Sorteio

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Abramos o coração para acolher a Palavra de Deus


Tocamos flauta para vós e não dançastes; fizemos lamentações e não chorastes!” (Lucas 7,32).
Jesus estava perguntando: “Com quem hei de comparar os homens desta geração?”. Ele se refere a Sua geração, mas a pergunta d’Ele é para nós hoje: Com quem Ele há de comparar os homens da geração em que vivemos?
Ele dá o exemplo das crianças que se sentam nas praças, tocam flautas, mas ninguém dança diante do toque da flauta; fazem lamentações, mas ninguém liga para as lamentações e choros.
Na época de Jesus, Ele veio, trouxe a Palavra de Deus, mas disseram que Ele era um comilão e beberrão. Veio João Batista e disseram que era um doido, porque ele não comia nem bebia. A verdade, aqui, é a indiferença, a frieza, o pouco-caso, é o coração que não se abre para acolher a Palavra de Deus no meio de nós.
Vivemos tempos de uma verdadeira frieza espiritual, uma indiferença para com Deus e com as coisas d’Ele. Essa frieza, muitas vezes, tem tomado conta do coração de muitos de nós que conhecemos Deus, que O amamos, que até comungamos a vida n’Ele pela Eucaristia.
Quando a apatia espiritual toma conta da nossa alma e do nosso coração, não nos sensibilizamos pela presença de Deus no meio de nós, não nos sensibilizamos pela Palavra de Deus entre nós, porque misturamos tudo, e as coisas se tornam uma só, tanto faz a Palavra de Jesus como a daquele guru, daquele conselheiro, daquele homem, daquela mulher… Isso tudo é uma coisa só. Tudo se torna apático e, às vezes, damos até mais atenção à palavra que foi dita por outro do que damos atenção à Palavra do Senhor.
Quando a apatia espiritual toma conta da nossa alma e do nosso coração, não nos sensibilizamos pela presença de Deus
Despertamo-nos ou ligamos a nossa comunhão para outras coisas e não ao Senhor nosso Deus. Por isso, a graça que precisamos pedir é de retornarmos para o Senhor de todo o nosso coração, para sermos curados de toda e qualquer insensibilidade espiritual, insensibilidade da alma, para que o toque da graça divina faça diferença na nossa vida.
Sejamos homens e mulheres da Palavra. Deixemo-nos tocar pela Palavra de Deus, deixemo-nos comover por ela, a fim de que ela mova, de fato, a nossa vida, o nosso coração, os nossos afetos e sentimentos.
Quando vamos à Missa e abrimos a Palavra, mas ela não entra na nossa alma nem no nosso coração, ela não penetra o nosso interior, é sinal de que estamos passando do sinal amarelo para o vermelho.
Precisamos acender a chama da graça de Deus em nós por meio da Palavra. Não podemos ser indiferentes, porque a indiferença gera apatia espiritual, e toda essa apatia nos deixa afastados da graça que Deus nos trouxe.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário