Sorteio

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Homilia Dominical


Homilia do 5º Domingo Comum (05.02.17)
Pe. Luiz Carlos de Oliveira
Redentorista

“Brilhe vossa luz!”
Luz do mundo
O sermão da montanha, de modo especial as bem-aventuranças, é uma síntese do ser cristão. A nova lei não é uma “ordem”, mas o reconhecimento do que Deus faz em cada um. Ao dizer “vós sois o sal a terra... vós sois a luz do mundo” (Mt 5,1.14), está ensinando que as bem-aventuranças são o ser do cristão. É delas que vem a luminosidade e o sabor. A “salubridade e a luminosidade” do discípulo vêm de sua união com Cristo que, com sua vida, deu luz e sabor ao mundo. O Verbo de Deus, Jesus, é Luz e Vida (João 8,12). Dizendo que o cristão é luz do mundo, ensina que essa luz vem de sua união a Cristo na prática das bem-aventuranças. Paulo ensina: “Agora que sois luz no Senhor, andai como filhos da luz” (Ef 5,8). A luz é colocada no alto para irradiar a fim de que todos vejam. Essa luz é vida, como Jesus era a luz dos homens (Jo 1,4). A luz das boas obras brilhará diante dos homens, como Jesus brilhou e iluminou. Isaias proclama que, com as boas obras, a luz brilhará como a aurora. Ela é saúde e garantia na oração. “Nascerá nas trevas a tua luz e tua vida obscura será como o meio dia” (Is 58.7-10). Paulo dá o exemplo ao explicar seu modo de pregação: “Ao anunciar-vos o mistério de Deus, não recorri a uma linguagem elevada...Não julguei saber coisa alguma. A não ser Jesus Cristo, e este foi crucificado” Ele se baseava no poder de Deus e não na sabedoria dos homens (1Cor 2, 1-2.5).
Sal da terra
“Vós sois o sal da terra”. Se o cristão não for sal, torna-se inútil. Como a luz, o sal é fundamental para o bem viver. Há também uma referência ao aspecto cultual. Nos sacrifícios do templo era necessário colocar um pouco de sal sobre as vítimas: “Salgarás toda oblação que ofereceres e não deixarás de por na tua oblação o sal da aliança de teu Deus” (Lv 2,13).  Tem sentido de conservação da aliança para sua estabilidade. Por se ligar ao sacrifício torna a vida comum um sacrifício agradável a Deus. Pedro diz que devemos “oferecer sacrifícios espirituais a Deus em Jesus Cristo” (1Pd 2,5). Toda a dimensão de sacrifício que é exigido para a vida cristã e as muitas propostas de sacrifício, há só um que vale por completo: o sacrifício da vontade, isto é, procurar a vontade de Deus que está expressa nas bem-aventuranças. Elas são o caminho para a vida. O sacrifício e a penitência não se medem pela dor, mas pelo amor com que levamos as cruzes do dia a dia. O profeta Isaías também nos oferece um caminho semelhante: repartir o pão com o faminto, acolher peregrinos, destruir os instrumentos de opressão, deixar os hábitos autoritários e a linguagem maldosa, acolher o indigente e socorrer o necessitado (Is 58, 7-10)

Para que glorifiquem o Pai
O sabor da vida que as boas obras dos cristãos oferecem é para o louvor de Deus: “Para que, vendo vossas boas obras, glorifiquem o Pai” (Mt 5,16).  Esta é a liturgia fundamental que culmina na celebração. Com sua vida, Jesus foi uma oferta agradável que culminou na oferta sacrifical da Cruz. O discípulo assimila-se ao Mestre: É sacrifício “vivo, santo, agradável a Deus: É o culto espiritual” (Rm 12,1). Os sacrifícios são as obras das bem-aventuranças para que “glorifiquem o Pai que está no céu”. Glorificar é entrar em comunhão. É a função redentora da vida dos cristãos. O primeiro testemunho é a fé manifestada nas boas obras. Ser sal e luz é viver o evangelho sintetizado nas bem-aventuranças. Cada Eucaristia nos desvela a presença da Palavra e do Pão que são sustento e luz no caminho.
Leituras: Is 58,7-10; Sl 111;1Cor 2,1-5; Mt 5,13-16
Ficha nº 1620
As bem-aventuranças são síntese do ser cristão. Vivendo-as somos luz e sal para o mundo.
Sem ser sal e luz o cristão é inútil. A vida cristã tem um aspecto cultual, pois é sacrifício espiritual.
A vida cristã tem como finalidade o louvor ao Pai.
Doce de sal
Parece muito esquisito fazer doce de sal. Claro que estamos fazendo uma comparação com a grande transformação que a Palavra de Deus realiza em nossa vida: “Vós sois o sal da terra” é como se transformasse o sal em doce.
Depois de anunciar as bem-aventuranças, Jesus afirma que elas nos tornam sal da terra e luz do mundo. Quer dizer que as pessoas que vivem esse novo modo passam por uma transformação como na vida pessoal que vai influir na comunidade como o sal que tempera e a luz que ilumina.
Nada esconde ma luz de Jesus em quem crê Nele.
A atitude nova da vida dará soluções para os necessitados. Deus ouvirá nossa oração. Essa vida brilhará para o bem do mundo. Para isso acontecer temos que centrar nossa vida em Jesus, como fez Paulo.
Felizes também, plantaremos felicidade. Essa brota!
Fonte - http://www.a12.com/santuario-nacional/santuario-virtual/liturgia-diaria/05/02/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário