Sorteio

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

A ganância nos afasta da presença de Deus


Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens” (Lucas 12,15).
A advertência de Jesus vale para todos nós, seja para quem tem muitos ou poucos bens, ou para quem tem alguns bens e deseja ter mais. O fato é que a nossa vida não pode ser dirigida pela ganância nem pela gana de possuir as coisas.
Quando somos gananciosos, somos iludidos, enganados, presos e escravos daquilo que queremos ganhar, sobretudo, o sentido da posse material.
É muito bom quando a pessoa trabalha, consegue organizar a sua vida, ter as suas coisas e seus bens, sejam eles poucos ou muitos; no entanto, ela precisa estar sempre atenta, vigilante e sendo cuidadosa, porque, quando os olhos são movidos pela cobiça, esta se torna um desastre, porque a cobiça vai direcionando e levando a pessoa sempre para o desejo de posse.
Comecemos pelos pequenos, comecemos pelas nossas crianças. Não alimentemos em nós o consumismo, porque este é fruto da ganância. São coisas pequenas que nós gananciamos, desejamos, que vamos alimentando em nós, tornando-nos pessoas gananciosas sem perceber.
Não alimentemos em nós o consumismo, porque este é fruto da ganância
A verdade é que, na cabeça de muitos de nós, está sempre o dinheiro, as coisas materiais, a posse, o possuir, o ter, o conseguir e as vantagens materiais.
É verdade que vivemos num mundo muito materialista, e por isso somos presos a este mundo. O Evangelho está nos advertindo: de que adianta termos tantas posses se tivermos de, hoje, prestar conta da nossa vida, se tivermos de sair dessa vida e ir para a eternidade? O que foi que nós acumulamos? O que juntamos?
É trágica a vida de um homem que ajunta tesouros para si, mas não é rico diante de Deus. A riqueza de Deus são os valores espirituais, são os valores da alma e do coração. A riqueza diante de Deus é quem acumula virtudes, quem tem generosidade, bondade, quem se preocupa com o outro. A riqueza diante de Deus é quem vive a caridade, quem pratica o amor, quem é capaz de doar-se para o outro. A riqueza diante de Deus é aquele que tem e sabe repartir o que não tem; é aquele que tem pouco e não pensa só em si, mas sabe pensar também no outro.
Acumulemos virtudes, valores e, sobretudo, uma espiritualidade rica e profunda que nos coloque perto de Deus e nos liberte de qualquer tipo de ganância.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário