Sorteio

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Precisamos nos dispor a amar o próximo

Precisamos, todos os dias, dispor-nos a amar o próximo, porque amor é escolha, decisão, mandamento e graça
“Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos” (João 15,12-13).
O amor é um mandamento, e existe o amor princípio de vida, o amor princípio de todas as coisas, que é Deus. O amor vivido e praticado torna-se para nós um mandamento, porque nem sempre conseguimos amar, nem sempre conseguimos colocar em prática o mandamento do amor.
Não dá para deixar só pelas tendências do coração, pois este é seletivo, ou seja, ama esse, mas não ama aquele; o coração só ama quem ama também, quem é amado por alguém e assim por diante. O coração só consegue amar aquelas pessoas que nos fazem bem, que deixam afetos positivos dentro de nós.
Limitamos o nosso próprio amor, a própria dimensão do nosso coração e o deixamos dilatado. Deus quer o nosso amor tão grande como é o amor do Seu coração, quer que sejamos inflamados pelo Seu amor. Por isso, nosso amor não pode ser pequeno, seletivo nem qualquer amor. Por isso, a excelência da Lei de Deus em nossa vida é vivermos o mandamento do amor.
Para não sermos teóricos, poderíamos falar aqui tantas coisas bonitas sobre o amor, mas ele é muito difícil e exigente. O amor exige desdobramento, exige que nossa vontade se empenhe, porque não conseguimos amar como, de fato, o mandamento exige de nós.
“Amai-vos uns aos outros” é, acima de tudo, respeito pela pessoa do outro, querer bem a pessoa do outro, aceitá-lo com seus limites e fraquezas, sobretudo perdoar o outro quando ele representou para nós uma ferida, algo que machucou o nosso coração.
Só com a força do amor podemos perdoar quem nos feriu, quem nos contrariou, quem não fez bem a nossa vida ou ao nosso coração!
Sem o mandamento do amor seremos porcos espinhos na vida, seremos cheios de feridas. Podemos perceber que, se quando nos esforçamos para amar já somos tão machucados, sem esse esforço estaríamos todos esfolados. E é isso que nós encontramos muitas vezes.
Se o coração está machucado e ferido demais, se o coração se encontra tão amarrotado, ele precisa de uma dose mais forte e violenta do mandamento do amor! Precisamos nos redescobrir na vivência do amor, precisamos deixar que o mandamento do amor de Jesus esteja direcionando e conduzindo os nossos passos.
Precisamos, todos os dias, dispor-nos a amar o próximo, porque amor é escolha, decisão, mandamento e graça! É por graça de Deus que podemos amar uns aos outros. Se está difícil amar, se dói muito amar , mergulhemos na graça e a busquemos mais; no entanto, não podemos desistir de amar jamais.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: mailto:padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário