Centenário da Arquidiocese de Maceió

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Façamos o bem sem esperar reconhecimento

Façamos o bem para o outro sem esperar reconhecimento ou algo em troca
“Quando deres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. Então serás feliz! Porque eles não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos” (Lucas 14,13-14).
Buscamos, muitas vezes, ser recompensados naquilo que realizamos, queremos um prêmio, um mérito; então, recebemos méritos e palmas humanas, reconhecimentos humanos. Ficamos até chateados quando fazemos alguma coisa para o outro e ele não agradece, não nos exalta por aquilo que fazemos ou assim por diante.
Não busquemos os méritos humanos, não busquemos os reconhecimentos nem as palmas deste mundo. Busquemos somente o reconhecimento de Deus. Não é que não podemos fazer uma festa para os amigos, para os parentes; é bom fazer a festa, o almoço, o jantar, porque é maravilhoso confraternizar!
O Evangelho traz para nós uma outra tônica: façamos o bem para o outro sem esperar reconhecimento ou algo em troca, e façamos o bem para aqueles que precisam tanto do bem, aqueles que são os esquecidos da vida, que não podem nos dar nada.
Se convidarmos alguém para o almoço, a pessoa sentirá a necessidade de, depois, fazer um almoço para nos convidar também. Isso é da convivência humana. Mas temos de cuidar do pobre, fazer algo por aquele irmão que não tem nada, dar atenção para o indigente, para o infeliz, o necessitado, aquele que, talvez, nem muito obrigado nos dirá.
Santa Madre Teresa de Calcutá, muitas vezes, saía pelas ruas da Índia para levar alimentos, e muitos daqueles pobres pegavam o alimento e jogavam na cara dela; outros o rejeitavam, eram frios. Ela dizia: “Esses são os meus preferidos. É para esses que vou com mais amor e dedicação, porque eles não enchem o meu ego, não me engradecem por aquilo que eu faço e até me humilham! É para eles que eu gosto, em primeiro lugar, de dar o melhor de mim”.
Gostamos de ser reconhecidos, mas quem será verdadeiramente reconhecido por Deus na Sua glória, na eternidade, é quem deu o melhor de si para o outro sem esperar nada em troca. Fez por amor, por caridade e por ter um coração generoso.
Que o nosso coração seja cada vez mais bondoso, dedicando-se e cuidando de quem não pode nos retribuir, porque a verdadeira retribuição é na casa do Pai.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário