Sorteio

sábado, 19 de outubro de 2019

Evangelho de hoje, sábado, 19/10/2019

Evangelho do dia - Lc 18,1-8
Naquele tempo, 1Jesus contou aos discípulos uma parábola, para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre, e nunca desistir, dizendo:
2”Numa cidade havia um juiz que não temia a Deus, e não respeitava homem algum. 3Na mesma cidade havia uma viúva, que vinha à procura do juiz, pedindo: ‘Faze-me justiça contra o meu adversário!’
4Durante muito tempo, o juiz se recusou. Por fim, ele pensou: ‘Eu não temo a Deus, e não respeito homem algum. 5Mas esta viúva já me está aborrecendo. Vou fazer-lhe justiça, para que ela não venha a agredir-me!’”
6E o Senhor acrescentou: “Escutai o que diz este juiz injusto. 7E Deus, não fará justiça aos seus escolhidos, que dia e noite gritam por ele? Será que vai fazê-los esperar?
8Eu vos digo que Deus lhes fará justiça bem depressa. Mas o Filho do homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?” — Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Catequese Bíblico-Missionária
O fio condutor das leituras deste domingo é a oração. A verdadeira oração. O Salmo de meditação é um dos salmos de romaria. Na peregrinação, os romeiros enfrentam muitos perigos. Nesse salmo, eles pedem proteção a Deus ao longo do caminho com seus perigos e ameaças. Na Primeira Leitura, os amalecitas simbolizam os perigos da travessia em busca da terra prometida. Enquanto Josué combate os inimigos, Moisés e seus companheiros sobem ao monte para rezar. O povo aprendeu que, para vencer os inimigos, deve haver, ao mesmo tempo, luta e oração; ação e contemplação. No Evangelho, Jesus recorre a uma parábola, tirada da vida do povo, para ensinar duas coisas a respeito da oração. Nossa reza deve ser, ao mesmo tempo, insistente (Lc 18,1-8) e humilde (Lc 18,9-14).
Neste domingo, o enfoque é sobre a insistência. No próximo domingo será sobre a humildade. O texto de hoje começa com a introdução do evangelista: “Contou-lhes uma parábola para mostrar a necessidade de orar sempre, sem jamais desanimar”. Orar sem desanimar é uma característica da vida orante das primeiras comunidades cristãs (1Ts 5,17; Rm 12,12; Ef 6,18). Na parábola, Jesus fala sobre uma pobre viúva que luta por seus direitos. Só que diante dela existe um juiz impiedoso, sem consideração, nem por Deus nem pelos outros.
     Com a parábola Jesus traz a situação de todos os pobres que lutam por seus direitos, diante de uma justiça parcial e impiedosa. Mas a viúva não desiste e continua a pedir e lutar por seus direitos. No fim, o juiz resolve atender ao pedido da viúva. Mas atende por motivo interesseiro: quer se ver livre da chateação da viúva! Mas, o que tem a ver esse episódio com a oração? Jesus faz, então, uma aplicação da parábola (18,6-8).      É como se Jesus nos dissesse: se até um juiz, que não vale nada, faz justiça diante da insistência de uma pobre viúva, quanto mais o Pai do céu saberá fazer justiça aos que lhe pedem alguma coisa. Portanto, em nossas orações devemos ter duas preocupações: estamos sendo insistentes? Estamos, de fato, rezando por justiça ou por nossos desejos mais imediatos?

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters

Oração
Deus eterno e todo-poderoso, dai-nos a graça de estar sempre ao vosso dispor, e vos servir de todo o coração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
— Amém.
Fonte - https://www.a12.com/reze-no-santuario/deus-conosco

Nenhum comentário:

Postar um comentário