Sorteio

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Homilia Dominical


Homilia do 7º Domingo Comum (19.02.17)
Pe. Luiz Carlos de Oliveira
Redentorista

“A novidade de Jesus”
O amor acima do ódio
O sermão da montanha é o núcleo da fé cristã. E nele, a maior novidade de Jesus, está no amor aos inimigos. Em sua morte na cruz, reza ao Pai: “Pai, perdoai-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lc 23,34). Está assim em direção contrária a ensinamentos e práticas do Antigo Testamento. Este ódio está no coração do homem desde o começo da humanidade, como nos retrata o livro do Gênesis. A lei antiga ensinava: “Olho por olho, dente por dente” (Lv 24,20). Vemos a mudança: ensina a não resistir ao malvado, oferecer a outra face, deixar que te levem a roupa, andar dois km a quem te força andar um. Cristo assim o fez. Ensina o amor ao próximo como o seu mandamento e, este amor inclui o amor ao inimigo, para sermos como o Pai.Diz: “Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque Ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos” (Mt 5,44-45). A razão fundamental é ser perfeito como o Pai celeste é perfeito, sendo “misericordiosos como o Pai é misericordioso” (Lc 3,36). Ser perfeito é ser misericordioso. Amor aos inimigos, critério da verdadeira fé em Jesus. Para Jesus, o modelo é sempre o Pai. É sua escola. Assim chegamos à santidade. Com esses ensinamentos Jesus nos põe no caminho da santidade. Esta acontece nas coisas simples do amor e exigentes para que a vida seja plena. Não é esse o conceito de santidade apresentado e vivido por muitos. O Evangelho é tão claro e os métodos são tão outros.
Resposta que cura
Vivemos num mundo de guerras. As piores são as guerras internas dentro das comunidades e das famílias. Jesus quer amortecer a força do mal pelo bem. Paulo resume este pensamento de Jesus com estas palavras: “Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal pelo bem” (Rm 12,21). Defender-se não significa aumentar a violência. Por isso dá seu ensinamento: “Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda!... . É o que dizemos: Quando um não quer, dois não brigam. Não aumentar a força da maldade. O ensinamento de Jesus desmonta todo esquema de maldade, agressividade e guerra. Não adianta continuar a briga jogando gasolina no fogo. Assim se rompe a carreira do mal. É a estratégia cristã. “Vós ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!” (Mt 5,39.43-45). Inimigos sempre existirão, então, rezemos por eles e busquemos a paz. É uma característica cristã o perdão do inimigo e mais, não criar inimizades nem promover a discórdia.

Ser como o Pai.
A referência de Jesus é sempre seu Pai, como rezamos no salmo 102 que revela o amor de Deus: “O Senhor é indulgente, é favorável, é paciente, é bondoso e compassivo. Não nos trata como exigem nossas faltas, nem nos pune em proporção às nossas culpas”. No Antigo Testamento temos como razão de ser santos: “Sede santos, porque Eu, o Senhor vosso Deus, sou santo” (Lv 19,1-2). O projeto de vida do fiel, espelhado no Pai e revelado por Jesus, tem um modo de ser: “Sede perfeitos, como vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5,48). Na Eucaristia comungamos também sua mentalidade de paz. É o momento de rezar pelos inimigos e criar uma onda de amor que vença o ódio. É o que chamamos de cultura do amor. Se nos amarmos damos nossa maior contribuição para a vida do mundo.
Leituras: Lv 19,1-2.17-18; Sl 10; 1Cor 3,16-23; Mt 5,38-48
Ficha nº 1624 
O sermão da montanha é o núcleo da fé cristã. E nele, a maior novidade de Jesus, está no amor aos inimigos.
Defender-se não significa agir com violência, aumentado o mal.
O projeto de vida do fiel, espelhado no Pai e revelado por Jesus, tem um modo de ser: “Sede perfeitos, como vosso Pai celeste é perfeito”
Empresta-me seus óculos
É preciso uma visão nova para entender o Evangelho de Jesus. Temos que ser como o Pai do Céu. Os antigos diziam: “olho por olho, dente por dente”. Assim a briga não acaba. Jesus corta esse ensinamento de antigamente que entrou na Bíblia vinda de leis pagãs. Jesus limpa a lente para que vejamos mais apuradamente.
A síntese de seu ensinamento é esta: ir além do que é exigido pela lei; ir ao amor maior que faz a diferença. Aqui temos o maior ensinamento de Jesus: amar os inimigos. Somos chamados a ser santos como Deus é Santo. Deus ama todos e não faz distinção de pessoas.
Fonte - http://www.a12.com/santuario-nacional/santuario-virtual/liturgia-diaria

Nenhum comentário:

Postar um comentário