Sorteio

terça-feira, 24 de julho de 2018

Estejamos submissos à vontade do Pai

Não basta conhecer, é preciso deixar que a nossa vontade esteja submissa à vontade do nosso Pai
“Eis minha mãe e meus irmãos. Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe” (Mateus 12,49).
Eu fico muito feliz quando escuto esse Evangelho! Para alguns, ele parece confuso, mas para mim é uma graça divina, porque a Palavra de Deus é graça.
Jesus está mostrando o que devemos fazer para pertencermos à família d’Ele. O Senhor nos quer íntimos e próximos d’Ele. Precisamos fazer parte da família de Jesus.
Sabemos que família faz toda diferença! Há a família em que nascemos, mas há a família que nos adota ou que adotamos. Deus nos adotou na família divina, e essa adoção precisa ser assumida na vida e na prática. Não podemos simplesmente levar às condições consanguíneas para pertencermos a uma família. Na cultura judaica, esse ponto era fundamental, pois levavam em conta as tribos que cada um fazia parte. Jesus era da tribo de Judá, e aqueles que faziam parte dessa tribo se sentiam como uma mesma e única família. Nos dias de hoje, a família Silva é a maior que tem. Mas quando é algo mais singular, o reconhecimento se faz pela questão do nome ou do sobrenome.
Em Jesus não é assim. A família d’Ele se conhece por aqueles que colocam em prática a vontade do Pai. Não é por quem foi batizado, crismado, não é por quem vai à Missa todos os dias ou por quem pertence a esse apostolado ou grupo.
Existem cristãos anônimos no mundo em que vivemos, os quais, muitas vezes, não são identificados às igrejas, aos grupos, mas vivem o Evangelho com a força da vida. Muitos estão lá em comunidades isoladas, em situações periféricas do mundo, mas são irmãos de Jesus, são parentes d’Ele, pertencem à família d’Ele.
É muito doloroso para nós que frequentamos a casa do Senhor, que ouvimos a Palavra do Senhor e, a cada dia, dizermos: “Esse eu não conheço”. Porque ouviu a Palavra de Deus, mas não a colocou em prática na vida.
Não basta conhecer, é preciso viver e praticar, é preciso fazer da Palavra de Deus o fio condutor de toda a nossa vida, é preciso deixar que a nossa vontade esteja submissa à vontade do nosso Pai. “Esse é meu irmão, minha irmã, é meu pai e minha mãe”, disse Jesus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário