Sorteio

sábado, 12 de maio de 2018

Homilia Dominical



“Ascensão do Senhor”

No esplendor da Glória
A Ascensão de Jesus é um mistério Divino bastante desconhecido no conjunto de nossa fé. Nem por isso não é importante. Dizemos na profissão de fé (Creio): “Ressuscitou ao terceiro dia e subiu aos céus; está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso”. É um momento de nossa salvação que une a Ressurreição e a Glorificação de Cristo. Se não tivesse subido ao Pai, como ficaria a necessária Glorificação para resplandecer em sua humanidade ressuscitada, a Divindade? Não teria aberto o Paraíso para levar consigo a Humanidade que conquistara com sua Encarnação. Jesus “subiu aos Céus, não para se afastar de nossa humanidade, mas para dar-nos a certeza de que nos conduzirá à gloria da imortalidade” (Prefácio). Nós fomos levados com Ele, pois levou consigo toda a Humanidade. Rezamos: “Membros de seu corpo, somos chamados na esperança a participar do esplendor de sua glória. Não só cremos que Jesus está no Céu, mas cremos que estamos garantidos com Ele. Os Anjos que apareceram depois que Jesus sumiu nas nuvens disseram: “Esse Jesus que vos foi levado para o Céu, virá do mesmo modo como o vistes partir para o Céu” (At 1,11). Não podemos ver somente a vinda no fim dos tempos, mas a vinda permanente mostrando que Ele está conosco. Cristo, Filho de Deus, junto do Pai está a interceder por nós. Por isso nossa oração tem conteúdo, pois está unida à oração de Jesus junto do Pai. Rezamos: “Fazei que nossos corações se voltem para o alto, onde está junto de Vós a nossa humanidade” (Pós-Comunhão). Convivemos com as realidades do Céu.
Uma presença que dura
            A vida cristã está sempre recebendo a presença de Cristo. Dissera: “Eu estarei convosco todos os dias até o fim dos tempos” (Mt 28,20). Essa promessa é fruto de seu permanente retorno ao nosso meio. Há muitos modos de estar presente: no amor, na Palavra, na Eucaristia e no anúncio do Evangelho. Sua presença revela o que somos, como nos revela a carta de Paulo aos Efésios (1,17-32): A esperança a que somos chamados, a riqueza da glória que é nossa herança e o imenso poder que exerce em nosso favor. Tudo está sob seu poder. Sua presença está toda a nosso favor. Por isso nos deixou os sacramentos, de modo particular a Eucaristia, onde O encontramos sempre. A Ascensão é um mistério que está sempre presente porque a celebração torna permanente a união com a liturgia do Céu e a liturgia da terra que são uma só. Assim se torna muito rico para nós, ter a consciência dessa presença de Cristo atuante e glorioso no seu mistério eucarístico.
Missão que continua
            Quando Jesus se despede dos discípulos diz: “Ide por tudo mundo e pregai o Evangelho a toda criatura... o Senhor os ajudava e confirmava sua palavra por meio dos sinais que a acompanhavam” (Mc 16,15.20). O fato de enviar os discípulos não está criando uma atividade para eles, mas dando a autoridade de continuarem sua missão, como lemos em Mateus: “Toda autoridade sobre o céu e sobre a terra me foi entregue” (Mt 28,18). Dar autoridade significa que os discípulos evangelizam continuando a missão de Jesus. Passa aos discípulos o que o Pai Lhe deu: “‘Como o Pai me enviou, Eu vos envio”. Soprou sobre eles e disse: ‘Recebei o Espírito Santo’”(Jo 20,21). Dá-lhe o mesmo Espírito que o Pai Lhe deu ao início de sua missão (Jo 3,21-22). Temos a mesma missão que o Pai lhe confiou e a realizamos no mesmo Espírito. Cada Eucaristia nos torna presente a Ascensão de Jesus e realiza também nossa glorificação junto do Pai, em Jesus.
Leituras: Atos 1,1-11;Salmo 46; Efésios 1,17-23;Marcos 16,15-23
                                         
  1. Membros de seu corpo, somos chamados a participar do esplendor de sua glória.
  2. A vida cristã está sempre recebendo a presença de Cristo.
  3. Temos a mesma missão que o Pai confiou ao Filho Jesus. E a realizamos no mesmo Espírito.

            Esquecendo bagagem

            Não podemos ver a Ascensão de Jesus como uma viagem sem retorno e uma despedida. Parece que esqueceu a bagagem e não sabe onde. Nós escondemos e estamos sempre esperando sua volta. Mas Ele volta sempre, todo dia e toda hora, pois prometeu estar sempre conosco.
            Bem que o Anjo disse: “Ele virá do mesmo modo como o vistes partir para o Céu”.
Subiu de uma maneira tão simples, serena. Assim volta sempre: de modo simples e sereno, como sempre foi.
            Ele vem sempre através de tantos modos, sobretudo no amor, na Palavra e na Eucaristia. Onde dois ou três estão reunidos em meu nome, Eu estarei no meio deles. Entra sem avisar, como nas aparições.
Fonte - http://www.a12.com/reze-no-santuario/deus-conosco

Nenhum comentário:

Postar um comentário