Confirmação de Presença

sábado, 28 de dezembro de 2019

Evangelho de hoje, domingo, 29/12/2019

Evangelho: Mateus 2,13-15.19-23

Aleluia, aleluia, aleluia.
Que a paz de Cristo reine em vossos corações / e ricamente habite em vós sua Palavra! (Cl 3,15s) – R.
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – 13Depois que os magos partiram, o anjo do Senhor apareceu em sonho a José e lhe disse: “Levanta-te, pega o menino e sua mãe e foge para o Egito! Fica lá até que eu te avise! Porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo”. 14José levantou-se de noite, pegou o menino e sua mãe e partiu para o Egito. 15Ali ficou até a morte de Herodes, para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: “Do Egito chamei o meu filho”. 19Quando Herodes morreu, o anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, 20e lhe disse: “Levanta-te, pega o menino e sua mãe e volta para a terra de Israel, pois aqueles que procuravam matar o menino já estão mortos”. 21José levantou-se, pegou o menino e sua mãe e entrou na terra de Israel. 22Mas, quando soube que Arquelau reinava na Judeia, no lugar de seu pai, Herodes, teve medo de ir para lá. Por isso, depois de receber um aviso em sonho, José retirou-se para a região da Galileia 23e foi morar numa cidade chamada Nazaré. Isso aconteceu para se cumprir o que foi dito pelos profetas: “Ele será chamado nazareno”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

A narrativa de Mateus não pode ser tomada como uma crônica jornalística. É uma narrativa teológica da infância de Jesus e nos mostra que este e sua família estão inseridos na realidade humana, com seus dramas e esperanças. O relato de Mateus tem a finalidade de mostrar como Jesus revive, desde a infância, a experiência do povo de Israel. Do mesmo modo que Moisés, salvo das águas, foi o libertador do povo da escravidão no Egito, assim Jesus, salvo das mãos de Herodes, será o libertador do novo povo de Deus. Desde criança, é rejeitado e perseguido pelo poder opressor (Herodes); por outro lado, é procurado pelos pobres e desprezados (magos). A Família de Nazaré é uma família normal, como qualquer outra; é amada por Deus, como todas as outras. Ela não é livre do destino dos mortais, mas é acompanhada e salva pela providência divina. Todas as nossas famílias têm seus altos e baixos, mas não podemos esquecer que é nessa realidade que elas são acompanhadas, iluminadas e abençoadas por Deus. Todas as famílias têm suas dificuldades, as quais serão superadas com o amor. “Só o amor é capaz de superar a dificuldade. O amor é festa, o amor é alegria, o amor é seguir em frente” (papa Francisco). Família de Nazaré, tornai nossas famílias lugares de comunhão e cenáculos de oração, tornando-as “igrejas domésticas”.

(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte - https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/dia-29-domingo-13

Nenhum comentário:

Postar um comentário