Centenário da Arquidiocese de Maceió

terça-feira, 12 de maio de 2020

Liturgia diária. Terça-feira, 12/05/2020

 
DIA 12 – TERÇA-FEIRA
   
5ª SEMANA DA PÁSCOA*
(branco – ofício do dia)
Louvai o nosso Deus, todos vós que o temeis, pequenos e grandes; pois manifestou-se a salvação, a vitória e o poder do seu Cristo, aleluia! (Ap 19,5; 12,10)
Grande marco histórico para o cristianismo de todos os tempos: por meio dos discípulos-missionários, Deus abriu as portas para os pagãos. Alegremo-nos com os prodígios do Senhor e lhe manifestemos nosso amor.
Primeira Leitura: Atos 14,19-28

Leitura dos Atos dos Apóstolos – Naqueles dias, 19de Antioquia e Icônio chegaram judeus que convenceram as multidões. Então apedrejaram Paulo e arrastaram-no para fora da cidade, pensando que ele estivesse morto. 20Mas, enquanto os discípulos o rodeavam, Paulo levantou-se e entrou na cidade. No dia seguinte, partiu para Derbe com Barnabé. 21Depois de terem pregado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, Icônio e Antioquia. 22Encorajando os discípulos, eles os exortavam a permanecerem firmes na fé, dizendo-lhes: “É preciso que passemos por muitos sofrimentos para entrar no reino de Deus”. 23Os apóstolos designaram presbíteros para cada comunidade. Com orações e jejuns, eles os confiavam ao Senhor, em quem haviam acreditado. 24Em seguida, atravessando a Pisídia, chegaram à Panfília. 25Anunciaram a Palavra em Perge e depois desceram para Atália. 26Dali embarcaram para Antioquia, de onde tinham saído, entregues à graça de Deus, para o trabalho que haviam realizado. 27Chegando ali, reuniram a comunidade. Contaram-lhe tudo o que Deus fizera por meio deles e como havia aberto a porta da fé para os pagãos. 28E passaram então algum tempo com os discípulos. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 144(145)

Ó Senhor, vossos amigos anunciem / vosso reino glorioso.
1. Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, / e os vossos santos com louvores vos bendigam! / Narrem a glória e o esplendor do vosso reino / e saibam proclamar vosso poder! – R.
2. Para espalhar vossos prodígios entre os homens / e o fulgor de vosso reino esplendoroso. / O vosso reino é um reino para sempre, / vosso poder, de geração em geração. – R.
3. Que a minha boca cante a glória do Senhor e que bendiga todo ser seu nome santo, / desde agora, para sempre e pelos séculos. – R.
Evangelho: João 14,27-31

Aleluia, aleluia, aleluia.
Era preciso que Cristo sofresse e ressuscitasse dos mortos, / para entrar em sua glória, aleluia (Lc 24,46.26). – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo João – Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 27“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração. 28Ouvistes que eu vos disse: ‘Vou, mas voltarei a vós’. Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. 29Disse-vos isso agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis. 30Já não falarei muito convosco, pois o chefe deste mundo vem. Ele não tem poder sobre mim, 31mas, para que o mundo reconheça que eu amo o Pai, eu procedo conforme o Pai me ordenou”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Jesus se despede de seus discípulos. Conhece os passos da paixão e morte que em breve vai enfrentar. Alguma angústia de certo lhe invade o coração. Afinal, está para chegar o “chefe deste mundo”, isto é, a sociedade injusta que, por meio de seus representantes políticos e religiosos, vai prender e matar Jesus. Sua morte, porém, não será vitória do inimigo, mas cumprimento do projeto do Pai, prova de amor e obediência a ele. O momento não se presta para longas conversas. Ainda assim, Jesus reserva para seus discípulos o dom da paz: “Eu lhes dou a minha paz”. Sua paz é portadora de serenidade e afasta todo temor. Os discípulos não precisam se perturbar com o afastamento  de Jesus, pois sua partida coincide com um novo modo seu de estar presente, pois enviará o Espírito Santo.
Oração
Senhor Jesus, de coração aberto acolhemos o dom da tua paz, aquela paz que afasta o medo e garante a serenidade interior. Ó bondoso Mestre, fonte da verdadeira paz, dá que sejamos construtores de paz em todos os ambientes da sociedade e da convivência humana. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-12-terca-feira-14/#.XrIEbplv_IU

Nenhum comentário:

Postar um comentário