Sorteio

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Maria nos aponta a direção das virtudes evangélicas

Quando priorizamos as virtudes, elas nos colocam mais perto do coração de Deus
“Maria, então, disse: ‘Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!’ E o anjo retirou-se” (Lucas 1,38).
Maria é a serva do Senhor. Hoje, celebramos Nossa Senhora Rainha coroada como rainha do Céu e da Terra. Por que Maria se tornou rainha do Céu e da Terra? Por que ela é rainha de todos nós? Porque ela foi a mais humilde serva do Senhor. O grau de humildade dela foi excelente, perfeito, e Deus coroa os humildes, os servos, aqueles que sabem servir ao próximo.
Deus não coroa quem é orgulhoso, prepotente; pelo contrário, ele derruba os poderosos dos seus tronos. Diante de Deus há os títulos humanos, as coroações humanas que nós recebemos dessa terra e não têm valor nem significado. Às vezes, até nos afastam do caminho do Senhor e da vida.
Maria nos aponta a direção e o caminho do Céu, ela nos aponta a coroação do coração de Deus. Seremos coroados com a coroa da vida se vivermos a humildade. Maria é para nós uma escola de vida.
Em primeiro lugar, Deus sempre, em primeiro lugar, espírito de comunhão, de união, de vida mística e relacionamento pessoal com Ele.
Maria se relacionava com Deus, falava com Ele e era toda d’Ele. Maria servia seus irmãos, cuidava deles. Grávida de Jesus, ela saiu ao encontro de Isabel para se fazer serva, não foi lá para ser engrandecida: “Eu estou aqui. Eu sou a mãe de Jesus”. Não! Ela disse: “Eu sou a serva do Senhor. Estou aqui para te servir, minha irmã”.
Quem é todo de Deus, é todo dos irmãos; cuida, ama e serve.
Maria nos aponta a direção do Evangelho, das virtudes evangélicas, da lealdade, do amor, daqueles valores evangélicos que, muitas vezes, são deixados de lado. Quando nós priorizamos as virtudes, elas nos colocam mais perto do coração de Deus.
Na coroa de Maria estavam 12 estrelas, o “12” da perfeição e da busca sublime de uma vida entregue a Deus.
Deus quer que busquemos, com todo o ardor da nossa alma, a perfeição evangélica e as virtudes evangélicas. Muitas vezes, reconhecemos nossas fraquezas não para as exaltar, mas para reconhecer que Deus pode transformar nossas fraquezas em virtudes, para reconhecer que, mesmo sendo fracos, a virtude divina nos torna melhores, porque é no Céu, como Maria, que queremos também estar um dia.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: mailto:padrerogercn@gmail.com – Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário