições e não sejamos motivo de escândalo. Sejamos exemplo para o mundo em que vivemos.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário