Sorteio

terça-feira, 28 de maio de 2019

O mundo precisa se abrir à graça do Espírito

E quando vier, ele demonstrará ao mundo em que consistem o pecado, a justiça e o julgamento” (João 16,8).
O Espírito que Jesus está nos prometendo da parte do Pai vem nos trazer convicção. Primeiro, vem nos convencer a respeito do pecado, e como precisamos nos convencer a respeito do nosso próprio pecado! Se não nos convencermos de que somos pecadores – e esse convencimento não é abstrato –, se apenas afirmarmos que somos pecadores, isso não quer dizer muita coisa. Agora, quando reconhecemos que somos pecadores e, mais ainda, quais são os nossos pecados, o Espírito não vem para nos acusar, mas sim para nos iluminar.
Sabe, quando alguém vai procurar um médico e precisa fazer um diagnóstico, este aponta qual é o mal, qual é a doença, a enfermidade, qual é o problema. O Espírito é aquele que faz o diagnóstico na nossa alma, no nosso coração e em todo o nosso ser, para demonstrar onde está o nosso pecado, onde não aceitamos Jesus para iluminar a nossa vida.
O mundo precisa do Espírito, precisa se abrir à graça do Paráclito para se convencer a respeito do pecado e de não aceitar Jesus. E como nós precisamos aceitá-Lo! Nós nos vangloriamos: “Eu aceitei Jesus! Ele é o meu Senhor!”, mas, muitas vezes, perecemos no pecado, não tomamos consciência dele, não sabemos nem reconhecemos o nosso próprio pecado.
Abramo-nos à graça e à luz do Espírito para nos convencermos a respeito do pecado, da justiça e do julgamento 
Se o orgulho está em nós, se a soberba está em nós, se a vaidade obscurece a nossa vista, se a arrogância toma conta das nossas atitudes, caminhamos na obscuridade, nas trevas, e ainda achamos que estamos na luz. Por isso, é graça do Espírito em nós reconhecermos o nosso pecado.
O Espírito é aquele que vem para fazer a justiça, porque Ele semeia a justiça no nosso coração, ele nos torna justos; e justo é aquele que reconhece o que é correto, o que se deve e o que não se deve fazer. Justo é aquele que reconhece a injustiça agindo no mundo, que não compartilha de qualquer espécie de injustiça, escondida, dilacerada, clara ou obscura.
Vivemos num mundo muito injusto, maldoso, um mundo onde a maior injustiça é não reconhecer Deus e não nos reconhecermos irmãos uns dos outros. Por isso, todas as espécies de injustiças vem daí: a injustiça social, a injustiça de uns para com os outros.
É o Espírito que nos convence, mas Ele nos convence também do julgamento, porque nós julgamos uns aos outros. No entanto, o único que pode nos julgar, que nos conhece profundamente e nos torna conhecidos como devemos nos conhecer é o Espírito da verdade. Abramo-nos à graça e à luz do Espírito, para nos convencermos a respeito do pecado, da justiça e do julgamento.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook 

Nenhum comentário:

Postar um comentário