Sorteio

sábado, 23 de novembro de 2019

Evangelho de hoje, domingo, 24/11/2019

Evangelho do dia - Lc 23,35-43
Naquele tempo, 35os chefes zombavam de Jesus dizendo: “A outros ele salvou. Salve-se a si mesmo, se, de fato, é o Cristo de Deus, o Escolhido!”
36Os soldados também caçoavam dele; aproximavam-se, ofereciam-lhe vinagre, 37e diziam: “Se és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo!”
38Acima dele havia um letreiro: “Este é o Rei dos Judeus”.
39Um dos malfeitores crucificados o insultava, dizendo: “Tu não és o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós!”
40Mas o outro o repreendeu, dizendo: “Nem sequer temes a Deus, tu que sofres a mesma condenação? 41Para nós, é justo, porque estamos recebendo o que merecemos; mas ele não fez nada de mal”. 42E acrescentou: “Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reinado”. 43Jesus lhe respondeu: “Em verdade eu te digo: ainda hoje estarás comigo no Paraíso”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Catequese Bíblico-Missionária

Este é o último domingo deste Ano Litúrgico, e nele celebramos a festa de Cristo, Rei do Universo.
O Evangelho nos faz contemplar a cena da ignomínia sofrida por Jesus e de sua crucifixão: “Se és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo”. O trono do Senhor do mundo e da história é o alto da cruz. E é tão verdade que, ao clamor de um dos crucificados: “Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reinado”, Ele lhe diz: “Em verdade eu te digo: ainda hoje estarás comigo no Paraíso”. Aquele malfeitor alcança a misericórdia de Jesus. Cena muito bela, espetacular!
A proposta de Jesus e que não foi compreendida por muitos, é a da vida. Quem se aproxima dele encontra a vida, a salvação, a paz. O malfeitor reconheceu essa verdade de Cristo e alcançou sua salvação. O publicano lá no Templo voltou justificado para casa porque foi humilde e reconheceu suas falhas. Assim se sucedeu com a mulher apanhada em adultério, com Zaqueu que foi acolhido por Jesus. O Evangelho é farto de exemplos do Reinado de Deus por sua bondade, misericórdia, perdão, amor. A verdade do Pai foi revelada inteiramente pela pessoa de Cristo. E até no alto da cruz, o trono do Cordeiro, Jesus suplica ao Pai pelos seus malfeitores: “Pai, perdoai-lhes porque eles não sabem o que fazem”.
Essa é a garantia do Reinado de Deus entre nós: sua misericórdia que é vida e salvação. Ele está ao lado da vida, em favor dos marginalizados, oprimidos, excluídos, abandonados.
Toda a pregação de Jesus, desde seu início, foi focada no Reino. Começa sua pregação pública dizendo que “o Reino chegou” (Mc 1,15). Tinha consciência de que era o enviado do Pai, o Messias, mas não reivindicou sobre si esse título, para evitar outros conflitos na Palestina já conturbada. Assim não provocou equívocos sobre sua missão. Ele é o Messias, o que implanta o Reinado de Deus, e por isso é Rei, não na lógica humana, mas na lógica divina.
Entendamos, pois, a lógica do Reinado de Cristo. Ele se põe ao lado dos mais feridos no mundo, por causa da exclusão, do egoísmo e da autossuficiência. Diante das atitudes do mundo que tira ou impede o triunfo da vida e da dignidade humana, Ele faz exatamente a vida triunfar. Por isso, de sua morte nos veio a vida – eis o sinal de contradição já anunciado por Simeão. Esse é o Filho de Deus que vem ao nosso encontro, da Igreja e da Comunidade para nos oferecer a vida. Eis o Reinado de que o mundo tanto precisa.

Redação “Deus Conosco”
Oração
Deus eterno e todo-poderoso, que dispusestes restaurar todas as coisas no vosso amado Filho, Rei do universo, fazei que todas as criaturas, libertas da escravidão e servindo à vossa majestade, vos glorifiquem eternamente. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
— Amém.
Fonte - https://www.a12.com/reze-no-santuario/deus-conosco

Nenhum comentário:

Postar um comentário