Sorteio

sábado, 5 de outubro de 2019

Evangelho de hoje, domingo, 06/10/2019

Evangelho do dia - 2Tm 1,6-8.13-14
Naquele tempo, 5os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!”
6O Senhor respondeu: “Se vós tivésseis fé, mesmo pequena como um grão de mostarda, poderíeis dizer a esta amoreira: ‘Arranca-te daqui e planta-te no mar’, e ela vos obedeceria. 7Se algum de vós tem um empregado que trabalha a terra ou cuida dos animais, por acaso vai dizer-lhe, quando ele volta do campo: ‘Vem depressa para a mesa?’
8Pelo contrário, não vai dizer ao empregado: ‘Prepara-me o jantar, cinge-te e serve-me, enquanto eu como e bebo; depois disso tu poderás comer e beber?’ 9Será que vai agradecer ao empregado, porque fez o que lhe havia mandado?
10Assim também vós: quando tiverdes feito tudo o que vos mandaram, dizei: ‘Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer’”. — Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Catequese Bíblico-Missionária
Diante da violência social e da soberba dos poderosos, nossa fé pode entrar em crise e podemos até perder a esperança. Na Primeira Leitura, vemos essa situação nas palavras do profeta Habacuc.
Habacuc viveu numa época marcada pela violência e opressão dos reis de Judá. Os desmandos da elite governante estavam lançando o país num caos social. A lei não era obedecida pelos poderosos, que distorciam o direito em proveito próprio. A injustiça causava desigualdades, violência e morte. Diante dessa situação o profeta grita a Deus: “Por que me fazes ver o crime e contemplar a injustiça? Por isso, a lei perde força e o direito nunca aparece” (Hab 1,3-4). O profeta espera uma resposta satisfatória da parte de Deus.
Mas a resposta de Deus surpreende o profeta e a todos nós. Deus não age dentro dos tempos e das esperas humanas. Deus entra em ação no tempo devido. Importa que o justo mantenha a fidelidade diante das injustiças. O justo não pode perder a esperança, devido à fraqueza de sua fé. “O justo viverá pela fé” (Hb 2,4). Mas, como manter a fé diante das dificuldades da vida?
Esse é o pedido dos discípulos a Jesus: “Senhor, aumenta-nos a fé!” Na sua caminhada para Jerusalém, Jesus continua seus ensinamentos. Eram frases soltas que, posteriormente, foram reunidas pelo evangelista. Eram os ensinamentos necessários para as dificuldades que as Comunidades estavam enfrentando na época de Lucas. Jesus fala primeiro do poder da fé.
Na parábola do grão de mostarda (Lc 17,6), ele diz que nossa fé é ainda muito pequena, incapaz de tirar uma árvore do lugar. Na parábola do empregado que volta do campo (Lc 17,7-8), Jesus ensina que a melhor maneira de superar uma crise de fé é aumentar a fé. Viver a vida de fé significa continuar realizando os trabalhos de evangelização com toda confiança, mas com a consciência de ser um servo comum, sem ter feito nada de extraordinário. Nossos trabalhos são importantes e úteis. Mas nós, trabalhadores na vinha do Senhor, somos servos passageiros, “servos inúteis. Fizemos o que devíamos fazer” (Lc 17,10). Um dia, outros nos substituirão.

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters

Oração
Ó Deus eterno e todo-poderoso, que nos concedeis no vosso imenso amor de Pai mais do que merecemos e pedimos, derramai sobre nós a vossa misericórdia, perdoando o que nos pesa na consciência e dando-nos mais do que ousamos pedir. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.— Amém.
Fonte - https://www.a12.com/reze-no-santuario/deus-conosco

Nenhum comentário:

Postar um comentário