Sorteio

quarta-feira, 4 de julho de 2018

A presença de Jesus afugenta o poder do mal

Não permitamos, de forma nenhuma, que os filhos de Deus fiquem largados ao acaso, ao poder do mal
“Jesus disse: ‘Ide’. Os demônios saíram, e foram para os porcos. E logo toda a manada atirou-se monte abaixo para dentro do mar, afogando-se nas águas” (Mateus 8,32).
Jesus vê dois homens possuídos pelo demônio que saíam dos túmulos. Esses homens estavam possuídos pelos demônios, e quando o demônio possui uma alma humana, ele a leva para uma situação infernal, diabólica. Ele inferniza a situação psicológica daquela pessoa a tal ponto, que a pessoa está à beira da morte.
O simbolismo de estarem saindo do cemitério significa que o demônio quer nos levar para o abismo da morte. Jesus, no entanto, não quer nenhum de nós presos, escravos nem dominados pelo maligno. Nenhum ser humano, nenhuma esfera da nossa vida nem dos nossos pensamentos, sentimentos e afetos pode ficar submissos ao poder do mal.
Onde está Jesus, os demônios são expulsos, são lançados fora. Eles tremeram quando viram a presença de Jesus, que afugentou o poder do mal.
Quando olhamos para a situação desses dois homens e para aquilo que Jesus fez por eles, tirando-os da opressão terrível e maligna, vemos uma figura simbólica, pois os demônios que são expulsos desses dois homens são mandados para a manada de porcos, porque o demônio é sujo.
Se os porcos são símbolo da impureza, do que é sujo, é para lá que os demônios são mandados. Aqueles porcos caíram rio abaixo, afogaram-se, e os donos deles ficaram assustados com o que aconteceu, porque estavam muito mais preocupados com os porcos do que com aqueles dois homens. É por isso que todos da cidade, preocupados com suas economias, expulsam Jesus dali. O Senhor fez um bem àquele homem, ainda que seja em prejuízo, a economia é representada pelos porcos.
Nada é mais importante do que salvar, purificar uma alma, cuidar dos filhos de Deus. Com todo o respeito à nossa cultura, que cuida dos animais, temos de cuidar deles, não podemos desprezá-los de forma nenhuma. Todo amor aos nossos animais! Mas não deixemos de cuidar, em primeiro lugar, da criatura humana, da pessoa humana. Não permitamos, de forma nenhuma, que os filhos de Deus fiquem largados ao acaso, ao poder do mal, à pobreza extrema, à miséria, ao descalabro da prostituição e das coisas terríveis deste mundo. 
Expulsemos toda ação do mal da vida humana. Essa foi a ação de Jesus, é o ministério d’Ele e precisa ser também a nossa ação e o nosso ministério.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário