Sorteio

terça-feira, 16 de abril de 2019

Apresentemos nossas fraquezas ao Mestre Jesus

“Em verdade, em verdade te digo: o galo não cantará antes que me tenhas negado três vezes” (João 13,37).
A liturgia de hoje nos coloca diante da fraqueza dos seguidores de Jesus. Nela, cada um de nós pode também se espelhar. Seguimos Jesus com aquilo que somos e não com aquilo que queremos ser; as nossas fraquezas nos acompanham durante toda a nossa vida. Ou permitimos que Ele transforme e cuide de nossas fraquezas ou elas se dilatam nas nossas opções de vida nos momentos cruciais da nossa existência.
O primeiro que esbarramos é Judas Iscariotes. Ele era um discípulo, um apóstolo de Jesus, mas um homem muito ganancioso e avarento. Judas foi convidado para cuidar das finanças do grupo para aprender a lidar com o dinheiro, mas aconteceu o contrário, o dinheiro tomou conta do seu coração.
Uma vez que o dinheiro toma conta do coração da pessoa, ela se torna não só mesquinha, mas cobiçosa e avarenta, e o demônio toma conta do coração que é movido pelo dinheiro, ele faz dessa pessoa uma pessoa gananciosa em tudo aquilo que faz.
Mesmo Judas tendo recebido o Pão eucarístico, o Pão que Jesus deu, naquele mesmo momento satanás entrou no coração dele, e sabemos quais foram os sentimentos que tomaram conta do seu coração.
Coloquemos nossas fraquezas diante do Mestre. Não permitamos as seduções deste mundo aniquilem o nosso coração
O coração de Judas não estava em Jesus, o coração dele estava no dinheiro. “Onde estiver o seu tesouro, ali estará o seu coração” (Mateus 6,21). Hoje, pensemos muito onde nós, de fato, colocamos o nosso coração, até mesmo quando estamos na Igreja.
Do outro lado, a figura de Pedro, o mais impetuoso, líder daquele grupo, disposto a derramar o seu sangue e a dar a  vida por causa de Jesus. Na forma de falar, Pedro era sempre o primeiro que se manifestava. Quando Jesus profetizou que ele O negaria antes que o galo cantasse, é porque Jesus conhecia as fraquezas daquele homem.
Quem muita fala, quem é muito impetuoso, quem muito diz, às vezes, pouco faz; por isso, Pedro O negou. Porque o coração dele não estava firme e nem alicerçado no Senhor. Os outros discípulos O abandonaram, fugiram e assim por diante.
Coloquemos nossas fraquezas diante do Mestre a quem seguimos. Não permitamos que o dinheiro, o prazer, o poder, o medo ou as seduções deste mundo aniquilem o nosso coração de discípulo, mas nos purifiquemos pela verdade para que nos tornemos discípulos autênticos do Mestre Jesus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário